Decisões: A Regra da Vida- Capítulo 26.(Últimos Capítulos)


Capítulo 26:

Cena 1: Parque Ibirapuera// Interior// Noite//
Natiely está andando e avista Henry, que está sentado em um banco. O coração de Natiely acelera a cada passo que dá, as suas mãos soam, seu corpo está todo trêmulo e a menina chega até Henry.
Henry- {feliz}: Natiely? Que bom te ver aqui, eu vou precisar da sua ajuda, você chegou na hora certa. Eu vou descobrir quem era a Brenda.
Os olhos de Natiely se enchem de água e elas percorrem pelo rosto. O semblante de Henry muda de feliz para horrorizado. A câmera fica lenta e foca no rosto de cada um.
Henry- {desacreditado/com dificuldade/ecoando}: É... Na... Natiely... A Brenda... É você?
Natiely desaba em choro e Henry fica paralisado. O menino levanta-se do bando e seus olhos se enchem de água.
Henry: Como você pôde? Pra que fez isso, Natiely?
Natiely: Me perdoe. No começo era uma brincadeira, mas foi ficando sério!
Henry: Ficando sério? Se realmente tivesse ficado sério você teria dito pra mim quem era você. –{Indignado}- Não me venha com essa de que ficou sério porque isso não cola, isso é mentira, você foi uma mentira, todo esse sentimento, todas àquelas palavras que você dizia, era ume mentira enorme.
Natiely- {sofrendo/chora}: Não fala isso! As minhas palavras não eram mentira, eu te amo de verdade, Henry. Você não tem noção de como eu te amo?
Henry- {grita/desabafa}: Como você tem coragem de me vir com esse descaramento agora, Natiely? Você é uma falsa! Acha que vou acreditar em você? –{Lamenta}- Meu Deus, como eu pude ser tão burro, só de pensar que eu estava falando de uma pessoa que você criou, para você mesma. E você ali, ouvindo tudo, me dando conselhos, fingindo que não sabia de nada. Como pode existir pessoas como você, Natiely?
Natiely: Por favor, acredite em mim, pelo menos agora.
Henry- {decepcionado}: Não dá pra confiar em você mais, tudo em você é falso, você é igual a Brenda, você é uma fake. Você não vale nada.
Natiely: Eu tive medo, me entenda!
Henry: Medo de quê? Eu te falei várias vezes que eu não ligava para beleza, disse que eu ficaria com a Brenda se ela me confessasse a verdade. E o que ela fez? Ficou ali ouvindo tudo e com certeza debochava de mim quando chegava em casa, porque é isso que eu sou para você, um motivo de riso, de chacota. –{Mãos no rosto}- Meu Deus, como você deve ter rido de todos àqueles momentos em que eu ficava me declarando para você e sendo fofo.
Henry chora muito a decepção e Natiely se aproxima dele.
Henry- {despreza}: Sai de perto de mim, Natiely. Você só tem o meu desprezo. Eu não confio em você mais.
Natiely: Deixa eu te explicar o que aconteceu, só me ouve pela última vez?
A câmera fica lenta, Henry e Natiely se olham fixamente e os dois estão chorosos. Henry expressa uma decepção imensa em sua face e Natiely a for da perda de uma das pessoas que ela mais ama.
Henry: Você quer se explicar ou você quer inventar mais mentiras? Porque é isso o que você sempre tem feito.
Natiely: Confia em mim, eu te peço.
Henry- {desacreditado}: Confiar em você? Esse tempo todo eu confiei e olha o que você fez comigo, Natiely. Como eu posso confiar em uma pessoa assim? Você brincou comigo, brincou com outras pessoas e expôs uma pessoa, o que será que a Megan está pensando disso? Você gosta de ser decepcionada? Exposta ao ridículo? Não, eu tenho certeza que não, mas se existe um pouquinho de verdade em você, me responde uma coisa? Por que você faz isso com as pessoas?
Natiely fica pensativa e Henry olha-a, esperando uma resposta.

Cena 2: Mansão Riccari// Sala// Interior// Noite//
Isabela, Mauricio e Jasmín estão sentados no sofá, conversando.
Isabela: E foi assim que as coisas aconteceram, eu acabei arrebentando a cara daquela desgraçada.
Jasmín- {sorrindo}: Ai, amiga, você não existe. É por isso que eu te amo tanto. Você pisa no recalque, sua diva!
Isabela: A sorte dela foi que o Mauricio e a mãe dela me tiraram de cima dela, porque senão iria estar mais quebrada ainda.
Mauricio: Acho que apesar de tudo o que a Beatriz fez, a Isabela não deveria ter essa atitude, porque nós vamos descobrir a verdade e ela vai pagar por tudo.
Isabela: Ainda bem que o Mauricio tocou nesse assunto. Eu preciso da sua ajuda, Jasmín.
Jasmín: Ajuda em quê?
Isabela: O Nicolas e você são bem próximos, até demais para o meu gosto. –{Risos}- Eu queria que você desse um jeito de convencer ele a me entregar as provas que ele tem contra a Beatriz. Eu preciso acabar com àquela vadia, ela vai me pagar muito caro.
Jasmín: Mas é claro, amiga, mas acho que ele não vai me querer nos ajudar. Eu já tentei tantas vezes saber o porquê da Beatriz estar tratando ele tão bem e ele não me diz.
Mauricio: Que tal você trabalhar com o seu poder de sedução?
Jasmín- {convencida}: Ai, amore, eu sei que eu sou muito atraente, mas acho que não vai colar.
Isabela: Acho que você precisa ser mais sexy, Jasmín.
Jasmín: Você está querendo que eu...
Isabela- {interrompe}: Não vai ser a sua primeira vez, amiga, e convenhamos que o Nicolas é um gatinho.
Mauricio- {enciumado}: Eita, o que é isso?
Isabela: Gatinho para a minha amiga, amor. Gatinho pra mim é você.
Isabela e Mauricio se olham e dão um selinho, eles passam o seu nariz no do outro.
Jasmín: Ei, mas o que é isso? Eu não vou ficar segurando vela!
Isabela: Desculpa, amiga, é que eu estou bem carente.
Isabela segura as mãos de Jasmín.
Isabela: Amiga, eu sei que você vai fazer isso por mim, é por isso que eu digo que você é uma amiga maravilhosa, aliás, você e a Naty.
As duas se abraçam.

Cena 3: Parque Ibirapuera// Interior// Noite//
Fade-in- Begin Again- {Taylor Swift}
Henry: E aí, Natiely? Não vai me responder não?
Natiely: Pra quê? Pra você duvidar de mim? Pra dizer que eu sou uma mentirosa e que você duvida de tudo o que eu falo?
Henry- {olhos lacrimejados}: Você não sabe o tanto que você me decepcionou, Natiely. Eu nunca esperava isso de você.
Henry chora, decepcionado e Natiely chora angustiada.
Natiely: Eu realmente não deveria ter feito o que eu fiz, eu sei que foi errado, mas saiba que eu nunca debochei de você. Eu já debochei de outras pessoas sim, mas de você nunca, o seu amor para mim era algo que eu dava importância e sempre quis te falar a verdade e quase te falei isso uma vez, mas depois fiquei com medo.
Henry- {duvida}: Quase me falou? Quando?
Natiely: Aquele dia que você viu a Megan, lembra que eu tinha dito que ia te falar algo?
Flashback:
Henry- {alegre}: Então quer dizer que nós fizemos as pazes?
Natiely: Sim. Você é muito honesto, eu não tenho coragem de ficar com raiva de você.
Henry: Eu odeio mentiras, Natiely. Se mentir para mim, não tem perdão. Eu prefiro que a pessoa fale comigo as coisas antes que eu descubra.
Natiely fica pensativa. O coração da menina acelera, suas mãos soam e tremem.
Natiely- {corajosa}: Henry, eu preciso te contar uma coisa.
Megan- {interrompe}: Com licença.
Fim do flashback.
Natiely: Você não pode me acusar de ter mentido para você por todo esse tempo, porque eu ia ser verdadeira aquela vez.
Henry: Isso não muda o que você fez, Natiely. Por que não me procurou depois?
Natiely: Você não lembra o que disse para a Megan? Você não iria me perdoar. Você disse que nunca iria perdoar quem fosse a pessoa.
Henry: E por que você está aqui me contando a verdade?
Natiely: Porque eu preferi que você soubesse por mim do que por ela.
Henry: Mentindo pra mim de novo! Eu pensei que você estava aqui tendo pelo menos um pouco de consideração pela minha pessoa, mas você veio defender o seu lado, ver se dava pra nós sermos amigos, né Natiely? Mas isso não vai rolar. Chega, acabou!
Henry, com seus olhos lacrimejados olha fixamente para Natiely e depois de alguns segundos, ele vai embora. Natiely permanece no local chorando. A menina senta no banco e chora inconsolavelmente.
Fade-out- Begin Again- {Taylor Swift}

Cena 4: Apartamento de Mariana// Quarto// Interior// Noite//
Mariana está deitada em sua cama, ela aperta o botão de ligar a tela do seu celular, ela vê várias mensagens de Eriberto. A menina ignora as mensagens e senta-se na cabeceira da cama. Seus olhos se enchem de lágrimas.
Flashback:
A mulher se aproxima do homem e aproveita que ele está com um braço machucado e rouba um selinho forçado dele. Mariana chega ao local e fica chocada.
Mariana- {furiosa}: Mas o que significa isso? –{Olha para Eriberto}- Como você pode ter coragem de beijar essa mulher depois do que ela te fez.
Eriberto- {desesperado}: Eu posso explicar.
Cristina- {debocha/venenosa}: Eu disse que você era apenas uma marmitainha desse professor, sua burra!
Os olhos de Mariana se enchem de lágrimas e ela sai correndo.
Fim do flashback.
Mariana: Como que o Eriberto pôde ter ficado com aquela mulher depois de tudo o que ela fez?
Mariana chora agoniada. Depois de alguns segundos, a menina levanta-se, limpa os olhos e vai até a janela.
Mariana- {calma/suspira}: Se acalma, Mariana. Eles não merecem o seu sofrimento.



Cena 5: Amanhece. Fundação Casa// Quarto de Leandro e seus amigos// Interior//
Leandro acorda, ele vê seus amigos com crack na mão.
Leandro: Gente. Essa hora?
Gabriel: Nada como começar o dia cheirando uma pedrinha.
Luis: Você deveria aceitar, tenho certeza que não vai se arrepender.
Lucas: Eu e o Leandro estamos fazendo tratamento com a Rebeca e ela está nos ajudando a encontrar uma forma de esquecer os problemas.
Pedro- {debocha}: Como? Se pegando feito dois viadinhos?
Gabriel- {caçoa}: Vocês dois não andam dando uns beijos e trepando? Vocês só andam juntos.
Leandro: Ninguém pode ter uma amizade mais não?
Luis: Se vocês derem uma cheirada nessa pedra eu acredito que vocês são machos de verdade.
Pedro: O que custa? É só cheirar e pronto!
Lucas: Nós não precisamos provar nada pra vocês. Nós não estamos tendo nada e se vocês não acreditam, nós não podemos fazer nada.
Gabriel: Dois baitolinhas do caralho.
Leandro: Por que vocês não nos deixam em paz? Estamos vivendo a nossa vida e não mexemos com vocês.
Luis: Esse lugar é um tédio.
Leandro e Lucas saem do quarto e os meninos sorriem debochadamente. Pedro, Luis e Gabriel ouvem a voz de autoridades da fundação e colocam as pedras na bolsa de Lucas e Leandro. As autoridades passam direto.
Pedro- {assustado}: Cara, hoje é dia de revistarem os quartos.
Gabriel: Vamos tirar da bolsa dos meninos antes que peguem e nós ficamos sem.
Os meninos vão tirar as pedras da bolsa de Lucas e Leandro, mas eles são impedidos quando um carcereiro chega e manda eles saírem do quarto. Eles saem com medo.

Cena 6: Mansão Riccari// Sala// Interior// Manhã//
Mauricio está na sala inquieto, Bárbara chega e vai até o menino.
Bárbara: E aí, Mauricio? Onde está a Isabela?
Mauricio: Ela foi lá pra cima, ela está muito abatida com esse negócio do pai dela.
Barbara- {preocupada}: Mas ela está chorando toda hora ou ela está mais calma?
Mauricio: Não, ela não está mais calma. É como se a ficha dela não tivesse caído ontem, ela está chorando desde que acordou.
Bárbara: Mauricio, que horror. Essa menina vai acabar entrando em depressão se continuar desse jeito.
Mauricio- {amedrontado}: Não, isso não vai acontecer.
Bárbara: Ela comeu?
Mauricio: Não, nem um pouco.
Bárbara olha para Mauricio, insatisfeita.

Cena 7: Fundação casa// Quarto de Leandro e seus amigos// Interior// Manhã//
Os carcereiros revistam o quarto. Pedro, Gabriel e Luis ficam tensos, Leandro e Lucas ficam tranquilos. Leandro percebe.
Leandro- {linguagem labial}: Tem alguma coisa aí?
Pedro acena a cabeça positivamente e Leandro fica tenso. Os carcereiros continuam olhando.
Carcereiro: Nós vamos olhar nas bolsas agora, ok?
Lucas: Por mim tudo bem.
Os demais concordam e fazem um sinal com a cabeça. Um carcereiro acha duas pedras de crack na bolsa de Leandro e o outro acha uma na mochila de Lucas.
Leandro- {chocado}: Isso não é meu.
Lucas: Não é meu também.
Leandro e Lucas olham para seus amigos.
Carcereiro: Vocês vão explicar isso para a inspetora da fundação.
Lucas- {inconformado}: Isso é injusto!
Os carcereiros pegam Lucas e Leandro e levam-nos. Pedro mostra a gilete disfarçadamente para eles.

Cena 8: Motel// Quarto// Interior// Manhã//
Nicolas está deitado e Jasmín está em cima dele beijando-o. Jasmín para de beijá-lo e senta na cama.
Nicolas- {confuso}: O que foi? Não está gostando?
Jasmín- {finge frustração}: Sabe, Nicolas, eu comecei a pensar na minha amiga Isabela. Eu estou muito chateada porque o pai dela morreu. Eu me sinto tão mal em estar aqui e não estar lá dando forças à ela.
Nicolas: Eu sei que essas coisas são complicadas, mas já que estamos aqui, vamos aproveitar o momento?
Jasmín- {sexy}: Você consegue?
Nicolas: Eu perdi os movimentos da perna, não do....
Jasmín- {interrompe}: Já entendi.
Jasmín dá vários selinhos em Nicolas.
Jasmín: Nicolas, eu estava pensando em uma coisa...
Nicolas- {intrigado}: Que coisa?
Jasmín: Não sei, eu vejo você e a Beatriz tão amigos no colégio, tenho medo de você estar ficando com ela e comigo ao mesmo tempo.
Nicolas: Não, não pense nisso, Jasmín, o que eu e a Beatriz temos não passa de um trato.
Jasmín- {interessada}: Trato? Mas que trato?
Nicolas: Umas coisas que ela fez aí, meu amor.
Jasmín: Agora eu fiquei curiosa. Me conta o que ela fez? Eu prometo que eu não conto para ninguém.
Nicolas: Nós viemos aqui para falar da Beatriz ou viemos aqui para ficar?
Jasmín tira o seu vestido e fica de trajes íntimos. Nicolas fica boquiaberto com a beleza da menina.
Jasmín: Não me deixa curiosa!-{Aproximando}- Uma moça como eu não pode ficar sedenta assim, não é, meu bem?
Nicolas: Depois nós falamos disso.
Jasmín segura o queixo de Nicolas e olha para ele bem sedutora, ele tenta beijar os lábios dela, que vira o rosto. Nicolas está ofegante e sedento por um beijo da jovem.
Jasmín: Só me diga uma coisa. Você tem provas contra ela?
Nicolas- {seduzido}: Sim.
Nicolas beija Jasmín com muito fogo.

Cena 9: Fundação Casa// Sala da Inspetora// Interior// Manhã//
Os carcereiros chegam com os meninos. A inspetora fica surpresa.
Inspetora: O que está acontecendo?
Os carcereiros entregam as pedras de crack nas mãos da mulher, ela fica chocada.
Inspetora: O que significa isso?
Carcereiro: Duas foram encontradas na bolsa dele, -{aponta para Leandro}- e uma no dele, -{aponta para Lucas}- eles negaram ter guardado isso.
Inspetora- {furiosa}: Mas é claro que vão negar. Não querem ser castigados.
Leandro- {surpreso}: Castigado? Mas que conversa é essa? Eu não fiz nada disso...
Lucas: Nem eu. Nós não podemos pagar por uma coisa que não fizemos.
Inspetora: Se isso não é de vocês. De quem é?
Os meninos se olham e não falam nada.
Inspetora: Foi o que pensei. –{Olha para os carcereiros}- Podem levar eles.
Os meninos gritam pedindo misericórdia, mas eles são ignorados.

Cena 10: Mansão Riccari// Corredor// interior// Manhã//
Mauricio e Bárbara batem na porta do quarto de Isabela desesperadamente. Eles não obtêm resposta nenhuma.
Bárbara: Isabela abre essa porta, por favor.
Mauricio: Não precisa abrir, pelo menos dê um sinal de que está aí.
A empregada chega com a chave e eles abrem.

Cena 11: Quarto de Isabela// Interior// Manhã//
Mauricio e Bárbara ficam horrorizados ao verem Isabela desmaiada na cama. Eles sacodem a menina, mas não tem respostas.
Bárbara: Ai, meu Deus, o que essa menina fez?
A empregada acha um frasco de calmante e mostra para Bárbara e Mauricio.
Empregada: Ela tomou muitos remédios.
Os dois olham-se assustados.

A imagem congela em Isabela desmaiada, fica preta e branca, fixando-se em um quadro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário