Dramaturgia

Redes Sociais

Novidades no Web Mundi GO!


terça-feira, dezembro 11, 2018

Corações Partidos | Capítulo 22

by , in

UMA NOVELA DE: EDUARDO MORETTI

CAPÍTULO 22: “A REVELAÇÃO!


Dois dias depois na casa de Rodrigo...

Lívia: Rodrigo, você não vai tomar café?

Rodrigo: Não, eu estou atrasado.

Lívia: Só pra variar, não é mesmo?

Rodrigo: Como assim só pra variar?

Lívia: Você vive atrasado Rodrigo, nem tempo pra nós dois sobra mais... Fica o dia todo no Sabor e Arte e às vezes vem só à noite, quando eu já sai para a faculdade. Nós estamos parecendo dois estranhos morando sob o mesmo teto. No começo era tudo maravilhoso, mas agora, nos últimos tempos, tem sido muito difícil.

Rodrigo: Eu sei que tem sido difícil, mas o que você quer que eu faça? Estou muito ocupado com o restaurante, ainda mais agora que o Victor viajou. E também tenho cuidado das obras do meu outro restaurante.

Lívia: Mas com a Érica era diferente. Você sempre arranjava tempo pra ela.

Rodrigo: A Érica era a Érica, você é você! Não confunda as coisas. Se há uma coisa, aliás, duas coisas que eu não suporto numa relação são ciúme e comparações com relacionamentos anteriores, como você fez agora. Ninguém é igual a ninguém. Com o Victor, por exemplo, o seu relacionamento era diferente do nosso, ou eu estou errado?

Lívia: Não, não está. Me desculpa, Rodrigo? Eu tenho andado muito nervosa ultimamente, deve ser a pressão das provas na faculdade.

Rodrigo: Pois quando entrar aqui, dentro de casa, deixe os problemas da faculdade lá fora, não desconte em mim, ou em qualquer pessoa ausente, como a Érica... Eu já tenho muitos problemas lá no restaurante, mas em casa eu procuro esquecê-los. Não queira você se tornar mais um problema na minha vida, pra mim já bastou a Sheila, outra eu não agüentaria... Tchau!

Lívia: Rodrigo, espera... Tchau.

Na casa de Silvia...

Silvia: Ellen atenda a porta pra mim.

Ellen: Pode deixar, mãe... Pois não?

Rapaz: Silvia Fonseca?

Ellen: É a minha mãe.

Rapaz: Flores pra ela... Assine aqui, por favor.

Ellen: Obrigada.

Silvia: Quem era Ellen? Ah, flores... Aposto que são do Marcelo.

Ellen: Errou e feio... São pra senhora.

Silvia: Pra mim? De quem são?

Ellen: De quem mais seria? Só pode ser do papai.

Silvia: Será? Deixe-me ver... “Para a mais bela e perfumada flor do meu jardim: Silvia. Do seu admirador secreto”... Quem será?

Ellen: Nossa mãe, que romântico! Eu ainda acho que é do papai.

Silvia: Eu não acredito. Ele jamais seria tão romântico assim e depois, ele assinaria o cartão.

Ellen: Pode ser, mas mesmo assim, pra mim essas flores são dele.

Silvia: Eu vou colocá-las num vaso... Ah, Ellen, e a Fernanda, ela deu notícias?

Ellen: Ela me ligou hoje. O Victor a seqüestrou e a levou pra Campos do Jordão pode? Tudo para reconquistá-la, não é lindo?

Silvia: Muito... Agora eles acabam voltando.

Ellen: Eu também acho.
***

No hospital, Manuela e Francisco visitam Vinícius...

Manuela: Estou achando você triste Vinícius, o que aconteceu?

Vinícius: Tia, eu não agüento mais essa vida... É hospital, quimioterapia, a medula compatível que nunca aparece, pra acabar esse pesadelo... E a Érica parece que nunca mais vai me querer.

Manuela: Não fique assim... A Samara fez o teste e o resultado sairá daqui a dois dias, vamos aguardar e confiar em Deus.

Francisco: A Manuela tem razão, filho. E quanto à Érica, ela gosta muito de você, mas como amigo. Aceite isso de uma vez e pare de sofrer.

Júlia: Com licença. É hora do remédio, Vinícius...

Vinícius: Júlia! Que bom que você voltou a cuidar de mim.

Júlia: Bom foi te fazer sorrir de novo, não é?

Manuela: Você é abençoada, Júlia.

Júlia: Que isso, Manuela, imagine. Eu só adoro o Vinícius, só isso.
***

Enquanto isso...

Érica: Nossa! Essa casa é linda, pai!

Alberto: Érica, você acha que a sua mãe vai gostar?

Érica: Tenho certeza que sim, pai. A mamãe sempre disse que queria ter uma casa com jardim, piscina, mas ela tinha dó de deixar o nosso apartamento. Mas quando ela vir essa casa, não vai pensar duas vezes, vai mudar para cá correndo.

Alberto: É o que eu mais espero. Poder ter a Silvia de volta... Só mais umas reformas e a casa fica pronta pra você decorar.

Érica: Você vai ter a mamãe de volta. Vocês se amam e merecem ser felizes. Eu torço muito para ver vocês juntos de novo.
***

Na casa de Igor...

Igor: Já vai... Mais que pressa. Victor... Nanda. Vocês voltaram? Que bom!

Fernanda: Gostou da surpresa?

Igor: Adorei Nanda... Eu vejo que os pombinhos se acertaram.

Victor: Estamos noivos, meu irmão!

Igor: Como é que é? Me explica isso melhor.

Victor: É que a Nanda não resistiu ao meu charme...

Fernanda: Não é nada disso, seu bobo. Foi uma mistura de tudo, o fato do Victor ter me seqüestrado e tudo o que vivemos em Campos do Jordão, serviu para reacender o nosso amor. Eu tive a prova de que precisava, agora sei que ele realmente me ama.

Victor: Eu te amo muito mesmo... E então nós decidimos firmar ainda mais esse amor e ficamos noivos. Vamos morar juntos. Eu comprei um apartamento maior pra nós dois.

Fernanda (Surpresa): Sério? Por essa eu não esperava.

Victor: Eu não disse que tinha mais surpresas pra você, meu amor? Dentro de mais algum tempo você terá outra.

Fernanda: Já estou curiosa...

Victor: Pode ficar bem curiosa, mas é segredo. Só na hora certa você irá saber.

Igor: Eu desejo do fundo do meu coração que vocês sejam muito felizes.

Victor: Nós seremos.
***

Na clínica de médicos associados, Amanda perturbaria Marcelo.

Amanda: Oi, Marcelo.

Marcelo: O que você está fazendo aqui, Amanda?

Amanda: Que maneira de me receber, Marcelo... Eu, a mãe da sua filha. Viu só como a minha barriga cresceu? Hoje eu estou completo cinco meses de gestação.

Marcelo: Se foi só isso o que você veio fazer aqui, eu já vi, pode ir embora agora.

Amanda: Nossa! Como você é grosso... Isso não faz bem nem a mim e nem a nossa filha, viu? Eu amo você Marcelo. Vamos ficar juntos, ter a nossa filha, criá-la como deve ser. Eu só quero o melhor para ela.

Marcelo: E o melhor para ela seria que nós vivêssemos juntos, mas sem amor? Sim, porque da minha parte, é a Ellen que eu amo e não você. Eu amo a nossa filha antes mesmo dela nascer. Eu irei assumí-la, darei todo meu apoio, vou visitá-la, cuidarei da educação dela. Mas tudo isso depois que ela nascer, até lá não me procure mais. Vai ser melhor para nós e para nossa filha também. Vem, eu te acompanho até a porta.

Amanda: Tire as suas mãos de cima de mim, eu conheço muito bem o caminho... Se as coisas não podem ser do meu jeito, do seu também não serão. Quando essa criança nascer você não vai nem conhecê-la. Eu sumo no mundo e não te dou notícias. Entendeu?

Marcelo: Ai meu Deus... Quando é que esse pesadelo vai acabar?
***
Abertura:



Na casa de Ellen, Fernanda lhe contava as novidades...

Ellen: Que bom, Nanda. Eu tinha certeza de que dessa vez vocês voltariam.

Fernanda: Estou muito feliz por isso. Mas e você e o Marcelo, como andam as coisas?

Ellen: Não andam. O Ricardo é coisa do passado e vamos mudar de assunto, por favor?

Na mansão Fontenelle...

Geórgia: Ai, Nadia. Não tem sido nada fácil... É muito difícil para uma mãe ver um filho sofrendo tanto sem poder fazer nada para ajudá-lo.

Nádia: É Geórgia. Eu não tenho filhos, mas posso imaginar. Você precisa rezar, ser forte, ter fé e a certeza de que tudo vai dar certo... Você vai ver. E quando ele volta para casa?

Geórgia: Graças a Deus amanhã, quando termina mais uma sessão de sofrimento... Dor, enjôo, os efeitos da quimioterapia.
***

No hospital, Érica tem uma conversa séria e definitiva com Vinícius...

Vinícius: Érica, que bom que você veio hoje. Andou sumida nos últimos tempos. O que aconteceu?

Érica: Eu estive refletindo todo esse tempo sobre a minha vida, sobre o que eu quero realmente pra mim, enfim, sobre nós...

Vinícius: Isso quer dizer que você já tem uma resposta ao meu pedido de casamento?

Érica: Tenho sim. Eu pensei muito e cheguei à conclusão de que eu não o amo mais e portanto, eu quero muito continuar sendo apenas sua amiga, e nada mais. Pega esta aliança, ela é sua.

Vinícius: Érica eu amo você. Fica comigo, eu preciso de você. Sem você eu não vou conseguir vencer essa doença.

Érica: Eu não vou te abandonar, Vinícius... Como sua amiga eu vou continuar te apoiando, como fiz desde o começo. Você vai vencer sim! Todos que gostam de você estão te apoiando e depois, todos temos uma força dentro de nós, encontre a sua e lute! Da minha parte a única coisa que posso te oferecer é a minha amizade.

Vinícius: Tudo bem. Já que você não me ama mais, eu aceito a sua amizade.Eu cansei e não vou insistir mais.

Érica e Vinícius apertaram as mãos e se abraçaram...

Érica: E agora como amiga, Vinícius, eu me sinto na obrigação de te abrir os olhos.

Vinícius: Abrir os olhos? Por quê?

Érica: Sobre a Júlia. Ela sim o ama de verdade. Pode ser a mulher da sua vida.

Vinícius: Ela já havia me dito que estava apaixonada por mim, mas eu continuo amando você, apesar de sermos apenas amigos.

Érica: Não, acho que está se enganando, pensa que ainda me ama mas no fundo, você também está gostando da Júlia. Eu o conheço Vinícius e diria que o suficiente para entender os seus sentimentos. Você se acostumou a gostar de mim, mas sinto que está apaixonado mesmo é pela Júlia... Eu percebo isso em seus olhares, um com o outro, quando estão perto.

Vinícius: Será?
***

Enquanto isso, Ellen vai até seu antigo apartamento, a fim de pegar umas coisas que havia deixado...

Ellen: Nossa. Que bagunça neste apartamento.

Marcelo: Ellen! É você, meu amor?

Ellen: Sim sou eu, eu já não sou o seu amor.

Marcelo: Me desculpe... O que veio fazer aqui?

Ellen: Eu vim pegar umas roupas minhas que ficaram aqui. Vou levar tudo pro apartamento da minha mãe, pois não pretendo voltar aqui tão cedo.

Marcelo: Por mim você nunca teria saído daqui.

Ellen: Pois foi justamente por sua causa que eu sai daqui, ou já se esqueceu do que me fez?

Marcelo: Não. E jamais irei me perdoar por isso. Se você soubesse o quanto que me arrependo...

Ellen: Pois então fique com as suas lamentações. Eu vou pegar meus pertences e sair daqui o mais rápido possível.

Marcelo: Ellen, eu...

Ellen: Não me dirija mais a palavra, por favor!
***

No dia seguinte, na mansão de Geórgia...

Manuela: Samara, que surpresa!

Samara: Oi tia... Pai.

Francisco: Que cara é essa, minha filha?

Geórgia: Quem está aí, Manuela? Ah, é você?

Samara: O Vinícius está em casa, pai?

Francisco: Está sim filha, eu vou chamá-lo.

Geórgia: Ele está descansando, Francisco. Não o perturbe.

Samara: Eu trouxe o resultado do meu exame.

Manuela: E você já viu, Samara?

Samara: Já sim, tia...

Nesse momento, Geórgia toma o resultado da mão de Samara...

Geórgia: Me deixa ver... Eu mais do que ninguém, tenho o direito de saber desse resultado, apesar que eu já imagino o que tenha aqui dentro. Eu não disse? Negativo. Você não prestou nem para salvar a vida do meu filho.

Samara estava decepcionada e só chorava, enquanto Manuela a consolava...

Manuela: Calma Samara. Ele vai ser curado.

Geórgia: Sua imprestável, ordinária! Eu odeio você, sai da minha casa, agora!

Manuela: Você não vai encostar um dedo nela. Ela não tem culpa de nada. Bata em mim se quiser, mas nela não!

Geórgia: Saia da minha frente, Manuela! Ou eu não respondo por mim.

Geórgia avançou em Samara e Manuela a esbofeteou...

Francisco: Geórgia, você está bem?

Geórgia: Me solta, Francisco! Me larga.
***

Nesse instante, Vinícius desceu...

Vinícius: Mas que gritaria é essa? O que esta acontecendo aqui?

Geórgia: É a incompetente da sua irmã, meu filho. O exame dela deu negativo e ela não poderá te ajudar.

Samara: Me desculpas Vinícius. Eu sinto muito. Me desculpa, mãe... - Diz se aproximando de Geórgia.

Geórgia: Não me chame de mãe porque eu não sou a sua mãe! A Manuela que é a sua mãe legítima.

Manuela (Chora): Geórgia... Não...

Samara: Que brincadeira é essa?

Geórgia: Conte para ela, Manuela... Você é filha da Manuela e do Francisco. Ela te abandonou quando você nasceu e eu a criei. Maldita hora que eu não te entreguei à adoção. Quis fazer um gesto humanitário e tudo o que eu ganhei foi desgosto e mais desgosto. Sua enjeitada!

Manuela: Chega! Cala a boca, Geórgia. Nós vamos te explicar tudo.

Samara (Surpresa): É mentira, não é tia?

Manuela: Não. É verdade. O começo dessa história você e o Vinícius já sabem. Eu e o Francisco éramos namorados, a Geórgia deu em cima dele, e engravidou do Vinícius. O papai obrigou-o a se casar com ela e os dois vieram morar no Rio para que o Francisco e o Alberto montassem a empresa, e a Geórgia conseguiu o que queria, ficar perto do Alberto. Eu continuei morando com papai no interior de São Paulo, sofrendo muito, pois eu amava o Francisco. Quando papai faleceu, eu só tinha vinte anos, não tinha com quem contar e vim para o Rio atrás da Geórgia. Ela não queria me aceitar de maneira nenhuma. Só aceitou depois que o Francisco insistiu muito e com a condição de que ela me arranjaria um marido, para que eu me mudasse o quanto antes. Eu vivi infernos na mão dela e a minha única alegria era você Vinícius, que tinha três aninhos, eu adorava cuidar de você... Um dia, a Geórgia saiu e eu fiquei sozinha com o Francisco que disse que me amava e queria viver comigo. Eu ainda era louca por ele e nesse dia, nós dormimos juntos. Esse foi o dia em que você foi gerada, Samara... Semanas depois eu fiquei sabendo que estava grávida e falei com o Francisco. Ele prometeu me dar todo o apoio. A Geórgia descobriu e fez um escândalo, disse que eu tinha que tirar o bebê, no que eu fui totalmente contra e eu disse que jamais faria isso. Então decidi ir embora e criar você sozinha... Foi quando a Geórgia disse que eu poderia ficar até você nascer, que depois eu poderia ir embora, mas sem você e que você seria filha dela. Ela tinha medo de escândalos e não queria ter fama de mulher casada com marido infiel. Nem eu nem o Francisco aceitamos. Foi quando ela nos ameaçou dizendo que se eu não lhe entregasse a ela e dissesse que você era filha dela com o Francisco, ela tiraria você de mim na justiça e te deixaria num orfanato, onde eu jamais poderia te encontrar. Seu pai relutou, mas ela disse que era isso ou nós não a veríamos nunca mais e que ela ainda acabaria com os negócios da família, já que ela mandava na empresa. Eu e o Francisco estávamos sem saída, nas mãos dela. E foi por isso que nós achamos melhor que você fosse criada por ela e pelo Francisco que é o seu pai, e com todo o conforto que eles podiam te oferecer... Eu sofri muito quando você nasceu, ainda mais quando eu tive que te abandonar. A Lia me arranjou um marido, com quem eu fui embora e vivi casada até pouco tempo antes de voltar a morar nesta casa... Eu fui obrigada a te abandonar, Samara... Eu amo você. Me perdoa, por favor!

Samara: É fácil falar em perdão quando o erro foi seu, não é? Pois para mim não é... Eu vivi esses anos todos no conforto sim, mas eu não tive o mais importante, o carinho, o amor, nem mesmo uma mãe de verdade. O que passei com a Geórgia todos esse anos, pensando que ela fosse minha mãe, vivia me perguntando o que eu havia feito de errado para minha própria mãe me odiar tanto. As humilhações que sofri na frente de todos, as cobranças de tudo o que ela me fazia, as comparações com o Vinícius, o filho querido e perfeito. Ele sim tinha carinho, amor, enquanto eu só ficava com o pior, o ódio e a indiferença... Você sabe o que é pra uma criança se sentir rejeitada pela própria mãe? É claro que não, essa história é minha. Só minha.

Manuela: Eu só quis o melhor para você, Samara... Eu vinha te ver sempre que podia. O que eu não queria era ficar sem te ver, sem ter notícias suas, caso estivesse num orfanato sei lá onde... Pelo menos aqui você teria o seu pai por perto. Eu só queria o seu bem, eu amo você, filha...

Samara: O meu bem seria ter vivido com você onde quer que fosse, até debaixo da ponte, mas com carinho, amor. Pelo menos eu não sofreria tanto durante toda minha vida, seria mais feliz. Você devia ter enfrentado a Geórgia e fugido comigo... Agora eu já nem sei mais se você seria uma boa mãe, sabia? Esse seu gesto mostra que você foi tão ruim quanto ela, como mãe. Melhor seria se eu tivesse sido criada num orfanato e nunca tivesse conhecido vocês.

Nesse momento, Manuela se joga aos pés de Samara...

Manuela: Me perdoa, Samara! Eu te imploro, eu amo você.

Francisco: Samara, perdoe sua mãe, nós só pensamos no seu bem.

Samara: Não. Eu jamais irei perdoá-los, eu to com muito ódio de vocês! Me esqueçam!

Manuela (Chorando): Samara, por favor... Me perdoa.

Francisco: Calma Manuela, deixa ela ir e esfriar a cabeça. Depois conversamos com ela, vamos para o quarto, você precisa descansar...

Manuela foi para o quarto carregada por Francisco, em estado de choque...

Geórgia: Me ajude a levantar, Vinícius.

Vinícius: Levante sozinha, ou então fique no chão que é o seu lugar. Você é um monstro, Geórgia. Você destruiu a vida de todo mundo. Eu tenho nojo de você, nojo!

Geórgia: Vinícius volte aqui... Filho...
***

Três meses se passaram e Samara e Raul inauguravam a Night Lover´s...

{Trilha Musical: Find Me - Sigma & Bird}

Érica: Samara que sucesso é esse?

Samara: Gostou, Érica?

Érica: Adorei! Eu nem ia vir, mas o Vinícius me convenceu. Confesso que vou virar freqüentadora. Todo sucesso do mundo pra ti, você merece.

Samara: Eu fico feliz em saber disso, muito obrigada. E vocês, como estão?

Érica: Graças a Deus o Vinícius aceitou ser só meu amigo... E por falar nele, olha ele aí.

Vinícius: Falando de mim? Só espero que seja coisa boa.

Samara: É sim, seu bobo. Bom, agora eu preciso recepcionar os outros convidados. E vocês fiquem a vontade, aproveitem à festa e divirtam-se!

Érica: Obrigada! Que bom ver esse entusiasmo na Samara, né?

Vinícius: É verdade, Érica. A Samara tem sofrido muito nos últimos tempos. Espero que daqui para frente ela só tenha felicidade.

Érica: Mas você também merece ser feliz viu, Vinícius. Todo esse bem que você deseja a Samara e aos outros, tenha certeza de que você vai receber de volta.

Vinícius: Você também merece toda felicidade do mundo, Érica.

Num outro canto da festa...

Samara: Amanda! Você veio com esse barrigão?

Amanda: E por acaso, você pensou que eu iria deixar de prestigiar uma amiga como você? Olha o sócio ai, tudo bem Raul?

Raul: Como vai, Amanda?

Amanda: Nós estamos bem, e você?

Raul: Maravilhosamente bem e muito apaixonado. - Diz dando um beijo em Samara.

Samara: Mas me diga uma coisa, de quantos meses você está?

Amanda: Quase oito. Logo, logo a Liliane vai nascer.

Samara: Bonito nome. Gostei.

Manuela: Oi, Samara... Raul.

Raul: Oi, Manuela... Francisco.

Samara: Oi... Eu preciso falar com o Vinícius, com licença.

Manuela: Ai, ai... A Samara nunca irá me perdoar.

Francisco: O tempo ira dizer, Manuela. E de certa forma, nós agimos errado com ela.

Raul: Eu vou falar com ela. Vocês fiquem a vontade e aproveitem à festa.

Francisco: Obrigado, Raul. Vamos meu amor?

No andar de cima, Silvia, Alberto e Ellen apreciavam o local...

Ellen: Nossa! O Rio tem casas noturnas maravilhosas, mas esta prometer ser a melhor de todas.

Alberto: Vai ser com certeza, filha. Pelo menos tem tudo para ser... Vamos dançar, Silvia?

Silvia: Não, Alberto. Eu não estou com vontade de dançar além do mais, você poderia pisar no meu pé... Olha só quem chegou, Ellen.

Ellen: Ah, não. O Marcelo parece que me persegue.

Silvia: E a Amanda parece que ainda o persegue. Olha só a marcação serrada dela, foi só ver ele chegar.

Do outro lado...

Amanda: Dança comigo, Marcelo?

Marcelo: Me deixa em paz, Amanda.

Amanda: Sem problemas, eu e a nossa filhota dançamos sozinhas.

Marcelo: Você não pode se mexer muito. Olha o tamanho da sua barriga.

Amanda: Gravidez não é doença, Marcelo. Mas se você vai ficar preocupado, então dança comigo, assim eu não me mexo tanto.

Marcelo: Ta bom. Mas só um pouco, hein?

Do outro lado...

Ellen: Pai, mãe, vamos descer e ver se o ar lá embaixo está melhor, porque aqui em cima já foi poluído.

No andar de baixo, Érica viu a seguinte cena, Rodrigo e Lívia juntos. Seus olhos se encontraram com os de Rodrigo, que beijou Lívia...

{Trilha Musical - Kiss Me - Ed Sheeran}

Vinícius: Que foi, Érica?

Érica: Não foi nada, Vinícius...

Vinícius: Vem cá.

Vinícius percebeu e beijou Érica, deixando Rodrigo enciumado...

Érica: O que foi isso, Vinícius?

Vinícius: Me desculpa. Mas é que eu vi o Rodrigo com a Lívia e quis te dar uma força. Ele saiu muito nervoso, quase me mata só com os olhos.

Érica: Você não deveria ter feito isso... Mas valeu pela força.
***

Todos aproveitavam à festa, quando Samara e Raul fariam um comunicado...

Raul: Pessoal, silêncio, por favor! A Samara vai falar.

Samara: Bom, eu prometo ser breve. Eu não quero atrapalhar a diversão de vocês. Essa casa noturna foi construída com muito carinho para vocês que freqüentam as noites cariocas. Eu garanto a vocês que depois da Night Lover’s, as noites do Rio não serão mais as mesmas. Aproveitem bastante, divirtam-se e amem-se muito, pois o amor está no ar.

Todos a aplaudiram e agora Raul falaria...

Raul: Bom pessoal, eu também quero fazer um comunicado. Eu tenho sido muito feliz desde que voltei a morar no Rio, e o motivo de tanta felicidade tem nome. É a dona do meu coração, Samara. Eu espero poder contagiar a todos com a minha felicidade e fazer com que vocês sejam testemunhas do meu amor por ela...

Raul pegou uma caixinha no bolso e em seguida se ajoelhou diante de Samara...

{Trilha Musical: Say You Love Me - Jessie Ware}

Raul: Samara, você aceita se casar comigo?

Samara (Emocionada): Eu... Nossa! Você me pegou de surpresa. Eu aceito!

Os dois se beijaram felizes e foram ovacionados por todos...
***

FIM DO CAPÍTULO


(A imagem congela nos dois. Em seguida, surge um enorme Coração Partido sobre eles).


{O capítulo se encerra com a música: Say You Love Me - Jessie Ware}.