Decisões: A Regra da Vida- Capítulo 25. (Últimos Capítulos)


Capítulo 25:

Cena 1: Parque Ibirapuera// Interior// Tarde.
Beatriz- {grita}: Olha aqui, garota, eu não estou para rodeios. Ou você diz logo, ou vai se ver comigo.
Mariana- {assustada}: Você está me ameaçando?
Beatriz mexe no seu celular e mostra uma foto de Mariana e Eriberto se beijando no colégio.
Beatriz- {ameaça}: Ou você me ajuda, ou você é expulsa da escola e aquele professorzinho perde o diploma dele. –{T}- E aí, o que você vai escolher?
Mariana- {chocada}: Como você pode fazer isso? Você não era minha amiga, Beatriz?
Beatriz: Bem que eu tive razão mesmo em tirar essa foto. Eu sabia que na primeira oportunidade você me deixaria na mão, sua vaca!
Mariana: Agora é você quem está mostrando que não se importa com a minha amizade. Você não é a minha amiga de verdade.
Beatriz- {furiosa}: Olha aqui, sua lerda, burra, otária. É só você dizer que estava comigo e nada demais.
Mariana: Eu já te disse que não, Beatriz, eu não posso fazer isso. É como eu disse, eu posso ser considerada sua cúmplice. Pede para a Gabriela fazer isso, vocês não são mais amigas do que nós duas?
Beatriz: Eu não quero saber quem é mais amiga, sua idiota. Eu só quero muita gente pra me ajudar nessa. Você não entende que quanto mais gente eu tiver ao meu favor, eu vou ser menos suspeita?
Mariana- {indignada}: Me perdoa, Beatriz, mas eu não posso...
Beatriz: Ok, Mariana, a escolha foi sua. Aguarde até o dia de amanhã... –{Diabólica}- Vai ter uma bela surpresa quando chegar ao colégio!
Beatriz sai e Mariana vai atrás dela.
Mariana- {desesperada}: Não! Por favor, Beatriz.
Beatriz- {maléfica}: Então quer dizer que você vai aceitar a minha proposta?
Mariana e Beatriz olham-se fixamente.

Cena 2: Delegacia// Sala do delegado// Interior// Tarde//
Megan e Natiely permanecem se olhando.
Natiely- {encorajada}: Foi, foi eu sim... Megan.
Megan- {constrangida}: Como você pôde? Como você é capaz, Natiely? Você é um lixo.
Natiely: Eu sou... Eu sou isso mesmo, mas todo mundo comete algum erro. Eu cometi o meu.
Megan- {intrigada}: O que te deu na cabeça para fazer uma coisa dessas, Natiely? Você é louca? Será que não te dá pena ver uma pessoa sofrendo?
Natiely- {envergonhada}: Me perdoa...
Megan: Te perdoar? Como você tem coragem de me pedir para te perdoar depois de tudo o que você fez? Será que você não pensou nem um pouquinho que isso poderia acontecer com você? –{Olhos cheios}- Eu estava vendo algumas conversas, você mandou fotos de mulheres peladas para alguns caras. O que passou pela sua cabeça, Natiely? O que essas pessoas vão pensar se algum dia me verem na rua? Tudo bem que essas fotos não são minhas, mas você acabou com a minha imagem!
Natiely: Eu sei que é horrível o que eu fiz. Eu não posso fazer mais nada do que te pedir perdão.
Megan: Pode, Natiely, você vai pagar por isso. A justiça vai ser feita e com certeza você vai ser a principal vítima dessa justiça...
Natiely: Do que você está falando Natiely?
Delegado: Você pode ser mandada para um abrigo de menores infratores, mas como o advogado apresentou um pedido de intervenção, você ainda não pode ser mandada para lá. Você terá que passar por terapias psiquiátricas.
Megan: Você sabe o que me deixa mais chateada, Natiely? É que você encontrou comigo várias vezes e nunca teve coragem de admitir isso. Você sabia que iria ser descoberta e nunca me disse nada. Você só pode ser louca, não tem condições.
Natiely- {chora}: Eu tive medo da sua reação.
Megan: Se você tivesse sido uma pessoa honesta, se tivesse me contado o que aconteceu, talvez eu entenderia e iria pedir para parar as investigações, mas não, você continuou mentindo. –{Acusa}- Você é tão falsa, mas tão falsa que não teve coragem de admitir para o Henry que você diz ser amiga dele. Ele se apaixonou por você. Eu tenho certeza que você sabe como o coração dele está quebrado por causa disso tudo!
Natiely chora compulsivamente. Megan, com os olhos cheios de água, olha para a menina com desprezo.
Megan: Eu vou te dar uma oportunidade de ser honesta pelo menos uma vez na vida.
Natiely- {confusa}: Como?
Megan: Você vai marcar um encontro com o Henry ainda hoje e vai contar para ele toda a verdade. Se você não contar, amanhã mesmo ele vai saber de toda a história.
Natiely fica tensa com o que Megan lhe diz.

Cena 3: Mansão Riccari// Quarto de Isabela// Interior// Tarde//
Isabela está na cama, seu choro está amenizado, enquanto ela olha pensativa para a parede, seus olhos escorrem lágrimas. Mauricio bate na porta incansavelmente, até que Isabela abre. Mauricio entra e abraça a menina.
Mauricio- {preocupado}: Meu amor, não faz mais isso, minha princesa.
Isabela olha fixamente a parede e lembra-se de algo.
Flashback:
Nicolas- {fala baixo}: Cá entre nós, eu sei de tudo o que está me falando, mas eu não posso perder a chance de humilhar a Beatriz.
Isabela se aproxima de Nicolas.
Isabela: Ah, então quer dizer que você já sabe de tudo, Nicolas? Você sabia que pode ser considerado um cúmplice dela?
Nicolas- {finge}: Eu não tenho provas contra ela.
Isabela- {encurralando Nicolas}: Se não há provas, por que ela está se submetendo a cumprir o que você manda?
Fim do flashback.
Isabela: É isso!
Mauricio que estava abraçando Isabela, se afasta e fica intrigado com o que ela fala.
Mauricio: É isso o que, minha linda?
Isabela: O Nicolas tem provas contra a Beatriz. Ele não quer falar, mas ele tem.
Mauricio: E o que você vai fazer?
Isabela- {puxando Mauricio}: Vamos!
Isabela sai desesperada e Mauricio vai atrás.

Cena 4: Hospital// Quarto de Eriberto// Interior// Tarde//
Eriberto está sentado na maca e alguém bate na porta.
Eriberto- {grita}: Pode entrar.
A câmera lenta mostra Cristina entrando e ela vai se aproximando de Eriberto, que fica chocado ao vê-la. A velocidade da câmera volta ao normal.
Cristina- {cínica}: Oi, Eriberto, tudo bem? Eu estava muito preocupada com você e resolvi fazer uma visita.
Eriberto- {chocado}: Como você pode ser tão cínica assim, Cristina? Como você tem coragem de aparecer à minha casa depois do que fez comigo?
Cristina- {falsa}: Nossa, mas que grosseiro! Eu vim aqui em missão de paz, Eriberto.
Eriberto: Se você realmente quisesse paz, nem isso teria feito, sua descarada, mas você vai pagar, Cristina, nós vamos provar que foi você quem me atropelou!
Cristina: Tente, querido e vai se arrepender do que vai fazer. –{Descarada}- Assim como eu te atropelei, eu posso matar a sua namoradinha. Vocês não sabem do que eu sou capaz.
Eriberto: Você fica longe da Mariana.
Cristina gargalha debochadamente e Eriberto fica surpreso com o cinismo da mulher.
Eriberto: Vai embora da minha casa. Saiba que quando eu estiver melhor, eu vou pedir minhas contas e sumir daquele colégio.
Cristina- {cara de pau}: E como eu vou ficar? Não vou ver esse seu corpinho delicioso todos os dias.
Eriberto: Você não presta, Cristina. Você vai me pagar muito caro.
A mulher se aproxima do homem e aproveita que ele está com um braço machucado e rouba um selinho forçado dele. Mariana chega ao local e fica chocada.
Mariana- {furiosa}: Mas o que significa isso? –{Olha para Eriberto}- Como você pode ter coragem de beijar essa mulher depois do que ela te fez.
Eriberto- {desesperado}: Eu posso explicar.
Cristina- {debocha/venenosa}: Eu disse que você era apenas uma marmitainha desse professor, sua burra!
Os olhos de Mariana se enchem de lágrimas e ela sai correndo. Cristina sorri e Eriberto está com muito ódio.
Eriberto: Desgraçada, você vai se arrepender.
Cristina: Ai que menina chata, eu não sei como você aguenta ela.
Eriberto: Vai embora daqui.
Cristina: Sim, eu vou, mas quando sair daqui, vamos conversar sobre a nossa relação.
Eriberto- {inconformado}: Você é uma desgraçada mesmo, sua ordinária. Vai embora... –{Grita}- Vai embora logo!
Cristina vai embora sorrindo maliciosamente.
Eriberto- {furioso}: Maldita!
O homem pega o celular e faz uma ligação para Mariana. O telefone toca por várias vezes e a menina não atende. Eriberto desliga e faz uma cara de insatisfação.



Cena 5: Mansão Riccari// Sala// Interior// Tarde//
Beatriz chega furiosa e vai até sua mãe, que está triste.
Beatriz: Cadê aquela vagabunda?
Bárbara: Filha, se acalma.
Beatriz: Me acalmar? Eu não estou acreditando que a senhora está me pedindo uma coisa dessas depois do que aquela desgraçada fez!
Bárbara: Eu sei que a Isabela passou dos limites.
Beatriz: Nós vamos embora dessa casa hoje mesmo, né?
Bárbara: Sim, eu tomei uma decisão e queria falar para você o que vamos fazer.
Beatriz- {intrigada}: Que decisão?
Bárbara- {receosa}: Bom, Beatriz... Nós vamos nos mudar para um apartamento, mas eu vou precisar da sua compreensão.
Beatriz- {ansiosa}: Fala logo, mamãe, não faça rodeios.
Bárbara: Eu não posso deixar a Isabela na mão...
Beatriz- {chocada/inconformada}: Vai levar ela com nós? Não isso não!
Bárbara: Não, ela não vai com nós duas, mas eu vou ficar um dia com você e outro com ela.
Beatriz- {desacreditada}: A senhora está brincando com a minha cara.
Bárbara: Não, Beatriz, eu não estou. Eu estou falando sério, seria como se eu tivesse traindo o Renato se eu deixasse a filha dele na mão.
Beatriz- {chantagem emocional}: Mãe, olha o que ela fez comigo. –{Beatriz aponta para seus machucados}- Aquela vadia quase me matou e a senhora ainda vai ter compaixão dela? Eu não posso acreditar que eu estou perdendo a minha mãe para a menina que me odeia e que se pudesse me ter morta, faria isso na mesma hora.
Bárbara: Me perdoa, filha, mas é uma decisão que eu tomei.
Beatriz sobe as escadas, inconformada. Bárbara fica pensativa.

Cena 6: Mansão Bismark// Sala// Interior// Tarde//
Isabela e Mauricio entram ao local e vêem Nicolas lendo um livro. O menino fica chocado ao ver Isabela e o namorado em sua casa.
Nicolas- {surpreso}: Isabela, o que você está fazendo aqui?
Isabela- {olhos marejados}: Olha pro meu estado, Nicolas. Eu estou toda acabada. Olha para os meus olhos inchados de tanto chorar. Eu não sei se você sabe, mas eu perdi o meu pai, alguém matou ele e eu tenho certeza de que você sabe quem fez isso.
Nicolas: Você está insinuando de que essa pessoa seja a Beatriz?
Isabela: Exatamente, Nicolas, aquele dia nós não tivemos tempo de continuar aquela nossa conversa e você ficou fugindo de mim, mas hoje eu saio daqui com o que eu quero.
Nicolas: Eu não sei do que você está falando, Isabela, você está ficando louca.
Isabela- {pressiona}: Cadê as provas, Nicolas? Eu sei que pelo menos de duas coisas você tem certeza, pode não ter da morte do meu pai, mas tem do nudes que vazou e do meu estupro.
Nicolas- {finge}: Eu não sei do que você está falando.
Isabela: Se você não me der essas provas, Nicolas, eu vou acabar com você quando a polícia descobrir toda a verdade, eu vou te acusar de ajudar ela e seus pais vão perder a sua guarda.
Nicolas: Vai embora da minha casa, Isabela.
Isabela- {grita}: Me dá logo essa merda, Nicolas! Para de show...
Nicolas: Eu já disse que não tenho o que você quer.
O pai de Nicolas desce as escadas e vaio até o local, ele chega assustado.
Norberto: Boa tarde, eu sou o Norberto, pai do Nicolas. Eu posso saber o que está acontecendo aqui?
Isabela: O seu filho, senhor Norberto. Ele está acobertando uma bandida.
Norberto- {amedrontado}: O quê? –{Olha para Nicolas}- Isso é verdade, meu filho?
Nicolas- {disfarça o nervosismo}: Não, isso é mentira, pai. Ela está ficando louca.
Isabela: Deixa de ser falso, Nicolas, você me disse que sabia de tudo.
Nicolas- {falso}: Eu não te disse isso, Isabela, para de inventar mentiras.
Isabela: Deixa de ser falso, Nicolas... Pelo amor de D...
Norberto- {interrompe}: Mocinha, por favor, olha o estado do meu filho, vai embora da minha casa, ele já disse que não sabe de nada. Deixa ele em paz. Vocês me dão licença ou eu vou ser obrigado a chamar a polícia.
Isabela sai olhando para Nicolas. O menino fica com medo. Ao ver que Isabela foi embora, Norberto fica na frente do filho.
Norberto: Filho, o que essa menina disse é verdade?
Nicolas: Não, pai, isso é mentira.
Norberto dá um beijo na testa do filho e sobe. Nicolas fica tenso.
Nicolas- {pensando}: Se você não me der essas provas, Nicolas, eu vou acabar com você quando a polícia descobrir toda a verdade, eu vou te acusar de ajudar ela e seus pais vão perder a sua guarda.

Cena 7: Anoitece. Mansão Riccari// Sala// Interior// Tarde//
Isabela e Mauricio chegam, eles vêem Bárbara e Beatriz descendo com suas malas.
Isabela- {surpresa}: Bárbara, você vai embora?
Bárbara se aproxima e segura as mãos de Isabela.
Bárbara: Olha, Isabela, eu prometo que eu não vou te abandonar. Eu vou sair daqui, mas eu já disse à minha filha que vou ficar um dia com ela e outro com você.
Isabela: Bárbara, não me abandona... Eu preciso muito de você. Eu sei que eu te tratei mal no começo, que eu fui grossa, que eu quase te expulsei à ponta pés daqui de casa, mas o que eu menos quero agora é deixar de ser sua amiga.
Os olhos de Bárbara e Isabela se enchem de água.
Bárbara: Eu prometo, Isabela, você pode confiar em mim.
Beatriz, furiosa se aproxima das duas.
Beatriz- {fria/ciumenta}: Cena patética. Já não basta o que você fez comigo e ainda quer roubar a minha mãe, sua desgraçada, vagabunda, eu ainda vou me vingar de você, Isabela.
Isabela- {determinada}: E eu vou mostrar para todos quem você é, Beatriz, o seu dia está chegando.
Beatriz- {indignada}: Eu não vou ficar aqui pra ver uma cena ridícula dessas. Eu vou te esperar lá fora, mamãe.
Beatriz pega sua mala e sai. Bárbara e Isabela se abraçam. Isabela chora.
Isabela: Não caiu a ficha até agora, Bárbara. Eu fiquei sem pai.
Bárbara enxuga as lágrimas de Isabela.
Bárbara: Se acalma, Isabela, vai ficar tudo bem. Eu não vou quebrar a promessa que te fiz. Amanhã mesmo eu venho pra cá para ficar com você.
Isabela: Qualquer ajuda financeira que você precisar, pode me falar, eu prometo que eu vou te ajudar, Bárbara, eu não tenho palavras para agradecer a paciência e o amor que você teve comigo. Você não é a minha mãe, mas tenho certeza que você foi enviada por Deus para me ajudar como ela.
Bárbara: Só fique bem. Hoje o Mauricio vai ficar com você e amanhã eu venho.
Isabela e Bárbara dão um abraço muito forte. Bárbara vai embora e Jasmín chega. Isabela abraça a amiga.
Jasmín: Amiga, a Natiely não pode vir porque ela foi resolver uma coisa muito séria, ela pediu para te avisar.
Isabela- {chora}: Vocês são as melhores amigas que alguém pode ter.
Jasmín- {olhos lacrimejados}: Fica bem, amiga. Nós te amamos.
Isabela e Jasmín se abraçam novamente.  

Cena 8: Rua// Noite//
Beatriz entra no carro e Bárbara também se aproxima do veículo para entrar, mas Mauricio chama a mulher.
Mauricio: Dona Bárbara, muito obrigado por tudo, a senhora é uma pessoa maravilhosa e tem ajudado tanto a Isabela.
Bárbara: Mauricio, agora eu vou precisar mais de você do que nunca. Eu vou vir aqui, mas quem vai ficar com a Isabela todos os dias é você. Cuida bem dela.
Mauricio: Sim, isso eu vou fazer sim, não tenha dúvidas disso.
Bárbara: Que tragédia, hein?
Mauricio: Verdade.
Mauricio e Bárbara olham-se fixamente. A mulher entra no carro e parte. Mauricio fica olhando para o carro que vai sumindo aos poucos.

Cena 9: Parque Ibirapuera// Interior// Noite//
Natiely está andando e a câmera fica lenta a cada passo que a menina dá.
Flashback:
Megan: Você sabe o que me deixa mais chateada, Natiely? É que você encontrou comigo várias vezes e nunca teve coragem de admitir isso. Você sabia que iria ser descoberta e nunca me disse nada. Você só pode ser louca, não tem condições.
Natiely- {chora}: Eu tive medo da sua reação.
Megan: Se você tivesse sido uma pessoa honesta, se tivesse me contado o que aconteceu, talvez eu entenderia e iria pedir para parar as investigações, mas não, você continuou mentindo. –{Acusa}- Você é tão falsa, mas tão falsa que não teve coragem de admitir para o Henry que você diz ser amiga dele. Ele se apaixonou por você. Eu tenho certeza que você sabe como o coração dele está quebrado por causa disso tudo!
Fim do flashack.
Natiely está andando e avista Henry, que está sentado em um banco. O coração de Natiely acelera a cada passo que dá, as suas mãos soam, seu corpo está todo trêmulo e a menina chega até Henry.
Henry- {feliz}: Natiely? Que bom te ver aqui, eu vou precisar da sua ajuda, você chegou na hora certa. Eu vou descobrir quem era a Brenda.
Os olhos de Natiely se enchem de água e elas percorrem pelo rosto. O semblante de Henry muda de feliz para horrorizado. A câmera fica lenta e foca no rosto de cada um.
Henry- {desacreditado/com dificuldade/ecoando}: É... Na... Natiely... A Brenda... É você?
Natiely desaba em choro e Henry fica paralisado.

A imagem se divide em duas, mostrando o rosto de cada um, fica preta e branca, fixando-se em um quadro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário