Sob o Domínio do Rei - ÚLTIMOS CAPÍTULOS





CAPÍTULO 24
DANI NO CRIME




CENA 1/ BALADA LGBT. CARRO DE BARTÔ/ INTERIOR/ NOITE

Bartô e Bruna Vitória, que se apresenta a ele como Dani, estão no carro.  Ele cheira uma carreira de pó de primeira qualidade, ela bebe cerveja.
Bartô – (oferece) Tem certeza mesmo que não quer?
Bruna Vitória – Vai, quero sim.
Após cheirar.
Bruna – E então, Bartô, você vem sempre aqui?
Bartô – Ai não amiga, sou casado.
Bruna – (surpresa) Sério? Com mulher?
Bartô – Não credo, adoro as mulheres, mas não conseguiria ter intimidade com uma, eu gosto de homem mesmo. E isso desde que me conheço por gente. Mas e você hein dona hétera (sic), que faz numa balada gay?
Bruna – Estava entediada, balada hétero é um pouco sem graça as vezes.  Mas e então vamos voltar lá ou [...] (encolhe os ombros) Ui isso aqui me animou. – referindo-se a cocaína.
CENA 2/ CELA DE JEAN/ INTERIOR/NOITE
Carol e Jean conversam entre as grades da cela.
Carol – Eu juro, Jean, jamais concordaria com uma coisa dessas.
Jean – Eu confio, eu confio sim. Como fui capaz de me engar tanto com Don Armando.
Carol – Meu pai nunca se importou muito com as pessoas, só pensava em dinheiro e poder.
Jean – Eu vou caçar ele, Carol.
Carol o encara apavorada.
Jean – Eu vou caçar, Armando Cardona e todos os seus aliados. Eu não era uma pessoa assim, se existe um Deus como todos acreditam, ele sabe que Jean Ribeiro nunca pensou em fazer maldade para ninguém, mas essa é a vida agora, é a lei.
Carol – (emocionada) Deixa tudo isso, Jean. Foge antes que você perda o controle ou acabem com a sua vida assim como acabaram com a vida da sua mãe e a Ritinha. Foge, foge e eu vou com você pra onde for preciso. Não me importa mais nada, Jean, só importa você, desde o dia que aquele motorista de olhar profundo apareceu na minha casa que nada mais aqui me importa, eu acordo, eu durmo, eu respiro, eu vivo você.
CENA 3/ CARRO DE BRUNA/ EXTERIOR. INTERIOR/ NOITE
Bruna Vitória, para o carro em frente à casa de Bartô.
Bruna – Está entregue – Olha para a casa – Hum que casa maravilhosa, bicha!
Bartô – E acho até que você terá que entrar para conhecer, porque eu não estou com a mínima condição de ir sozinho.
Bruna – Tá tudo bem, eu te ajudo.
CENA 4/ POLÍCIA FEDERAL/ INTERIOR/ DIA
Jean, chega a sala de Irlana, que rindo o indaga.
Irlana – Como passou a noite? Estava confortável a cama? Há esqueci a do seu palácio comprado com dinheiro sujo é melhor né?
Jean – Já posso ir.
Irlana – Por hora, mas a gente vai se ver mais vezes, Jean Ribeiro. Um dia que não está muito longe a cadeia vai ser seu ambiente natural.
Jean – (desafiando) Eu vou pagar para ver Doutora.
CENA 5/ POLÍCIA FEDERAL/ INTERIOR/ DIA
Bruna Vitória, chega a superintendência e ao ver Jean saindo da sala de Irlana, se esconde rapidamente em outra sala. Jean encontra, Aroldo que o espera no corredor sorrindo e de braços abertos.
Aroldo – Jean.
Jean, o abraça.
Jean – Achei que essa noite não passaria mais.
Aroldo – Fica essa manhã toda comigo?
Jean – Sim.
Aroldo – Deve estar morrendo de fome.
Jean – Comeria um boi.
Aroldo – Eu imaginei, vamos.
CENA 6/ POLÍCIA FEDERAL/ INTERIOR/ DIA
Bruna Vitória, corre para a sala de Irlana.
Bruna – Quase dou de cara com Jean Ribeiro.
Irlana – E aí como foi com Bartô?
Bruna – Melhores amigas.
Bruna, ajeita o cabelo e empoderada diz:
Bruna – Dani, está pronta para entrar para o mundo do crime.

Continua...
  

Congelamento final de capítulo Bruna Vitória

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário