Mulher de Verdade: S01xE08: Amar é um crime?


MULHER DE VERDADE- EPISÓDIO 8

“AMAR É UM CRIME?”

ESCRITO POR:
ALEX

PERSONAGENS DESSE CAPÍTULO:

Vivianne Pasmanter (Luara)
Wagner Moura (Nathan)
Dira Paes (Samara)
Cláudio Heinrich (Théo)
Letícia Spiller (Érica)
Selton Mello (Maurício)
Betty Faria (Celina)
Ângela Vieira (Agnes)
Stênio Garcia (Amadeu)
Hanna Romanazzi (Daniela)
Guilherme Leicam (Bernardo)



Luara (Narração)- Nunca tive do que me queixar, sempre levei uma vida tranquila, calma e alguns diriam como perfeita... talvez tenha demorado um pouco pra encontrar meu verdadeiro amor, contradizendo os contos de fadas, mas a verdade é que eu achei e sou muito feliz por esse fato. Mas seria essa a verdadeira felicidade? Até poderia ser, se a pessoa que julgo como a mais importante da minha vida, a minha mãe, fosse mais próxima de mim, contudo se tem uma coisa que tenho de grande é a minha família, principalmente aqueles que são da parte do meu marido... e hoje é mais um daqueles dias maciços de jantar em família:

CENA 01- CASA DE LUARA / INTERIOR / NOITE

LUARA- É sempre muito receber vocês aqui e ter esses momentos em família!

AGNES- Eu que fico agradecida, principalmente pelas noras que meus filhos arrumaram- ri

NATHAN- E pensar que eu não queria ir em Copacabana, naquele réveillon... -diz olhando pra Luara

SAMARA- Nem tudo mudaria, talvez somente as mesmas noras com maridos trocados

Todos na mesa ficam constrangidos...

LUARA- Vou tomar um pouco de ar

Ela sai do ambiente, e seu marido vai atrás:

NATHAN- Você não está chateada com o que ela disse, né? Samara nunca esqueceu o nosso namoro de adolescência, mesmo que hoje esteja com o meu irmão

LUARA- Não é isso... já até me acostumei com a frustração dela, o que me preocupa é esse isolamento da minha mãe, que não saiu nenhum momento do quarto dela

NATHAN- Fala com ela, não é normal essa relação de vocês duas, parece que ela gosta de se manter afastada de você

Amadeu interrompe a conversa

AMADEU- Meu filho, já estamos indo embora

NATHAN- Mas já pai? Tão rápido...

THÉO- O jantar estava ótimo, meu irmão!

DANIELA- Mãe, posso ficar aqui hoje na tia Luara? Não quero ir pra casa agora... – olha disfarçadamente pra Théo

SAMARA- Eu não quero incomodar seus tios, meu amor

LUARA- Imagina, não vai incomodar jamais – dá um abraço na sobrinha

Amadeu, Agnes, Samara e Théo se despedem, e vão embora...

DANIELA- Tia, muito obrigada!

Ela corre para o seu quarto, e lá suspira aliviada...

CENA 02- QUARTO DE CELINA / INTERIOR / NOITE

LUARA- Mãe, preciso conversar com você!

CELINA- O que você quer?

LUANA- Sabe... eu queria ser mais próxima de você, ter essa relação que toda filha tem com a sua mãe, mas vim te fazer uma pergunta: por que você não foi jantar com a gente? Há muito tempo percebo que sempre na presença de Agnes e Amadeu, você se isola e não aparece...

CELINA- Eu estou com muita dor de cabeça, e você vindo aqui me fazer esses questionamentos, só a faz piorar. Por favor, me deixa descansar – ela mente

LUARA- Tudo bem...

Luara, chateada, se retira do quarto de sua mãe

Amanhece...

CENA 03- CASA DA LUARA / INTERIOR / CAFÉ DA MANHÃ

LUARA- Bom dia

NATHAN- Bom dia, meu amor

DANIELA- Bom dia- diz com um semblante triste

NATHAN- Amor, o que acha da gente ir no cinema hoje mais tarde? Faz um bom tempo que não temos um momento juntos

LUARA- Acho perfeito! Mas antes preciso me encontrar com a minha amiga, papos de mulher, sabe?- o beija

DANIELA- Tia, pode me dá uma carona pra faculdade?

LUARA- Claro!

As duas saem e vão rumo à faculdade:

LUARA- Está acontecendo alguma coisa com você? Estou te achando tão triste esses dias

DANIELA- Está tudo bem...

LUARA- Tem certeza?

DANIELA- Absoluta. Obrigada pela carona, tia, depois a gente se fala melhor, tchau

Ela sai do carro e encontra o namorado na faculdade:

BERNARDO- Oi- tenta dar um beijo, mas ela revira- está... tudo bem?

DANIELA- Tudo sim. Vai na frente, que preciso ir no banheiro, na sala nos encontramos

Daniela corre até o banheiro e lá chora compulsivamente, aproveitando a ausência de pessoas ao redor

CENA 4- SHOPPING / INTERIOR / DIA

Celina passeia pelo local... distraída, acaba esbarrando em uma pessoa

AGNES- Celina?

CELINA- Desculpa, não havia te visto

AGNES- Você sumiu...

CELINA- Muito ocupada esses dias – olha pra Amadeu e um clima tenso é gerado – agora eu preciso ir, foi bom encontrar vocês! – ela sai

AGNES- Ela está tão estranha...

AMADEU- Ela sempre foi assim

AGNES- Não quando a conheci, ela te olhou de um jeito diferente... não me diz que tem algo entre vocês, por favor! Eu perdoei da primeira vez, sofri muito e hoje vai ser diferente

AMADEU- Eu juro que não há nada entre nós, aquilo foi um deslize do passado, eu estava carente e aconteceu... mas nunca mais se repetiu e nem vai!

AGNES- Vamos mudar de assunto? Ficou sabendo que aquele brinco lindo que quero está em promoção?

Os dois riem e continuam conversando, com um clima mais agradável

CENA 5- CONSULTÓRIO / INTERIOR / MANHÃ

LUARA- Ai, amiga, estou tão preocupada com a minha sobrinha
ÉRICA- Você se preocupa demais com os outros, é com ela, sua mãe, seu marido... assim vai ficar com cabelos brancos mais cedo- ri

LUARA- Mas agora realmente é sério, é como se aquela alma tão viva que ela tinha sumisse e se transformasse em toda essa tristeza. Já tentei conversar com ela, e nada... eu sempre amei aquela menina mais do que tudo, e sempre a considerei como filha, até mesmo por não poder ter a minha

ÉRICA- Se estiver acontecendo algo mesmo, essa vai ser a forma que ela vai reagir. Eu te aconselho a se aproximar ainda mais, amiga... vai na casa dela, tenta tirar alguma informação de lá, às vezes o que a gente sente vem da nossa própria família

LUARA- Você está certa! Vou fazer isso, mas antes vou dar uma saída e aproveitar um pouquinho da minha vida, como você mesmo disse, não quero ficar de cabelo branco- ri

As duas se despedem, e ela vai ao cinema se encontrar com o Nathan

NATHAN- Está linda, amor!- a beija-  Eu nunca vou cansar de te elogiar, eu te amo demais

LUARA- Percebeu que mesmo depois de anos, nossa relação segue com a mesma vibração de quando nos conhecemos? Tanta gente que com o tempo desgasta o seu casamento, e a gente seguiu o oposto, nosso amor só se fortaleceu durante esse tempo- diz apaixonada

NATHAN- Sim, e vai continuar assim por muito tempo, mas o desafio de agora vai ser escolher qual filme vamos assistir... não sendo essas bobeiras de romance que você gosta, eu topo ver de tudo- brinca

LUARA- Seu bobo!- ri

O casal curte o dia, até que anoitece...

CENA 6- CASA DE DANIELA / INTERIOR / NOITE

Depois de um dia cansativo na faculdade, Daniela chega em casa e se assusta ao se deparar com o seu pai:

THÉO- Está vendo essa arma aqui? – aponta pra menina – Ela vai ser disparada, caso você abra essa sua boquinha e conte pra alguém, mas a questão é: quem vai ser a vítima? Sua mãe ou a “Tia Luara”- sorri debochado

Ela treme e suspira fundo

THÉO- Calma- diz a acariciando e colocando a arma sobre a mesa- sua mãe saiu e quando voltar vai ficar feliz em saber que o papai cuidou bem da sua filhinha- gargalha

Forçadamente, ele leva a menina até o quarto e lá inicia a ação desprezível...

Enquanto isso, Luara resolve seguir o conselho de sua amiga e vai até a casa de Daniela... ao chegar lá, ela vê que a porta está um pouco aberta, e entra. Gemidos são ouvidos e choros também são percebidos, e sem mesmo ter visto a cena, já se passa na cabeça dela o que está acontecendo e agindo por impulso, ela observa a arma na mesa e a pega enquanto sobe as escadas devagar rumo ao quarto... a cada passo que é dado, a situação fica mais desesperadora e ao olhar no fecho da porta, uma lágrima escorre em seu rosto

Segundos se passam... e um disparo é ouvido

CENA 7- CASA DE DANIELA / INTERIOR / NOITE

Samara chega do cabeleireiro e fica desesperada com o barulho de tiro ouvido:

SAMARA- Amor? Filha? O que está acontecendo?- grita

Lá encima:

Uma poça de sangue é vista nos lençóis, e percorre todo o quarto, dando ao lugar uma aparência de terror, e sobre ele está o corpo de Théo, imóvel. Daniela fica traumatizada com a cena e Luara chora ao perceber o que fez... Passos são escutados na escada

DANIELA- Corre, tia, vai embora- desesperada

LUARA- Eu não posso, tenho que pagar pelo que fiz- soluça

Samara chega e fica chocada ao ver o estado do local, seu coração acelera vendo o seu marido caído, morto

SAMARA- NÃOOOO!!!!!- diz chorando

Olha pra Luara e vê um revólver em sua mão:

SAMARA- Foi você, né? Sua assassina, você matou o meu marido!- grita- Eu sempre soube que você sentia inveja de mim e da minha felicidade, mas você foi longe demais. Isso não vai ficar assim, eu vou chamar a polícia!

DANIELA- Não, mãe, ela estava me defendendo!- diz apenas com roupas íntimas no seu corpo- Você nunca se deu conta do que esse monstro fazia comigo?

SAMARA- Não interessa! Ela o matou, e vai ser presa por causa disso

Samara pega o seu celular e chama a polícia, Daniela corre pra abraçar a sua tia, que não conseguia responder nada pelo estado de choque em que se encontrava. Em questão de minutos, os policiais chegam e algemam Luara

DANIELA- Não, por favor, não levem a minha tia! Ela não tem culpa de nada- chora

Luara é levada até a delegacia, e alguns policiais ficam pra averiguar o quarto. Samara puxa Daniela até um canto:

SAMARA- Ninguém precisa saber o que aconteceu de verdade aqui, ouviu?- diz envergonhada- Ele era inocente e morreu como um herói! Pelo menos é isso que todo mundo deve pensar- ameaça

Daniela fica com medo...

CENA 8- CASA DE LUARA / INTERIOR / NOITE

O telefone toca e Nathan atende:

NATHAN- Alô?

DELEGADO- Olá, Nathan... estamos ligando pra você para informar que sua esposa acaba de ser presa por homicídio

NATHAN- Isso não é possível, deve haver algum engano

DELEGADO- Venha até a 16º DP e veja se é engano ou não, com os seus próprios olhos

Ele pega o seu carro e corre até lá... ao chegar encontra Luara algemada e com lágrimas no rosto, ao seu virar vê sua mãe e seu pai devastados, ambos já haviam recebido a notícia e por fim, também vê Samara e Daniela sentadas nas cadeiras da delegacia

NATHAN- O que houve?- preocupado

AGNES- Essa mulher matou o seu irmão! Eu perdi o meu filho, ele matou o meu filho!- chora e grita, sendo consolada por Amadeu

A ira toma conta de seu corpo:

NATHAN- Não, não... não pode ser- se volta pra ela- POR QUE VOCÊ FEZ ISSO?- inconsolável

Luara se espanta com a atitude do marido, porém não consegue dizer nada

NATHAN- Sua assassina! Por que eu fui me casar com uma pessoa tão suja como você? Eu te dei amor, carinho, uma família e é isso que você faz comigo? Quando dizem que não conhecemos a pessoa com quem casamos de verdade, todo o tempo estavam certos... você é uma imunda- cospe nela

LUARA- Eu matei por legítima defesa

NATHAN- MENTIROSA!

Daniela tenta intervir, mas sua mãe impede

DELEGADO- Chega! Estamos em uma delegacia e eu exijo respeito. Eu sei o quanto você está surpreso e magoado, mas precisamos tratar sobre uma questão: Por possuir ensino superior, ela será levada até uma cela especial... mas a família deseja contratar algum advogado para o caso?

NATHAN- De jeito nenhum! Ela merece mofar nessa cadeia

Luara é levada até a cela, já Nathan se junta à sua família e sofre pela perda de seu irmão

CENA 9- DELEGACIA / CELA / INTERIOR

Após ser deixada naquele ambiente pavoroso, Luara fica aos prantos, ressentida pela maneira que o marido a tratou e por ele não ter acreditado na sua versão da história. Flashbacks se passam pela sua cabeça:

Praia de Copacabana- Réveillon de 2000

O ano novo é comemorado como nunca antes, afinal era a grande virada do milênio:

LUARA- Feliz ano novo, amiga- a abraça

ÉRICA- Feliz ano novo!- sorri
As duas olham a queima de fogos, até que Luara é atingida por um banho de champanhe:

NATHAN- Meu Deus, desculpa! Juro que não foi minha intenção fazer isso com você- olha pra ela encantado pela sua beleza

LUARA- Imagina, moro aqui perto, depois troco de roupa- o
entreolha

NATHAN- Menos mal!- ri e se despede

ÉRICA- Hmmm, amiga, parece que alguém vai começar o novo século muito bem, hein?

LUARA- Para de palhaçada!

As duas riem sem parar

Fim do Flashback!

LUARA- É... realmente não sabemos com quem casamos de verdade

Amanhece...

CENA 10- SELA / INTERIOR / MANHÃ

POLICIAL- Ei, acorda, tem visita pra você

LUARA- Já estou indo...

Ela levanta e se move até a sala de visitas:

ÉRICA- Amiga, o que aconteceu?

LUARA- É tão bom te ver!- dá um abraço apertado- Eu matei o Théo, por defesa à minha sobrinha. Segui seu conselho e fui lá procurar a Daniela e conversar melhor com ela... mas quando cheguei tinha uma arma na sala, eu peguei ela e sem pensar, atirei nele, quando o vi estuprando a própria filha- desabafa

ÉRICA- Meu Deus, isso é muito sério, Luara. Essa sua prisão é muito injusta, mas seu marido já deve ter procurado um advogado pra te tirar daqui, não é?

LUARA- Não, Érica... ele não quis nem ouvir e acreditar em mim, me humilhou e acha que matei o irmão dele por crueldade- chora silenciosamente

ÉRICA- Eu sinto muito, amiga... mas e a Daniela, ela não falou nada pra ele? Que você estava defendendo ela?

LUARA- Não, mas não a culpo, ela está abalada e deve estar fazendo isso pra se proteger

ÉRICA- Eu vou te tirar daqui!- dá as mãos pra sua amiga, que solta um pequeno sorriso

POLICIAL- O tempo acabou

Érica sai da sala e pega o seu celular, procura por “Maurício”, um amigo advogado nos contatos e disca:

ÉRICA- Maurício, eu preciso muito de você!

MAURÍCIO- Pode falar

ÉRICA- Uma amiga minha foi presa por assassinato em legítima defesa, mas as circustância apontam para o contrário. Eu sei que você tem capacidade de provar a inocência dela

MAURÍCIO- Tudo bem, vou pegar esse caso, por consideração à você, mas me diz aonde ela está presa

ÉRICA- 16º DP, aqui na Barra. Você precisa agir logo, ou ela vai ser transferida para o presídio de Bangu

MAURÍCIO- Pode contar comigo!

ÉRICA- Nem sei como agradecer

Ela desliga o celular e se sente mais aliviada

CENA 11- CEMITÉRIO / INTERIOR / MANHÃ

O corpo de Théo é enterrado, e todos que compareceram ao sepultamento vão embora, mas Nathan fica e olha pro túmulo do irmão:

NATHAN- Meu irmão, como vou sentir falta de você! Crescemos juntos e compartilhamos os melhores momentos das nossas vidas... como foi no primeiro beijo, nas primeiras namoradas, a empresa que construímos juntos. Eu me sinto culpado pela sua morte, afinal fui eu que trouxe aquela mulher pra nossa família

Samara observa de longe:

SAMARA- Você não precisa se sentir culpado, não foi você que apertou aquele gatilho e muito menos disparou, o fato de você ter casado com Luara, não te faz um assassino

NATHAN- Sabe, eu queria entender quais motivos levaram ela à cometer isso, eu não consigo enxergar nenhum

SAMARA- Quando se têm má índole, não é necessário ter motivos. Lembra da nossa juventude? Do quanto nós éramos felizes e apoiávamos, a gente precisa disso, de um ao outro, porque nós fomos os mais afetados nessa tragédia toda

NATHAN- É verdade... –a olha- pensando bem, eu comecei a errar a partir do momento que te dispensei pra ficar com ela, se isso não acontecesse seria tudo diferente hoje

SAMARA- O tempo vai amenizar a dor, por enquanto o melhor a se fazer é se distrair e não pensar nisso. Quer sair essa noite? Sei lá, ir ao algum bar

NATHAN- Topo!- diz com um sorriso triste

CENA 12- DELEGACIA / INTERIOR / TARDE

MAURÍCIO- Oi, é aqui que Luara está presa, não é mesmo?

DELEGADO- Sim, é algum parente e veio visitar?

MAURÍCIO- Não, sou o advogado dela e preciso muito conversar com ela sobre o caso

DELEGADO- Tudo bem, vou liberar a sua entrada

Maurício vai ao encontro de Luara na sala de visitas, e ao ver a moça fica deslumbrado:

MAURÍCIO- Oi, eu sou o advogado indicado pela Érica e vou fazer o possível pra te tirar daqui, mas antes preciso que você me conte detalhadamente tudo que aconteceu ontem

LUARA- Fico muito grata por ter vindo até aqui e por estar disposto a me ajudar

Ela começa a contar tudo e deixa Maurício surpreso com os fatos

MAURÍCIO- Esse caso nem é tão difícil assim de ser solucionado, nós temos uma grande peça-chave na mão e ele se chama Daniela. Vai ser essa menina que vai te tirar daqui!
LUARA- Muito obrigada, de verdade! Pode deixar que quando eu sair daqui eu vou te pagar tudo

MAURÍCIO- Não precisa! Estou trabalhando por consideração à Érica, uma amiga de infância... e se ela é tão amiga assim de você, então pode ter a certeza que você vai ser uma grande amiga minha também- abre um sorriso

Maurício deixa a sala, mas ao mesmo tempo outra pessoa chega pra visitar Luara:

CENA 13- SALA DE VISITAS / INTERIOR / TARDE

LUARA- Mãe?- ela fica feliz em ver sua mãe

CELINA- Você é mesmo uma vergonha pra mim... – a felicidade é desfeita – eu coloquei uma filha no mundo pra ser uma criminosa?

LUARA- Não, você colocou uma filha no mundo apenas por colocar, porque nunca me faltou casa, comida e nem dinheiro... sempre tive do melhor e agradeço por isso, mas me faltou o que mais prezo nessa vida: o amor, e não digo amor de companheiro, porque fui muito feliz enquanto casada, digo o mais importante, o de mãe. Estudei nas melhores escolas, tive a melhor formação e isso não me impediu de assim como você, de ser fechada, sem sentimentos e com soberba só por pertencer à uma classe social mais privilegiada... pelo contrário, me tornei embaixadora de ONG’s pra poder ajudar todas as pessoas que não tiveram a mesma sorte de nascer rica como eu... mas como dizem, dinheiro não compra felicidade e muito menos a atenção de uma mãe- diz revoltada

Celina fica chocada com o desabafo de sua filha

LUARA- Eu aguentei tudo isso, calada, durante todos os anos. Eu aceito de tudo, menos a falta de sua confiança em mim e de duvidar do meu caráter. E o pior é que desde que me casei com o Nathan, você ficou ainda mais distante de mim

CELINA- Você queria o quê? Que eu ficasse feliz me sentindo culpada pelo que fiz? Disfarçando com uma falsa felicidade pra te agradar

LUARA- Culpada de quê? Eu sempre te procurei pra conversar e você teve milhões de oportunidades pra se abrir, mas nunca fez isso

CELINA- Culpada de ter te engravidado de um homem casado, vergonha de ter fugido e nunca ter contado à ele e nem à você. Quando disse que seu pai havia morrido, eu menti... ele está bem vivo e mais próximo do que você imagina: é o Amadeu

As palavras ditas por Celina desmoronam em Luara

LUARA- O quê?- diz surpresa

CELINA- Você casou com o seu próprio irmão. E eu fraca, não conseguia falar, tinha medo da Agnes descobrir a traição, de você me rejeitar por isso... acabei me afastando e dia após dia, carregando o peso dessa culpa. Tudo começou quando ela foi viajar e ficou fora por um ano... eu era amiga e muito próxima dela, por isso fiz companhia ao Amadeu que ficava a cada dia mais carente e quando vi, já tinha acontecido e eu engravidado através disso

Flashback- 1971

CELINA- Hoje eu tomo coragem e conto pra ele que estou grávida! – diz olhando pro espelho – Vamos ter que assumir o nosso relacionamento...

Olha pra fotografia de sua amiga:

CELINA- Desculpa!

Resolvida, ela vai até a casa de Amadeu contar a notícia. Chegando lá, ela observa Amadeu com a Agnes de longe e estranha ao ver ela com um bebê no colo

AGNES- Nathan, esse é o seu papai! Dá oi pro papai- diz alegre

Arrasada, Celina sai correndo e deixa o local, sem ninguém ter a visto

Fim do Flashback!

CELINA- Foi então, que vi ela voltando da viagem com o bebê que tinha nascido durante o tempo que ficou fora, era o Nathan e a partir desse momento, nunca contei pra ele e pra ninguém. Sumi por um tempo e quando voltei você já era uma menina crescida

LUARA- Como você deixou isso acontecer? Você é um MONSTRO!!- diz sentindo nojo

CELINA- Eu só quero o seu perdão, por favor, só clamo por isso. Eu admito que nunca fui uma mãe de verdade- chora

LUARA- Eu não vou te perdoar! O que você fez passou dos limites e só foi pensando em você, em nenhum momento percebeu o quanto me prejudicava e à eles, eu vivi todos esses anos achando que não tinha um pai! Você me privou de uma figura paterna, daquele herói que toda filha enxerga no homem que a colocou no mundo... me iludiu e me fez cometer o pior de todos os pecados, o incesto

CELINA- POR FAVOR!!!- implora e grita

LUARA- Nunca, nunca, nunca....- em trauma, isso é repetido várias vezes

POLICIAL- Senhora, você vai ter que sair agora, acabou o tempo

Ela é forçada a sair e Luara volta a sua cela, sozinha, aproveita pra desabar e colocar tudo o que sentia pra fora

LUARA- Meu Deus! Por que tudo isso está acontecendo comigo?- chora sem parar e envergonhada por ter se envolvido com o próprio irmão

CENA 14- CASA DA DANIELA / INTERIOR / TARDE

Maurício bate na porta e Daniela atende:

DANIELA- Quem é você?

MAURÍCIO- Sou eu quem vai tirar sua tia da cadeia... mas antes preciso da sua ajuda- ela teme

DANIELA- Claro, entra!

Ele entra...

DANIELA- Então, como posso ajudar?

MAURÍCIO- Ela me contou tudo e já sei que ela foi presa em uma tentativa de te ajudar, e você é a única que pode retribuir essa ajuda, confessando tudo

DANIELA- Eu vou falar... mas antes preciso de uma garantia

MAURÍCIO- Qual garantia?

DANIELA- Minha mãe não vai ser incluída nisso

MAURÍCIO- Tudo bem...

Ele liga o gravador e ela começa a confessar

MAURÍCIO- Perfeito! Vou apresentar isso à um juiz e com toda a certeza vai ser declarada uma legítima defesa.

Daniela sorri

MAURÍCIO- Mas tirando a sua mãe, você não lembra de nenhuma outra testemunha?

DANIELA- Hum... – ela quebra a mente e finalmente consegue pensar – Sim, claro... os policiais, eles me viram apenas com roupas íntimas no dia

MAURÍCIO- O caso está resolvido! – pula de alegria

DANIELA- Obrigado, doutor!

MAURÍCIO- Eu que agradeço

Samara chega nesse instante:

MAURÍCIO- Bom... já vou indo, tchau senhoras!

SAMARA- Quem é esse? Não acha que é muito velho pra você?

DANIELA- Não é nada disso, mãe, ele é só o advogado da minha tia e veio tentar tirar uma informação de mim

SAMARA- E você não falou nada, né?

DANIELA- Eu confessei tudo, mas fica tranquila que eu te protegi...

SAMARA- Quantas vezes eu te falei que não era pra abrir essa boca? A Luara não pode sair da cadeia!

DANIELA- Ela é inocente, tenho que ser grata eternamente por ela, me livrou de um abuso sexual que sofria há anos, de ameaças que me fizeram sofrer e chorar todos os dias... enquanto isso, você apenas usa isso pra se aproximar do Nathan. Isso é muito nojento!

SAMARA- Se você colocar tudo a perder, te exporto pra Europa e você nunca mais volta pra cá! Às vezes queria que o Théo ainda estivesse vivo, porque querendo ou não, ele era o único que conseguia calar a sua boca- sobe as escadas depressa

O coração de Daniela parte ao escutar aquilo, as palavras se repetem em sua mente e ainda se recuperando pelo que sofria, ela chora por não reconhecer mais a mãe, e pensa se realmente valeu a pena ter protegido ela

CENA 15- CASA DA LUARA / INTERIOR / TARDE

Celina chega devastada, porém aliviada de ter jogado todo o peso que carregava nas costas por anos pra fora, ela encontra Amadeu, Agnes e Nathan conversando lá:

CELINA- Desculpa incomodar, eu só vim buscar minhas coisas, já que minha filha não mora mais aqui

Entra em seu quarto, faz as malas e leva tudo que é de mais valioso pra ela (fotografias, jóias, roupas...). Ela escuta no outro cômodo:

AMADEU- Meu filho, não vale a pena sofrer por ela... aquela menina é um bicho e você se livrou dela, mesmo que tenha sido da pior forma

Vai até a sala se despedir daqueles que conviveu por um bom tempo... mas visto que poderia ser a última vez que os encontrara, ela resolve abrir o seu coração:

CELINA- Eu pretendo viajar, dá um bom tempo daqui e pensar muito no que fiz. Não consegui o perdão da minha filha, e provavelmente não conseguirei o seu, Amadeu, mas isso nos remete ao tempo que nos envolvemos... eu nunca te contei, mas durante esse tempo, eu fiquei grávida de uma filha sua, contudo tive medo de afetar a sua família, quando vi que Agnes voltou com um filho seu, e por isso não te contei

AMADEU- Não me diga que é... – Ela corta

CELINA- Sim, é a Luara

Todos na sala ficam perplexos, exceto Agnes que por algum motivo não estava surpresa

NATHAN- Eu me casei com a minha irmã? – incrédulo

AMADEU- Não acredito que você tirou de mim, a minha filha- com raiva

CELINA- Desculpa... eu não queria isso, estava com medo e não podia destruir a sua família- Ela sai correndo e deixam todos pra trás, impressionados com a revelação

CENA 16- DELEGACIA / INTERIOR / NOITE

Luara está dormindo, mas é acordada por um policial

POLICIAL- Ei, levanta... hora de sair daqui

LUARA- Sair como?

POLICIAL- Você está livre!

Depois de dias, Luara finalmente abre o seu primeiro sorriso no rosto. Retira o uniforme da cadeia e na saída encontra Érica e Maurício esperando por ela. Corre pra abraçar a sua amiga:

LUARA- Amiga, muito obrigado, eu te amo!

Se vira pra Maurício:

LUARA- Eu também devo agradecer à você!

MAURÍCIO- É o meu trabalho

Aproveitando a ocasião de felicidade, Maurício aproveita pra dizer o que sente

MAURÍCIO- Eu sei que não te conheço muito... mas desde quando te vi, eu senti um brilho diferente em você, e também me mantive empenhado de te tirar daqui por esse sentimento... queria te conhecer melhor e me aproximar. Quer jantar comigo algum dia desses?

LUARA- Desculpa, agora só quero tomar um banho e aproveitar essa liberdade... não tenho cabeça pra isso. Esses dias foram muitos difíceis pra mim

MAURÍCIO- Tudo bem, eu entendo. Qualquer coisa, meu número está aqui!

Entrega um papel e vai embora

ÉRICA- Uau, amiga, conquistando o coração de outros até nesses momentos- ri

LUARA- Provavelmente o Nathan não vai me deixar voltar pra lá, então eu posso ficar na sua casa?

ÉRICA- Ainda pergunta?

As duas caminham e passam por um bar, lá avistam Nathan e Samara
ÉRICA- Nossa, sua língua é sagrada, só foi falar nele...

LUARA- Amiga, eu vou lá... preciso esclarecer algumas coisas com ele, principalmente o que a minha mãe me falou

CENA 17- RESTAURANTE / INTERIOR / NOITE

NATHAN- Parece que fui atingido por uma avalanche, só notícias ruins estão vindo nesses dias, eu descobri que sou um incestuoso, algo abominável

SAMARA- Mas você não sabia disso, foi um segredo escondido. Não duvido nada que ela já sabia disso também, mas se aproximou por interesse- o deixa pensativo

Luara se aproxima e os dois vêem

SAMARA- Ué, ela já saiu da cadeia? A justiça desse país é incrível mesmo!

Em um ato de surpresa, Nathan beija Samara, e deixa Luara espantada. Sem graça, ela sai do restaurante e vai ao encontro da amiga

ÉRICA- Nossa, parece que a fila andou muito rápido pra ele, né?

LUARA- É... e precisa andar pra mim também

Ela pega o celular emprestado de sua amiga, e liga pra Maurício:

LUARA- Mudei de ideia, eu topo jantar com você!

Eles marcam, e o celular é desligado...

LUARA- É, amiga... a partir de hoje a minha vida muda, vou superar tudo que passei e ser uma pessoa diferente- fala com convicção

Semanas se passam... (Luara se aproxima de Maurício e engata um namoro com ele; Nathan e Samara também ficam mais próximos; Daniela consegue superar o trauma e volta pra faculdade)

CENA 18- FACULDADE / INTERIOR / MANHÃ

BERNARDO- Por que você me evitou todos esses dias?

DANIELA- Meu pai morreu... -mente

BERNARDO- Sei disso, mas te conheço e sei que tem algo a mais, vocês estava bem estranha antes disso acontecer

DANIELA- É muito particular, vamos sair daqui e conversar em outro lugar

Em um espaço mais reservado, ela resolve contar pro namorado o que acontecia:

DANIELA- Eu te evitei porque estava com medo da sua reação... eu andava daquele jeito porque era abusada pelo meu próprio pai- ele fica desorientado- Minha tia descobriu e acabou o matando... Tive receio de te contar, por que qual garoto vai querer ficar com uma menina que já foi estuprada?- chateada

BERNARDO- Nunca, nunca que ia fazer isso- abraça ela- isso é coisa da sua mente. Eu te amo demais e não te abandonaria por isso... Se você tivesse me contado, eu faria de tudo pra te proteger

DANIELA- Ele me ameaçava, dizendo que iria tirar as pessoas mais especiais da minha vida. Desculpa não ter te contado, mas tudo aquilo era horrível e graças à Luara, acabou....

BERNARDO- Quem precisa pedir desculpas sou eu. Me perdoa? Deveria ter te entendido melhor

DANIELA- Não tenho o que perdoar, vamos apagar isso das nossas vidas e traçar um novo começo!

BERNARDO- Com certeza- se beijam

DANIELA- Eu te amo!

BERNARDO- Também te amo demais!

DANIELA- Ainda tem uma coisa que está me deixando chateada...

BERNARDO- O que?

DANIELA- Minha mãe. Por interesse próprio, ela usou meu abuso e foi bem direta quando disse que ele ainda podia estar vivo pra me calar... Ela pode ser considerada cúmplice por isso, de não ter denunciado ele naquele dia. Mas não tenho coragem de entregar ela

BERNARDO- Siga o seu coração. Faça o que você acha certo

Ela fica pensativa, mas feliz de enfim ter se acertado com o namorado

CENA 19- CASA DE MAURÍCIO / INTERIOR / MANHÃ

Sentindo enjôo e tontura há alguns dias, Luara tira da sacola da farmácia, um teste de gravidez que comprou e realiza o procedimento... Dá positivo e ela se surpreende, já que sempre acreditou que era estéril. Uma pequena felicidade toma conta do corpo dela, até ver no indicador de semanas, onde batia com a última relação sexual que teve com o Nathan. Ignora o resultado, joga o teste no lixo e vai tomar o seu café da manhã:

LUARA- Bom dia!

Antes que pudesse completar a frase, sofreu mais um daqueles ataques de tontura

MAURÍCIO- Está tudo bem? Já faz um bom tempo que vejo você nesse estado- pensa- Você está grávida?

LUARA- Eu... não sei. Fiz um teste e deu positivo, indicou 4 semanas, quando ainda estava com o Nathan... mas acredito que seja mentira, eu não posso ter filhos

MAURÍCIO- A medicina às vezes erra, e no fundo sei que você sente que é verdade. Mas não precisa se preocupar... eu conheço algumas clínicas que abortam

LUARA- Abortar?- questiona- Mas eu nunca faria isso. Passei anos acreditando que nunca teria um bebê, e quando chega essa oportunidade, eu simplesmente tiro ele de mim?

MAURÍCIO- Ter filho nessas condições é nojento! Você ainda pode tentar mais vezes... comigo

LUARA- Tem uma vida dentro de mim, não importa quem seja o pai... é uma criança e merece viver, não fez mal a ninguém pra ser morto dessa forma temerosa. Eu sempre apoiei o aborto, em prol daquelas que tiveram que ser forçadas a ter o seu corpo como instrumento de prazer à esses covardes, como era o meu cunhado. Mas desculpa, esse não é o meu caso

MAURÍCIO- E minha carreira, como fica? Já não basta o advogado se envolver como uma cliente acusada de assassinato, como também criar um filho que não é dele e fruto de um incesto. O que a sociedade vai pensar disso?

LUARA- A sociedade é tão errada como qualquer um, e isso não a impede de julgar os outros, só que você esqueceu de dizer que ela não tem nada a ver com as nossas vidas. Eu jurava que você era diferente, mas não... é só mais um desses homens vira-latas que pensam mais em seu benefício próprio e status do que em qualquer outra coisa. Aprenda que nojento não é abdicar de uma obrigação, e sim de se esconder e viver do que os outros pensam, assim como ter todo esse pensamento retrógrado que você tem, onde criar um filho de outra relação é vergonha... e ainda esquece que quando me envolvi com ele e essa criança foi gerada, eu não sabia de nada. Mas sabe o que você vai esquecer agora? De mim!

Ela corre pro quarto e rapidamente começa a aprontar as malas. Maurício a segue:

MAURÍCIO- Eu te tirei daquela cadeia, te inocentei e dei uma chance de recomeço pra você, e me retribui com esse escândalo? Seu direito era de ficar calada e apenas fazer o que estava pedindo

LUARA- Você é pior do que pensava, agora vai jogar tudo na minha cara e exibir todo esse machismo que estava escondido em você

Depois de pegar o básico, ela sai depressa e na porta de saída diz:

LUARA- O restante eu peço pra Érica vir buscar. Adeus!

No fundo escuta um grito:

MAURÍCIO- SUA INGRATA!!!!

CENA 20- CASA DA ÉRICA / INTERIOR / MANHÃ

Luara bate desesperadamente na porta, e Érica abre assustada:

ÉRICA- O que houve?

LUARA- Eu cansei de ser forte, tem uma hora que não dá mais... eu estou grávida do meu próprio irmão, que na primeira oportunidade só me fez humilhar... tentei reconstruir a minha vida, mas acho uma pessoa ainda pior... tenho uma mãe que não me ama e um pai que nem sabe da minha existência. Sou assassina, incestuosa, mal amada e não tenho ninguém- diz aos prantos

ÉRICA- Isso não é verdade! Você tem a mim, eu te amo muito, amiga e nunca vou te abandonar. Quando uns viram as costas pra você, saiba que novas pessoas que te mereçam vão chegar
LUARA- Não, tudo dá errado pra mim, eu ainda não sei porque vivo...

ÉRICA- Luara, nem todas as vezes conseguimos ser fortes, chorar na frente de alguém não é motivo de vergonha, pelo contrário, é uma virtude! Então joga pra fora tudo que você sente, tira toda esse mágoa de dentro de você. Ser uma mulher de verdade não significa ser totalmente certinha, isso não existe... é ter a coragem que você tem pra enfrentar todos os problemas que surgem em nossas vidas, até os piores deles, e no final vencer e isso que vai acontecer com você! Isso é só uma fase, e você vai vencer. Não, você não é assassina, foi um ato de defesa a quem mais amava; não é incestuosa, porque só quem faz esse tipo de coisa e sabe o que está fazendo, é digno de ter esse título; e infelizmente não escolhemos a quem ser amada, mas uma coisa que você pode ter certeza: você é muito amada e eu admiro muito a sua coragem!

Ela se emociona...

ÉRICA- Olha pra mim! Você me promete que vai continuar lutando por aquilo que você defende?

LUARA- Eu prometo!

As amigas se abraçam, e sofrem juntas pela fase vivida

CENA 21- ESCRITÓRIO / INTERIOR / TARDE

Daniela resolve seguir o seu coração e vai até a empresa de Nathan, só que ao chegar no escritório, vê a sua mãe, porém nem isso a intimida:

DANIELA- Tio, eu preciso falar com você, desculpa entrar aqui desse jeito

SAMARA- Realmente, filha, não foi essa a educação que te dei! Como deve ser particular, eu vou saindo...

DANIELA- Não, a senhora fica

NATHAN- É importante?

DANIELA- Muito! É a verdade, que certamente a minha mãe escondeu de você

Samara tenta a cortar, mas interessado, Nathan pede pra ela prosseguir:

DANIELA- Tia Luara nunca matou ninguém, fui eu! Eu matei o meu próprio pai! Mas ela insistiu em assumir a culpa e ser presa no meu lugar, desde então vêm dizendo pra todos que é a pessoa que atirou nele, mas fui eu

Flashback:

Atormentada, Luara abre a porta e os dois se assustam com o revólver na mão dela

THÉO- Abaixa essa arma, pelo amor de Deus!

DANIELA- Tia?- envergonhada e implorando por ajuda

Théo aproveita a distração e vai pra cima de Luara, consegue tirar a arma dela e essa cai no chão. Em um ato de raiva e ódio, Luara tenta espancar Théo. Daniela pega a arma do chão e um disparo é ouvido

Fim do Flashback!

DANIELA- Ela achou que eu já tinha sofrido demais, e combinou comigo em dizer que foi ela que atirou e o matou, incluindo pros policiais. Foi quando a minha mãe chegou e chamou a polícia

Nathan sente o peso da culpa, lembrando de como tratou Luara

DANIELA- Me sentindo na obrigação, ajudei minha tia a sair da cadeia e foi aí que minha mãe começou a me ameaçar, pois usou algo tão sério como alicerce pra se aproximar de você

SAMARA- Isso não é verdade- fala tremendo

NATHAN- Você é detestável, agora eu consigo enxergar que tudo que você a acusava, era o que sentia por ela. Você sempre teve inveja e ao invés de agradecê-la pro resto da vida, pelo que fez pela sua filha, você usou isso pra prejudicar ela e ainda me enganou... agora quem vai chamar a polícia sou eu!

SAMARA- Não... por favor!- tenta ir embora

A tentativa de fuga é frustada pelos seguranças do local, e ela é contida até os policiais chegarem, a levando pra delegacia.

NATHAN- Você é uma guerreira, menina, em busca de justiça, você foi capaz de entregar até a sua mãe. Obrigado por me contar a verdade, fui mais um alienado por ela -a abraça
Daniela comemora... finalmente, todo aquele sofrimento teve um fim... e em um país onde os culpados ficam impunes, finalmente a justiça e a verdade venceu!

Semanas se passam... (Luara se recupera e volta a promover eventos beneficentes; Nathan descobre que sua ex-mulher está grávida; Celina se reaproxima; Samara é julgada e presa por ser cúmplice de estupro, mesmo que seja indiretamente)

CENA 22- EVENTO / INTERIOR / DIA

LUARA- Sejam bem-vindos mais uma vez! É um prazer realizar esses leilões pra arrecadar fundos pra matar a fome de muitas crianças que carecem de alimentos...

Ela termina o discurso e vai até Érica:

ÉRICA- Está impecável, amiga! Você sempre arrasa nessas festas

LUARA- Sem a força que você me deu, isso não seria possível. Tenho a melhor amiga do mundo ao meu lado!

Elas observam uma outra mesa, e tem um homem flertando com Érica:

LUARA- Olha só... Parece que tem alguém que está com tudo aqui- ri

ÉRICA- Depois a gente se fala, vou fingir um esbarrão- gargalha

Celina, diferente, se aproxima de sua filha:

CELINA- Eu preciso conversar com você, por favor, me escuta

LUARA- Tudo bem... vamos pra uma mesa- elas se sentam

CELINA- Então... eu passei algumas semanas fora, pensando em tudo que cometi, e em todo mal que fiz pra você ao longo desses anos. Eu fui egoísta, só pensei em mim e me esqueci o quanto um pai é necessário pra uma filha. Eu deveria ter evitado tudo isso, principalmente quando você casou com o Nathan, mas sem coragem... eu só consegui me afastar de você. Eu fui a pior mãe que qualquer pessoa poderia ter e me arrependo de tudo. Você me perdoa? Se a resposta for não, eu vou entender... eu só queria recomeçar e ter uma chance de consertar essa falha

LUARA- Eu não costumo guardar rancor e vejo que perdoar supera todos os limites impostos pelo orgulho, que é algo terrível; Você pode ter falhado muito, mas se hoje sou essa mulher, é devido também à educação que você já me deu um dia... Eu te amo, mãe e todos merecem uma segunda chance pra mudar e fazer tudo diferente. Se naquele dia não fiz isso, hoje eu te perdôo

CELINA- Nunca te disse isso... mas você nunca foi vergonha pra mim, e sim, motivo de orgulho e no bom sentido- ri- Eu também te amo muito, minha filha

As duas se abraçam e naquele momento, todas as mágoas passadas são deixadas pra trás. Uma voz de fundo é escutada:

AMADEU- Será que cabe mais um nesse abraço?- Lá está ele acompanhado de Nathan e Agnes

LUARA- É claro, pai- emocionada, o chama assim pela primeira vez

AGNES- Eu acho que todos nós devemos desculpas à você... por ter duvidado do seu caráter e de suas ações. Julguei tanto e o mau exemplo estava na minha família, por parte de meu filho, e eu me envergonho muito disso

CELINA- Eu tenho uma grande dívida com você... nossa amizade foi destruída por um erro meu, e ainda escondido de você

AGNES- Na verdade, eu já sabia, Celina- surpreende todos- Eu havia chegado de viagem há alguns dias antes, te vi acompanhada de Amadeu e contratei um detetive pra investigar... ele descobriu o caso e a sua gravidez, foi então que adotei uma criança e disse o tempo todo ser filho do meu marido. Luara e Nathan nunca cometeram um incesto, como você nunca disse nada a respeito, eu fiquei em minha área de conforto e não revelei isso; e na ocasião que você resolveu contar, não achei apropriado, até porque pensava que Luara era uma assassina e estava devastada pela dor da perda de um filho. Você errou, eu errei... e prejudicamos a quem mais amamos. Peço desculpas pra todos vocês, e principalmente pro Amadeu, por ter o enganado por tanto tempo

A revelação que deveria ser recebida por muito ódio e com reações negativas, gerou um grande alívio pra todos, especialmente pra Luara e Nathan:

AGNES- Me perdoam?

AMADEU- Claro que sim! A partir de hoje não haverá mais segredos entre a gente. Vamos todos recomeçar e apagar tudo que foi feito no passado. Pra mim, Nathan sempre vai continuar sendo meu filho, e agora mais do que nunca, possuo a felicidade de ganhar uma nova filha!- beija a amada

Um abraço coletivo e um drink foram suficientes pra celebrar a nova história que seria escrita a partir dali

CENA 23- EVENTO / EXTERIOR / NOITE

Luara e Nathan ficam à sós:

NATHAN- É... tanta coisa mudou desde aquela noite. Eu agi muito mal com você, estava irreconhecível e mal sabia que era por uma pessoa que não valia a pena um fio daquilo

LUARA- Tudo bem, vimos como erros sempre estão acompanhados com a gente. É como se um peso fosse tirado das minhas costas, já posso dormir com a consciência tranquila- sorri

NATHAN- Você acha que um dia haja a possibilidade de tudo voltar como era antes... entre a gente?

LUARA- Talvez um dia sim... aquilo ainda me dói muito, a falta de confiança, mesmo que eu tenha te perdoado. Não é fácil abrir o coração depois de tudo que passei nessas últimas semanas... preciso de um tempo, só pra mim, sozinha e pensando em como vai ser daqui pra frente

NATHAN- Pelo menos sempre vai haver um elo infinito e eterno entre a gente- olha pra barriga dela

LUARA- Com certeza!- ele beija a barriga dela e abraça ela

Toca “How You Remind Me” e a câmera se afasta

Luara (Narração)- Nem tudo sai como planejamos, obstáculos surgem em nossos caminhos para testar a nossa força, e é dela que descobrimos o que tem dentro de nós. Aquela que luta pelo que quer, constrói os seus sonhos e faz o possível pra ter os seus objetivos concluídos, não importando quem seja: dona de casa, empregada, desempregada, rica, pobre, negra, branca, parda, gorda, magra, homossexual ou heterossexual... é uma mulher de verdade! E são as suas ações que a fazem por merecer essa honra.

FIM



Nenhum comentário:

Postar um comentário