Dramaturgia

Shows

Nova novela jovem do Web Mundi

Vem aí a nova mania das oito!


A partir do dia 18, aqui, no Web Mundi.
segunda-feira, fevereiro 18, 2019

Luz do Luar - Capítulo 18: Ignis (Fogo) (Últimos Capítulos)

by , in




 LUZ DO LUAR - CAPÍTULO 18:
IGNIS (FOGO)
Novela de Anthonny



Personagens deste capítulo:

Hannah - Isabelle Drummond
Morgana - Juliana Paiva
Emily - Juliane Trevisol
Daniel - Humberto Carrão
Inquisidor - Stênio Garcia
Judas - Reynaldo Gianecchini
Madre - Bete Mendes



NO CAPÍTULO ANTERIOR...

Morgana e Hannah se reencontram, e além disso, descobrem que Judas é seu pai. O Inquisidor e a Madre planejam a venda das "relíquias santas". Daniel cai enquanto tenta descer as escadas das masmorras. A Madre vê Judas no corredor do convento, mas é enganada pelo mesmo que sabia do seu sonambulismo. O Inquisidor é assombrado por uma figura desconhecida em sua sala. Hannah revela para Morgana e Judas que Íris está morta.


Morgana - E quando nossa mãe vem?

Judas - É tudo que eu mais quero. Vê-la novamente.



Hannah - Nossa mãe morreu, Morgana!


CENA 1. GAIA. CONVENTO. QUARTO DE DANIEL. INTERIOR. NOITE

Morgana - Morta?


SONOPLASTIA: BEATI OMNES - MARCUS VIANA E LULIA DIB (ATÉ O FIM DA CENA)

Morgana põe as mãos no rosto. Judas põe as mãos na cabeça.

Judas - Durante todo esse tempo lá no exílio, eu não acreditava que iria encontrar ela novamente...

Morgana enxuga as lágrimas que caem do seu rosto.

Judas - Mas quando eu soube de vocês... Parecia que tudo iria dar certo novamente...

Hannah - Antes de morrer ela pediu que eu viesse aqui e encontrasse Morgana...

Morgana - E encontrou!

Hannah - Eu vim movida a ódio, queria vingar-me do homem que separou minha família, mas como eu poderia agora? Sabendo que ele é meu avô...

Judas - Eu nunca o perdoarei, ele sempre separou as pessoas, desde o início, primeiro me separou de Íris e de vocês também, e depois separou as próprias irmãs...

Morgana - Assim que me trouxe... Ele me falou que estava fazendo aquilo para o meu próprio bem, e não adiantava quanto eu pedia para ir vê-las... Ele nunca deixava!

Hannah - Pelo menos, nós finalmente nos encontramos!

Judas - É o momento mais feliz e o mais triste dos últimos vinte anos!

Os três se olham, mas não esboçam nenhuma reação.


FADE OUT.

FADE IN:




FADE IN:

CENA 2. TAKES DO AMANHECER EM GAIA. MANHÃ


CORTA PARA:

CENA 3. GAIA. CONVENTO. JARDIM. EXTERIOR. MANHÃ

O Inquisidor anda pelo jardim. 


FLASHBACK ON

O Inquisidor observa o baú.

POV INQUISIDOR

Ele escuta algumas risadas abafadas, olha em todas as direções possíveis mas não vê nada.

VOLTA À CENA

Inquisidor - Quem está aí? Fale!

POV INQUISIDOR 


Ele escuta mais risadas, dessa vez altas e cada vez mais próximas. Ele fica confuso.

VOLTA À CENA


FLASHBACK OFF

POV MADRE

Ela se aproxime do Inquisidor e o vê pensando.

Madre - Senhor Inquisidor?

Ele continua pensando.

Madre - Senhor? Está bem?

Ela o toca e ele se assusta.

VOLTA À CENA

Madre - No que estava a pensar tão alto?


CORTA PARA:

CENA 4. GAIA. CONVENTO. QUARTO DE MORGANA E EMILY. INTERIOR. MANHÃ

Emily acorda-se e ao levantar-se da cama vê Morgana na janela.

Emily - Despertou-se cedo?

Morgana - Se quer dormi muito... Aconteceram muitas coisas ontem.

Emily - Como acha que será sua relação com seu repentino pai?

Morgana - Estamos nos aproximando, apesar de eu só o ter conhecido ontem, parece ser um bom alguém.

Emily - Além disso, lemos as anotações dele, o conhecemos sim bastante.

Morgana - Espero apenas poder ter uma família novamente, sem minha mãe, mas com meu pai!

Emily a abraça.

Emily - Eu espero estra inclusa nessa sua futura família!

Morgana toca os braços de Emily que circundam sua cintura.

Morgana - Você é a única que eu tenho certeza que estará! Mas agora que eu os encontrei também, não deixarei ninguém mais ir.


CORTA PARA:

CENA 5. GAIA. CONVENTO. JARDIM. EXTERIOR. MANHÃ

Inquisidor - Algo estranho me aconteceu ontem... Mas não acho que devo contar, talvez seja algo apenas da minha cabeça!

Madre - Me admira alguém como o senhor ficar aos ares pensando, quando deveria estar preocupado com a venda dos objetos sagrados!

Inquisidor - Claro, quanto a isso, não precisa preocupar-se, esta tudo perfeitamente preparado para amanhã!

Madre - Será um dia abençoado!


CORTA PARA:

CENA 6. GAIA. CONVENTO. QUARTO DE DANIEL. INTERIOR. MANHÃ

Hannah entra no quarto com uma tigela de sopa.

Hannah - Sente fome?

Daniel - Um pouco.

Hannah fecha a porta do quarto.

Hannah - Como passou a noite?

Hannah senta-se na cama, ao lado de Daniel que está sentado nela.

Daniel - Um pouco quente... Essas coisas em meu pescoço me incomodam tanto!

Hannah ajuda Daniel a beber a sopa.

Daniel - Acho que consigo comer sozinho...

Hannah - Eu sei que sim, mas eu quero o ajudar.

Os dois se olham e Daniel sorri.

Daniel - Eu estive pensando durante à noite... Até que eu não ficaria tão triste de morrer hoje, ou amanhã, eu passei os melhores dias com você e eu fui tão feliz... Obrigado.


CORTA PARA:

CENA 7. GAIA. CONVENTO. JARDIM. EXTERIOR. MANHÃ

O Inquisidor e a Madre caminham pelo jardim.

Madre - Como estava Judas quando o visitou?

Inquisidor - Ainda revoltado, mesmo com todo esse tempo lá... Ainda não reconheceu que eu o salvei daquela bruxa.

Madre - Nem me lembre... Sinto saudades da época em que ele estava conosco no convento, mas sei que está mais seguro em Jacó.

Inquisidor - Por que essa lembrança repentina de Judas?

Madre - Pode até parecer desvaneio mas eu o vi, ele estava aqui no convento, estava mais velho, e eu o senti, mas nada passou de um sonho. 

Inquisidor - Aqui?

Madre - Bem, preciso ver como estão as noviças! Até mais!

Inquisidor - Até...

O Inquisidor fica pensativo.


CORTA PARA:

CENA 8. GAIA. CONVENTO. QUARTO DE DANIEL. INTERIOR. NOITE

Hannah - Eu farei de tudo que for possível pra que você fique melhor... 

Daniel toca a mão de Hannah.

Daniel - Acredite... Já está fazendo!

Os dois se olham e sorriem, mas sem animação.


CORTA PARA:

CENA 9. TAKES DO ANOITECER EM GAIA. NOITE


CORTA PARA:

CENA 10. GAIA. CONVENTO. QUARTO DE MORGANA E EMILY. INTERIOR. NOITE

Morgana continua olhando para fora pela janela.

Morgana - É tão ruim só poder encontrá-los quando todos estão dormindo, eu sinto como se estivesse fazendo algo errado, mas eu não estou!

Emily - E como acha que poderiam ser livres para se ver?

Morgana - Quando sairmos do convento... É claro, agora que os encontrei... O que ainda estou fazendo aqui?

Emily - Então nós vamos fugir?

Morgana - Exatamente.
CORTA PARA:

CENA 11. GAIA. CONVENTO.  QUARTO DE DANIEL. INTERIOR. NOITE

Judas entra no quarto e vê Hannah, Daniel, Emily e Morgana.

Judas - Passei à noite pensando em vocês e quando ia vê-las de novo... Eu acho que encontrei um novo motivo pra vida!

Hannah e Morgana sorriem.

Morgana - Acho que não posso dizer o sinto como pai... Faz pouco tempo.

Hannah - Talvez esse seja o problema... Nós não temos tempos para nos vermos, só podemos nos encontrar na calada da noite, como vamos nos aproximar?

Judas - Não podemos continuar no convento...

Daniel - Como assim?

Morgana - Iremos fugir!

Todos se encaram.


CORTA PARA:

CENA 12. GAIA. CONVENTO. SALA DO INQUISIDOR. INTERIOR. NOITE

O Inquisidor entra na sala.

POV INQUISIDOR

Ele olha para parede onde uma cruz está chamas. Ele observa toda sala e apenas a cruz queima. Uma fumaça vermelha sai dela.

VOLTA À CENA

Inquisidor - Vade retro santana!

O Inquisidor toca seu crucifixo desesperado.


FADE OUT.

FADE IN:



segunda-feira, fevereiro 18, 2019

Mania de Você | Estreia! Capítulo 01 - À Primeira Vista

by , in


MANIA DE VOCÊ
Uma webnovela de
William

Escrita por
William

Produção
Web Mundi


Personagens deste capítulo

LENA FERNANDA...............................GABRIELA DUARTE
CAIO..........................................MARCELO FARIA
HUGO.........................................RÔMULO ESTRELA BEATRIZ.........................................VERA FISHER
MARINA.....................................NATHALIA TIMBERG
GRAÇA............................................BEL KUTNER







FADE IN:

CENA 1. PRAIA DO LEBLON. EXTERIOR. MANHÃ.

SONOPLASTIA: “ELA É CARIOCA” – QUARTETO JOBIM MORELEMBAUM (ATÉ O FIM DA CENA 2)

 TAKES ALTERNADOS DE DIFERENTES SITUAÇÕES OCORRENDO NA PRAIA. UM CASAL FAZENDO WINDSURF, UM PEQUENO GRUPO DE CRIANÇAS FAZENDO CASTELOS DE AREIA, DUAS MULHERES BONITAS DE BIQUÍNI CAMINHANDO, JOVENS JOGANDO FUTVOLEI, UM HOMEM PASSANDO PROTETOR SOLAR NAS COSTAS DE UMA BELA MULHER DEITADA DE BRUÇOS.

FUSÃO PARA:

CENA 2. PRAIA DO LEBLON. EXTERIOR. MANHÃ.

 LENA FERNANDA, NOSSA PROTAGONISTA, VEM ANIMADA VENDENDO SEUS SANDUÍCHES NA PRAIA. VISUAL SIMPLES: CHAPÉU BRANCO, CAMISA VERMELHA E SHORT (CURTO) PRETO (AMBOS FOLGADOS E DE TECIDO LEVE).

LENA FERNANDA (TOM: ALTO) Olha o bem preparado! Natural, é receita exclusiva! Tem de frango, tem ricota, tem presunto e queijo! Olha o sanduíche da Lena!

(VENDE DOIS SANDUÍCHES PARA UMA MULHER NA PRAIA, AGRADECE E CONTINUA.)


LENA FERNANDA (TOM: ALTO) Ó o sanduíche natural, quem vai querer? Tem frango, ricota temperada e presunto e queijo! É o natural, tem vegetariano, vegano, indiano...receita EX-CLU-SI-VA!

DISSOLVE 100%

CENA 3. PRAIA DO LEBLON. EXTERIOR. MANHÃ.

 MARINA E BEATRIZ ESTÃO FAZENDO UMA CAMINHADA PELA PRAIA ENQUANTO CONVERSAM.

BEATRIZ – Então você acha mesmo que o Caio volta para os 30 anos da Maniac?

MARINA – Ai, Beatriz...eu não acho, eu tenho certeza de que ele volta sim! Já faz tanto tempo que tudo aconteceu...

BEATRIZ – Sei não, hein? Esse meu filho é cabeça dura! Pode estar pronto para voltar sim, mas vai dar o braço a torcer? É orgulhoso como o meu falecido marido! Hum...que Deus o tenha, mas não me devolva! (RISOS)

MARINA – (RISOS) Ah Beatriz, menos! O seu marido não era tão ruim assim...

BEATRIZ – É...nem tanto...mas era daquele tipo de homem que tem “marido” tatuado na testa, aquele que toda mãe sonha que deve ser o homem da vida da filha...já o seu era o contrário...tinha um olho de safado...

MARINA – É...por isso mesmo que você foi amante dele.

BEATRIZ – Isso enquanto você era amante do meu.

 As duas gargalham.

MARINA – Bons tempos aqueles...eu vivia com o dinheiro do mês contado, mas era jovem, tinha a vida toda pela frente...toda aquele êxtase do jovem, do novo, a pele sem nenhuma ruga, o corpo com tudo durinho e no lugar...é, nós tivemos o nosso tempo de rivais!

BEATRIZ – Oh se tivemos! Mas felizmente nos unimos e acabamos com aquela rivalidade ridícula do patriarcado!

 As duas riem novamente.

 LENA FERNANDA VEM VENDENDO SEUS SANDUÍCHES E PASSA POR MARINA E BEATRIZ.

BEATRIZ – Mocinha, eu vou querer um!

LENA FERNANDA – Ah! Sim, tem de frango, ricota temperada e aipo com maionese.

BEATRIZ – Me vê aí o de frango!
    


(LENA FERNANDA TIRA O SANDUÍCHE DE DENTRO DA SACOLA TÉRMICA E ENTREGA PARA BEATRIZ, QUE PEGA A CARTEIRA DENTRO DE UMA PEQUENA BOLSA.)

BEATRIZ – Quanto fica?

LENA FERNANDA – Três com cinquenta!

(BEATRIZ PAGA LENA FERNANDA.)

LENA FERNANDA Obrigadinha! Aproveita o sanduíche, tchau! (SE AFASTA E CONTINUA A VENDER OS SANDUÍCHES)

MARINA – Hmmm...sanduíche de praia, Beatrix?

BEATRIZ – Ué...e o que é que tem? Não pode?

MARINA – Pode, minha querida, claro que pode! Mas quando estiver baixada no hospital por intoxicação alimentar não venha reclamar comigo!

BEATRIZ – Não, mas se eu quisesse ir parar no hospital eu tinha escolhido o de aipo com maionese! Em novela maionese se estraga já é um perigo, imagina em webnovela que tudo é mais forçadinho então para acabar logo? Ah! Mas eu me lembro muito bem que você adorava esse tipo de sanduíche! (DÁ A PRIMEIRA MORDIDA NO SANDUÍCHE)

MARINA – Adorava quando eu era pobre e isso era uma das poucas coisas que eu conseguia comprar! Depois que eu casei e o falecido enriqueceu eu larguei esses hábitos de vez. Quem já passou fome quer mais é saber de muita fartura!

BEATRIZ – Voltando ao assunto de antes...eu não coloco a minha mão no fogo pela volta do Caio não...principalmente com aquela governanta mórbida lembrando de Lorena em cada gesto e detalhe da casa...

MARINA – É...vamos torcer pelo melhor!
CORTA PARA:

CENA 4. PRAIA DO LEBLON. MAR AZUL. EXTERIOR. MANHÃ.

HUGO SAI DE DENTRO DA LOJA DE ARTIGOS DE SURF ‘MAR AZUL’. ESTABELECIMENTO SIMPLES, TEMÁTICA DE CABANA HAVAIANA.
POV DE HUGO
 De costas para a câmera, Hugo observa o letreiro da loja sendo instalado.
VOLTA À CENA

HUGO – É...chegou o dia! Finalmente a Mar Azul vai abrir!

MARINA E BEATRIZ VÃO SE APROXIMANDO DA MAR AZUL E PARAM ANTES DE SEREM VISTAS POR HUGO.

MARINA – Já tinha até me esquecido...é essa semana que o Hugo inaugura essa loja de artigos de surf dele.

BEATRIZ – Problema de memória, Marininha? Olha eu tenho um remedinho que é ótimo pra falta de memória!

MARINA – É mesmo? Será que é esse remédio altera algo no colágeno?

BEATRIZ – Ué mas e porque ele alteraria?

MARINA – Ah, deixa pra lá! É que essa sua última plástica...aqui na papada, já tá bem deteriorada hein?

BEATRIZ – (RISOS) Oh Marina! Por falar nisso essa sua última lipo também não deu muito resultado né? Foi um desperdício de tempo e de dinheiro!

MARINA – (RISOS) Não mais do que a sua última bichectomia! Por falar em desperdício, você acha que esse negócio de surf dá certo?

BEATRIZ – Ah eu Duvido muito! Isso é coisa de hippie...quer abrir uma lojinha dessas pra mostrar que é do tipo naturalista e que se libertou das amarras da família burguesa... (RISOS)

MARINA – Ai...sendo uma loja de surf bem que ele podia ficar o tempo todo com uma sunguinha bem justa! Eu frequentaria todo dia!

BEATRIZ – Não você não entendeu, ele tá abrindo uma loja de surf, não um centro de pesquisa paleontológica pra você ir frequentar, entende? Além do mais, o traste do meu marido tudo bem, agora isso pra cima do meu filho já é demais!

MARINA – Ai, Beatriz! Velha por fora, mas por dentro continua existindo aquela deusa das arábias que fazia cada coisa na Paulista que até Deus duvida! (RISOS) Bom agora eu preciso ir. Acabei perdendo a noção do tempo!

BEATRIZ – Só a do tempo, santa?

MARINA – Só no deboche, pecadora?

 AS DUAS RIEM E SE DESPEDEM. BEATRIZ VAI ATÉ HUGO QUE CONTINUA DO LADO DE FORA DA MAR AZUL.

HUGO – E aí, mãe, o que achou da Mar Azul?

BEATRIZ – Tá linda, meu filho! Mas não quero ouvir nenhuma reclamação sua se o pessoal daqui da praia entrar nela perguntando se vende água de coco aí dentro.

HUGO – (RISOS) Pode deixar, Dona Beatrix...a propósito, você vem pro luau de inauguração hoje à noite?

BEATRIZ – Claro. Será ótimo me arrumar toda pra terminar a noite cheia de areia no cabelo.
HUGO – Aham, com certeza...

BEATRIZ – Por falar em vir, tentou convidar seu irmão?

HUGO – Hum...

BEATRIZ – Eu sei que vocês não se dão muito bem, mas a forma com que vocês levam a relação não anula o fato de que são irmãos.

HUGO – Tente sim.

BEATRIZ – E ele?

HUGO – Nada. Nem uma resposta.

BEATRIZ – Paciência...mas algo me diz que logo logo ele estará de volta...eu sinto no ar!

FADE OUT.
FADE IN:





FADE IN:


CENA 5. PARIS. FRANÇA. EXTERIOR. TARDE

SONOPLASTIA: “I LOVE PARIS” – MAYSA (ATÉ O FIM DA CENA 6)

 TAKES ALTERNADOS DE DIFERENTES PONTOS TURÍSTICOS PARISIENSES. PLANO AÉREO SOB A TORRE EIFFEL, SOB O ARCO DO TRIUNFO, PESSOAS CAMINHANDO PELA CHAMPS-ÉLISÉES.

FUSÃO PARA:

CENA 6. MANDERLEY. ESCRITÓRIO. INTERIOR. TARDE.

 Caio está sentado à mesa organizando alguns documentos. Alguém bate na porta.

CAIO – Pode entrar.

GRAÇA (ENTRA NA SALA TRAZENDO UMA BANDEJA COM UMA XÍCARA E UM BULE DE CHÁ) – Doutor Caio, o seu chá.

CAIO – Obrigado, Graça.

GRAÇA – É o meu trabalho.

CAIO – Aproveitando que está aqui, me conte uma coisa...

GRAÇA – Claro.

CAIO – Como a Martinha anda na escola?

GRAÇA – Anda muito bem. Nenhuma queixa. As notas estão boas, o comportamento também...é um pouco distraída, mas nada que não seja mal da idade. Se me permite, ela faz jus aos pais que tem.

CAIO – Já pode se retirar.

GRAÇA – Com a sua licença... (VAI EM DIREÇÃO A PORTA)
    
CAIO – Espere!

GRAÇA – (RETORNA) Deseja mais alguma coisa, doutor Caio?

CAIO – Reúna todos os empregados da casa. Tenho um importante comunicado para fazer que irá interessar a todos vocês.

GRAÇA – Como quiser. Com a sua licença.  (SE AFASTA E SAI DO ESCRITÓRIO)

CORTA PARA:

CENA 7. MANDERLEY. CORREDOR PRINCIPAL. INTERIOR. TARDE

 A PASSOS APRESSADOS, GRAÇA CRUZA O CORREDOR PRINCIPAL DA MANSÃO.

CORTA PARA:

CENA 8. MANDERLEY. QUARTO DE GRAÇA. INTERIOR. TARDE

 

SONOPLASTIA: "CAROUSEL OF THE PLANETS" - PERREY AND KINGSLEY (ATÉ O FIM DA CENA 8)

 Graça entra em seu quarto, tranca a porta, vai até o armário, tira uma caixa dele e a coloca sob a cama. Se senta-se e a pega no colo. De dentro dela ela começa algumas fotos.


POV DE GRAÇA
 Graça vai passando as fotos, uma a uma lentamente. A câmera não revela o rosto da moça na foto.

VOLTA À CENA

GRAÇA – Lorena Viana...a mulher inesquecível! A única senhora Viana que existiu, existe e existirá para todo e infinito sempre. (GUARDA AS FOTOS COM CUIDADO E TIRA DE DENTRO DA CAIXA UM DIÁRIO VELHO. GRAÇA COLOCA O DIÁRIO DE VOLTA NA CAIXA.)

MATCH CUT:

CENA 9. MANDERLEY. COZINHA. INTERIOR. TARDE

 Graça entra na cozinha falando para os outros empregados.

GRAÇA – Com licença. Atenção, eu tenho um comunicado do doutor Viana para repassar.

 Os empregados na cozinha param seus afazeres e se voltam para Graça.

GRAÇA – O doutor Viana me pediu que todos os funcionários desta propriedade fossem reunidos. Ele precisa tratar de um importante assunto do interesse de vocês, assunto este, que no momento é sigilo.

FADE OUT.

FADE IN:

CENA 10. PRAIA DO LEBLON. MAR. EXTERIOR. MANHÃ.

SONOPLASTIA - ”DESESPERAR JAMAIS” – BETH CARVALHO E IVAN LINS (ATÉ O FIM DA CENA 12)

 HUGO ESTÁ SURFANDO. TAKES ALTERNADOS DELE FAZENDO ALGUMAS MANOBRAS DE SURF.

DISSOLVE 100%:

CENA 11. PRAIA DO LEBLON. MAR. EXTERIOR. MANHÃ.

 HUGO SAINDO DO MAR CARREGANDO A PRANCHA DE SURF. DE LONGE ELE VÊ LENA FERNANDA E VAI EM SUA DIREÇÃO.

HUGO – Me vê um de ricota, por favor!

LENA FERNANDA – Aqui... (PEGA O SANDUÍCHE E ENTREGA PARA ELE)

HUGO – Obrigado! (PAGA O SANDUÍCHE)

LENA FERNANDA – Eu que agradeço!

HUGO – Sabe que eu nunca tinha te visto por aqui antes? Se bem que eu ficava em uma parte da praia mais afastada também...

LENA FERNANDA – É...muita gente não repara muito na vendedora de sanduíches. (RISOS)

HUGO – (RISOS) imagina, não é por isso não!

LENA FERNANDA – Eu também nunca tinha te visto por esses lados da praia...

HUGO – É, mudei pra cá por ser mais movimentado, não faria muito sentido abrir uma loja de surf na parte mais deserta da praia. (RISOS LEVES)

LENA FERNANDA – Ah...sim...ainda bem que é uma loja de surf, se fosse um quiosque já cortava o assunto com você pra não dar trela pra concorrência! (RISOS)

HUGO – (RISOS) É...dureza pros concorrentes! Daqui a três dias, na sexta, vai ter um luau de inauguração aqui na praia...

LENA FERNANDA - Jura? Acho uma ótima ideia!

HUGO – Promete que você vem?

LENA FERNANDA – É...quem sabe, se eu não tiver nenhum programa marcado pra essa sexta eu dou uma passadinha sim.

CORTA PARA:

CENA 12. VILA. CASA DE LENA FERNANDA. SALA DE ESTAR. INTERIOR. NOITE.

 LENA FERNANDA E zuleide estão conversando SENTADAS NO SOFÁ DA SALA.

ZULEIDE – “Quem sabe, se eu não tiver nenhum programa marcado pra essa sexta eu dou uma passadinha sim” mas que tipo de resposta é essa?

LENA FERNANDA - Ai Zu, tenha paciência né, quis me fazer de difícil um pouco...não ia deixar estampado na cara que ele tava com aquela bola toda não!

ZULEIDE – Hmmm eu tô achando é que você gamou no surfista....

LENA FERNANDA – Nem eu sei direito...não sei hein...paixão nem é exatamente o que define o que eu senti...não foi tão intenso, claro, eu me senti atraída, ele é um cara muito interessante, muito bonito, parece ser uma boa pessoa e tudo mais, mas sei lá...parece que falta alguma coisa, sabe?

ZULEIDE – Olha, pra mim você tá é com vontade de provar do material e sair passear depois!

LENA FERNANDA – Ah Zu, mas que tipo de comentário!

ZULEIDE – Mas que é a verdade isso é!

LENA FERNANDA – Hum...acho que eu vou dar uma chance pra ele sim....quem sabe com o tempo o sentimento não cresce...além do mais a gente se conheceu hoje, eu é que estou sendo afobada e querendo tudo de uma vez só! Roma não foi construída em um dia!

ZULEIDE – É, mas foi incendiada em poucas horas!

FADE OUT.

FADE IN:


CENA 13. MANDERLEY. SALA DE ESTAR. INTERIOR. TARDE.

 OS FUNCIONÁRIOS DE MANDERLEY ESTÃO TODOS REUNIDOS E ENFILEIRADOS NA SALA. ALI ESTÃO PRESENTES CERCA DE 20 PESSOAS. CAIO CHEGA DO ESCRITÓRIO E FICA DE FRENTE PARA ELES.

CAIO – Eu pedi que vocês fossem reunidos aqui para um comunicado que eu preciso anunciar. Chegando os 30 anos do grupo Viana, em especial, da Revista Manicac, eu tomei a decisão de retornar ao Brasil. Tudo que aconteceu e motivou a minha mudança para Manderley é passado...tantos anos já se passaram e finalmente é hora de colocar as coisas em seus devidos lugares, como nunca deviam ter deixado de ser. Essa foi uma decisão repentina minha, em três dias estarei partindo rumo ao país onde eu nasci...os que tentarem arranjar algum outro emprego aqui na França me avisem que ajudo dando uma carta de recomendação. Manderley não será vendida, continua como sendo minha propriedade, mas sem mim e minha filha, a demanda por funcionários será menor. Portanto, os que tiverem interesse em nos acompanhar a nova residência no Brasil terão seu trabalho assegurado na mesma função. Era basicamente isso. Agradeço a atenção e espero a compreensão de vocês. Se tiverem alguma dúvida me procurem!

 CAIO SE AFASTA E DEIXA A SALA INDO EM DIREÇÃO A ESCADARIA E SOBE PARA O ANDAR DE CIMA DA MANSÃO. ASSIM QUE ELE SAI OS FUNCIONÁRIOS COMEÇAM A FALAR ENTRE SI ESTRANHANDO A DECISÃO.

CORTA PARA:

CENA 14. MANDERLEY. QUARTO DE MARTINHA. INTERIOR. TARDE

MARTINHA ESTÁ EM CIMA DA CAMA BRINCANDO COM UMA BONECA. CAIO ENTRA NO QUARTO E SE SENTA NA CAMA.

CAIO – Ainda acorda, filha?

MARTINHA – Tava com vontade de dormir não...

CAIO – Hum...vai lá, me conta o que está te incomodando tanto!

MARTINHA – Nada não, papai!

CAIO – Ah não...tem sim, eu já te conheço! Dá pra ver nos seus olhos...

MARTINHA – Dá?

CAIO – Claro! Criança não usa máscara. Você não deve nem saber de que máscara eu estou falando...é uma máscara que toda pessoa quando cresce cria...acaba aprendendo a construir e a usar ela para esconder os seus sentimentos. Essa máscara geralmente é uma expressão facial, vazia e extremamente superficial.

MARTINHA – Mas e porque as pessoas fazem isso?

CAIO – Por medo. Medo de serem má interpretadas, medo de serem julgadas, medo de se tornarem submissas, de perderem o controle...ou até medo de descobrirem que debaixo do verniz todo se esconde uma grande podridão de caráter.

MARTINHA – Você usa máscara, papai?

CAIO – Uso. Há anos eu uso. O que me é uma grande frustração...por isso eu consigo identificar tão bem uma máscara, porque há anos eu uso. Mas voltando a você, mocinha, o que é que tá te incomodando?

MARTINHA – Ai! Eu não vou pedir nada porque eu não sou pidona, mas eu queria saber uma coisa...nós vamos mesmo voltar pro Brasil?

CAIO – Vamos sim, por quê? Não tá afim de voltar? Na verdade você não vai voltar né, vai conhecer...

MARTINHA – Claro! Claro que eu tô afim de conhecer sim...mas a Graça...ela vai junto?

CAIO – Provavelmente...ela te fez alguma coisa filha?

MARTINHA – Não...ela só...ela me dá um pouco de medo, sabe?

CAIO – (RISOS) Sim, te entendo! Ela tem uns olhões que passam um impacto sim, mas isso não é pra se temer não...é genética apenas...sabe que esses olhos parecem muito com uma de atriz brasileira? Se bobear a maior atriz da dramaturgia do Brasil, Dina Sfat! Ela tinha uns olhos extremamente magnetizantes! Prendiam, impactavam, impunham medo! Dia desses qualquer eu apresento você a algum capítulo de novela que ela já fez, prometo!

MARTINHA – Ela saía muito na capa da Maniac?

CAIO – Pouquíssimo...morreu no mesmo ano de lançamento da revista...mas lá no acervo devem ter algumas fotos dela sim. Material de homenagens póstumas...agora chega desse assunto! Já está tarde e é hora de criança estar na cama dormindo.

 CAIO BEIJA MARTINHA NO ROSTO, SE LEVANTA, ELA SE DEITA, ELE A COBRE COM O COBERTOR.

CAIO – Boa noite, dorme bem, filha!

MARTHINA – Boa noite pra você também, papai!

 CAIO SE AFASTA EM DIREÇÃO A PORTA, DESLIGA A LUZ DO QUARTO, SAI DE DENTRO E FECHA A PORTA.

FUSÃO PARA:


CENA 15. TAKES ALTERNADOS DO RIO DE JANEIRO. EXTERIOR. MANHÃ/ENTARDECER.

SONOPLASTIA: “UNDER PRESSURE” – QUEEM (ATÉ O FIM DA CENA 18)

 TAKES RÁPIDOS ALTERNADOS. DUAS MULHERES CAMINHANDO NA ORLA DA PRAIA DO LEBLON, PLANO AÉREO SOB A PEDRA DA GÁVEA, O TRÂNSITO CARIOCA, UM CARRINHO DE BEBÊ PASSANDO. O SOL SE PONDO NA PRAIA, UM AVIÃO PASSANDO NO CÉU. LETREIRO NA TELA: 3 DIAS DEPOIS...

FUSÃO PARA:

CENA 16. AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO. PISTA DE ATERRIZAGEM. EXTERIOR. NOITE.

 UM AVIÃO ATERRIZA. PESSOAS COMEÇAM A DESEMBARCAR.

CORTA PARA:


CENA 17. AEROPORTO INTERNACIONAL DO RIO DE JANEIRO. PISTA DE ATERRIZAGEM. INTERIOR. NOITE.

 CAIO, COM MARTINHA DORMINDO NO SEU COLO, ESTÃO DE SAÍDA DO AEROPORTO.

FADE OUT:

FADE IN:

CENA 18. CASA DE LENA FERNANDA. QUARTO DE LENA FERNANDA. INTERIOR. NOITE

LENA FERNANDA SE VESTE, VAI ATÉ O ESPELHO DO QUARTO E PENTEIA O CABELO, PASSA BASE NO ROSTO, SE PERFUMA, PASSA UM BATOM DE COR CLARA, PEGA A BOLSA E SE AFASTA INDO EM DIREÇÃO A PORTA DO QUARTO E APAGA A LUZ.
CORTA PARA:

CENA 19. CASA DE LENA FERNANDA. JARDIM. EXTERIOR. NOITE

 DO JARDIM, SE VÊ LENA FERNANDA TRANCANDO A PORTA DE FRENTE DA CASA. ZULEIDE SE APROXIMA.

ZULEIDE – Caprichou na produção, hein Lena!

LENA FERNANDA – Caprichar pra voltar coberta de areia, vê se pode! (RISOS)


ZULEIDE – É, bem imagino o que é que você quer fazer pra voltar coberta de areia!

LENA FERNANDA (SE APROXIMA DE ZULEIDE E GUARDA A CHAVE NA BOLSA)– Mas escuta, você vai passar todo o tempo fazendo esse tipo de comentário?

ZULEIDE – Mas que é a verdade isso é!

LENA MARIA – Além do mais, parece que vai ter um pocket show com a Ana Carolina lá. Adoro ela desde o Ana Carolina, ainda em 99!

ZULEIDE – É mesmo? Ah uma pena eu não ter me arrumado pra ir então, também adoro ela! Uma cantora de primeira linha! Mas vai lá e me represente! E não venha com complexo de Cinderella querendo voltar antes da meia noite, ok?

LENA MARIA – Ok dona Zuleide!

ZULEIDE – É Zu, só Zu! (RISOS)

LENA MARIA – (RISOS) Tchau! Depois te conto tudo que aconteceu! Beijos!
FADE OUT:

FADE IN:

CENA 20. PRAIA DO LEBLON. EXTERIOR. NOITE.

 PLANO GERAL SOB A PRAIA NO LOCAL DO LANÇAMENTO. UMA MULTIDÃO COMEÇA A SE FORMAR E MAIS GENTE VAI CHEGANDO.

CORTA PARA:

CENA 21. PRAIA DO LEBLON. MAR AZUL. INTERIOR. NOITE.

 FOI FEITO UM CAMARIM IMPROVISADO DENTRO DA MAR AZUL. LÁ, ANA CAROLINA ESTÁ SE PREPARANDO PARA O POCKET SHOW. HUGO BATE NA PORTA E ENTRA.

HUGO – Ana, querida! (BEIJA A MÃO DE ANA CAROLINA) Muito obrigado! Francamente, eu pensei que você não aceitaria o convite...é um projeto tão mais simplista e intimista que um show profissional...

ANA CAROLINA – Bobagem! Tenho que te confessar que eu estava morta de vontade por um convite como esse, cantar pra um público tão próximo assim na praia...um jeito menos gourmetizado de se fazer arte! Além do mais, já tive cada oportunidade na Maniac! Cada show épico!

HUGO – Você não imagina o quanto eu fico feliz em saber disso! Bom, agora eu preciso ir, ver como anda tudo...enfim, essas coisas de preparativos pra show, você sabe como funciona! (RISOS) Passei só pra ver se estava tudo certo e te agradecer!

ANA CAROLINA – Imagina, Hugo! Tá tudo ótimo! Agora que começa a cair a noitinha então, fica essa maresia no ar que é uma delícia!

HUGO – Eu também acho! É uma parte do dia é maravilhosa demais!

CORTA PARA:

CENA 22. PRAIA DO LEBLON. EXTERIOR. NOITE

 HUGO CAMINHA NO MEIO DO PÚBLICO. ELE VÊ LENA FERNANDA CHEGANDO, ELA O VÊ E OS DOIS VÃO UM NA DIREÇÃO DO OUTRO.

HUGO – Eu sabia que você viria, mas não sabia que você além de tudo também viria como a mulher mais bonita da noite!

 LENA FERNANDA SORRI SEM GRAÇA.

HUGO – E com o sorriso mais iluminado também! Pensei até que você já tinha se esquecido de mim...

LENA FERNANDA – (SORRIDENTE) Obrigada! Mas não, de jeito nenhum eu esqueceria. Eu não costumo esquecer um homem com uma sunga vermelha justinha na praia. (RISOS)

HUGO – (RISOS)

LENA FERNANDA – (RISOS) Ai, que vergonha! Eu não acredito que eu disse uma bobagem dessas! Convivência com uma vizinha minha surtindo efeito! (RISOS)

HUGO – Imagina! (RISOS) A gente podia marcar alguma coisa pra depois do show né?

LENA FERNANDA – Claro, podíamos sim.

HUGO – Perfeito! Depois a gente combina então, agora preciso resolver algumas coisinhas ainda, mas a gente se vê. Até mais!

LENA FERNANDA – Até!

 HUGO SE AFASTA E CONTINUA CAMINHANDO NO MEIO DO PÚBLICO. ELE SE CHOCA AO VER DE LONGE CAIO SE APROXIMANDO EM SUA DIREÇÃO. A CÂMERA CONGELA EM CAIO TENSO.


A SEGUIR CENAS DO PRÓXIMO CAPÍTULO...

ERNESTO (FALANDO ENROLADO) – E eu moro aqui e não saio! Dona Beatriz que deixou eu! E se deixou é porque tá mais é deixado!

GRAÇA Veremos por quanto tempo você ainda vai poder ficar aí...agora que o senhor Viana está de volta muita coisa há de mudar e eu espero ansiosa pra ver essa mordomia sua acabar! Ruir até ficar no chão! Isso é, se você estiver livre até lá né? Maluco acaba internado, paciência!


CORTA PARA:


HUGO – Eu amo esse seu sorriso! (ACARICIA O ROSTO DE LENA)

LENA FERNANDA – É...mas, quando você me viu pela primeira vez, aposto que não foi pro sorriso o primeiro lugar que você olhou... (RISOS)

HUGO – E esse seu senso de humor mais ainda!


 HUGO A BEIJA APAIXONADAMENTE.