Temporada de Inverno ❄️⛄️

Sede de Vingança:Capítulo 5




Sede de Vingança

Capítulo 5




Parte 1




CENAS DO CAPÍTULO ANTERIOR




Murilo:Tô sentindo uma pontada no coração,ah,acho que estou morrendo,ai…(ele vira a cabeça)




Joana:Débora?Você matou ele,meu Deus,esqueci que ele tinha problema no coração.




Débora:Eu não matei.(ela tenta acordá-lo) ei,ei,acorda psiu por favor,acorda,eu não acredito.(chorando)




Débora:(desesperada) por que não me falou isso,sua idiota.




Nilsson chega prendendo Débora.




Nilsson:Débora você tá presa!




Débora:Não! (Ela grita desesperadamente)




FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE




CENA 1-Porto Seguro.Noite.EXT




Nilsson algema Débora e ele sai chorando,atrás vem Joana e seus comparsas rindo da cara dela.




Débora:(chorando) Não é justo policial,eu não tenho culpa de nada,ele morreu de problemas dele do coração.




Joana:Que coração o que?Mentira Nilsson,prende essa merdinha logo,ela matou ele,eu vi a hora que ele pediu água e ela colocou veneno só te chamei aqui pra prender ela logo,ela já tava tramando isso para nos prejudicar,por que sabia que a agência estava com problemas financeiros.




Débora:(algemada desesperada) O que?É mentira,é mentira dessa vaca,sua vadia,você me falou que ele tinha problemas no coração.




Nilsson:Tem como provar Joana?




Joana:Claro.Eu vi o remédio dentro da bolsa dela.




Nilsson:Sua bolsa Débora?




Débora:Não mais…




Nilsson:Me dá a bolsa!




Débora:Tá,toma.Você vai ver que não tem nada ai.




Nilsson futuca a bolsa de Débora e acha veneno.




Nilsson:(mostrando o veneno) O que significa isso?




Débora:Não!Não foi eu,foi essa quenga maldita.(desesperada) você me paga Joana.




Joana:Eu?Agora eu tenho culpa, garota?Você tem que ir pra cadeia lá que é o seu lugar.




Débora:Não policial eu te imploro por favor,eu sou inocente!




Nilsson:Eu vou te soltar…




Débora:Sério?Muito obrigada.




Nilsson:Mais na cadeia,agora vamos.




Nilsson sai levando Débora e ela sai gritando.




Débora:Você me paga Joana,eu vou voltar,eu vou voltar pra acabar com você,JOANA…




Aos poucos vão chegando,fotógrafos,pessoas para ver a prisão de Débora.

Jornais e TV noticiam a prisão de Débora.




Joana comemora com seus comparsas.




Joana:Iez, que felicidade,temos que brindar,deu tudo certo.




Max:(comemorando) Verdade (risos)




Joana:Cadê meu champanhe!




Leão:Uma cervejinha cai bem,pra comemorar.




Joana:Cerveja!Cerveja é coisa de pobre,eu quero champanhe,por que eu posso e sou rica,e vamos sair daqui por que o lugar ta se poluindo de gente mal educada e pobre,eu já no posso ver uma pessoa pobre que já começo a passar mal.(risos)




CENA 2-Casa de Débora.INT




Daniel:Nossa cadê a Déu...vou assistir um pouco de TV.




Ele liga a TV.Toma um susto,ao ver Débora sendo presa.




Beth e Daniel ligam a TV no mesmo instante.




Repórter:Estamos aqui ao vivo para falar da prisão da jovem Débora Almeida.A jovem moça é atriz pornô…




Daniel:(assustado) O que isso não é verdade,não é verdade,não.(saindo lágrimas dos olhos).




Beth:(desesperada) Ai minha filha por que? eu acho que vou desmaiar.




Maria:Mãe,acorda por favor!(chorando)




Repórter:E as informações que nós temos é que ela ia gravar seu último filme,mais assassinou um homem,não sabemos o motivo mas estamos aguardando mais informações.




Daniel:Essa vagabunda me enganou esse tempo todo!Vadia.Eu preciso ligar para dona Beth,se ela não sabe é melhor eu avisar pois é capaz de dar um treco.




Daniel liga para Beth.




Daniel:(chorando)Dona Beth,a senhora já sabe?




Beth:Ai meu filho,sei sim,eu to acabada,não consigo aceitar que minha filha poderia ter feito isso.




Daniel:Nem eu,eu sempre estive com ela,falei que se precisasse um ajuda o outro eramos um casal,agora aquela quenga faz isso,me desculpa dona Beth,mais eu não vejo ela mais como minha mulher.




Beth:Entendo,você tem todo direito,mais ela é minha filha e eu sempre vou estar com ela.Você pode me levar na delegacia?




Daniel:Sim,vou conversar com ela,vê se ainda o nosso relacionamento vai continuar.Por que depois disso nem sei mais quem é ela.Vou me arrumar e nós vamos dona Beth.




Beth:Tá meu filho,te espero.




CENA 3-Presídio.INT




Zaira vai visitar Márcia.




Carcereiro:Tem visita pra você.




Carcereiro leva Márcia para encontrar sua mãe.




Márcia:Ai mãe é você que bom.Cadê minhas filhas.




Zaira:Estão na escola,eu vim rapidinho também trazer comida pra você,sei que a comida daqui é uma merda.




Márcia:É mesmo mãe esqueci...obrigada mãe.




Zaira:Como tá aí?




Márcia:Levando né mãe,esperando passar os 4 anos que aquela vadia da Joana me fez,mãe eu vou falar pra você,eu me arrependo amargamente de ter ido pra essa merda dessa agência e se eu pudesse evitaria todos de ir pra ela,Joana é maldosa,ela não quer o bem de ninguém,só quer prejudicar as pessoas.




Zaira:Mais fica bem minha filha,vai passar rápido e sua família sempre estará aqui com você,nós te amamos.




Márcia:Ai mãe...também amo vocês.(emocionada)




Parte 2




CENA 4-Presídio.INT




Pabllo Vittar-K.O




Débora chega na porta da delegacia e vê jornalistas, muitas pessoas, e sua mãe e Daniel.




Débora:Meu amor...mamãe (ela tenta abraçar os dois)




Daniel:Que papelão em Débora...acabou!




Débora faz gestos com a boca.




Débora:Me perdoa.




Repórter:Débora como tudo aconteceu?Qual foi o motivo que você matou ele?




Jornalistas perguntam ela,mais ela não fala nada.




Repórter:Débora nós conte sobre a morte de Murilo Santos




Débora:Eu não vou falar nada,da licença.




CENA 5-Presidio.INT




Daniel e Beth entram no presídio e ele começa a humilha-lá.




Beth:Minha filha por que você fez isso?




Débora:Mãe me perdoa mãe.(chorando)




Beth:Claro minha filha (Ela abraça Débora)




Daniel:Nem acredito que essa mulher que eu amava tanto,agora é uma presidiária que pena,que você seja feliz na prisão,acabou tudo entre nós,os planos que a gente tinha foi tudo por água á baixo.




Débora:(ela ajoelha nele) Não meu amor,por favor,não faz isso comigo eu te amo,eu te amo Daniel,não.




Daniel:Sai...Eu acho que não tenho mais nada pra fazer aqui né.




Daniel:Adeus Débora.Tchau dona Beth,se cuide.




Beth:(chorando)Ai meu filho,não faz isso com ela,dá mais uma chance,eu sei que ela errou,mas não á abandone,pense nesses 3 anos juntos.




Daniel:(angustiado)Talvez eu possa voltar dona Beth,mais agora eu preciso ficar sozinho,refletir.




Beth:Tudo bem meu anjo,pode ir (ela abraça ele)




Daniel:(chorando) tchau Débora.




Débora:(chorando) tchau meu amor.




Nilsson:Vamos pra cela Débora,daqui 4 dias é o seu julgamento.




Beth:Vai dar certo minha filha,eu tenho certeza eu to com você,conta comigo.




Débora:Brigada minha mãe.




Débora abraça Beth.




Nilsson:Vamos.




Débora:Vamos.




Katy Perry-Roar




CENA 6-Presidio.INT




4 dias depois




Julgamento de Débora e Clara.




Juiz:Vamos iniciar o julgamento de Débora e Clara.Que entre a testemunha Joana Medsen.




Débora:Não acredito.




Clara:Calma,essa vaca não vai conseguir.




Juiz:Promete falar a verdade,só a verdade,nada mais que a verdade?




Joana:Prometo.




Juiz:Pode começar.




Joana:Então eu sou dona de uma agência de filmes pornô,e nesse dia a Débora foi lá acertar a sua saída,foi aí que eu falei com ela que precisava gravar mais um filme…




Juiz:Agora que entre a testemunha,o senhor Leão Dias.




Clara:(preocupada) Não meu Deus.




Juiz:Promete falar a verdade,só a verdade,nada mais que a verdade?




Leão:Prometo.




Juiz:Pode começar.




Leão:Eu trabalho na agência também e a Clara trabalha lá também á 8 meses como vendedora dos filmes,só que anda roubando muito dinheiro e traficando junto com a Márcia que já está presa.Ela também é minha vizinha de rua e eu peguei ela traficando junto com o Nilson que é o policial daqui,espero que ela seja presa pois ela é um perigo para a sociedade...




Fala de joana e Leão silenciam e Juiz da 5 minutos de intervalo para voltar com a sentença.




Juiz:Voltamos com o julgamento de Clara e Débora,eu já tenho a sentença.Já que o policial Nilsson achou veneno mesmo na bolsa de Débora e que a dona Joana Medsen falou a verdade eu condeno Débora há 4 anos de prisão.




Instrumental Suspense




Público:Oh!




Débora:(gritando) NÃO!




Juiz:(batendo o martelo)Silêncio,Silêncio.




Juiz:Continuando,Já a Clara,como o senhor Leão pegou ela traficando droga,eu também á condeno 4 anos de prisão.




Juiz:O Tribunal está encerrado,obrigado! (Bate o martelo)




Débora:(chorando)Meu Deus…




Clara:(desesperada)Não,Não.




(Congela em Clara e Débora desesperadas)




FIM DO CAPÍTULO...

Nenhum comentário:

Postar um comentário