Sob o Domínio do Rei - ÚLTIMOS CAPÍTULOS




Capítulo 23 
O Preço da Traição






CENA 1/ FÁBRICA REI DO FUMO. SALA DE REUNIÕES/ INTERIOR/ DIA

Reunidos na grande sala de reuniões, Nathan, Luís, Marcela e Fano, permanecem cabisbaixos, desconfiados, amedrontados.

Jean, Aroldo e Bartô entram. Jean fecha a sala e pede a atenção de todos.

Jean – Bom dia.

O Bom dia é de maneira coletiva porém se alarde, ainda em clima de tensão.

Jean – Bem senhores e senhora (Olhando para Marcela). Convoquei essa reunião logo cedo para lhes informar que hoje mesmo um Juiz de nome Ricardo Brandão expedirá minha prisão preventiva por cumplicidade a falsa morte de Armando Cardona.

Todos de olham espantados. Bartô que estava em pé próximo de Luiz na ponta da mesa toma assento quase sem cor.

Jean – Surpresos?! Eu também fiquei. Armando Cardona, está vivo. A pessoa eu mais admirei, que mais respeitei depois de minha mãe me enganou.

Luís – E enganou a todos. Estou chocado, no chão. (Segurando o queixo) Que tiro!

Jean – Aroldo me garantiu que a minha prisão é o de menos...

Luís – E tem toda a razão, Jean.

Jean – Agora o que realmente me preocupa é que há nesta sala um traidor.

Clima tenso, todos se olham e tornam a encarar Jean.

Jean – Alguém ou mais de uma pessoa sabia de todos os planos de Armando Cardona e o ajudou, foi conivente e sabia que uma pessoa estava sendo enganada.

Luís – Mas Jean, todos nós aqui sabemos que Armando tinha ligações que até Deus desconhece. Quem garante que alguém deste grupo o ajudou ou sabia de todos os seus planos?

Jean – Eu tenho certeza e uma coisa eu garanto a todos vocês. Se há um traidor essa pessoa, seja ela quem for vai pagar com a sua própria vida.

Mais uma vez o clima pesa, troca de olhares e transpirações de medo. Jean, segue perguntando a cada um.

Jean – Luís?

Luís – Jean, pelo amor de Deus, jamais.

Jean – Marcela?

Marcela – Não Jean, você mesmo sabe que eu trabalhei durante quase 20 anos para Don Armando e jamais tive qualquer aproximação dele além da profissional.

Jean – Nathan?

Nathan – Tu sabes que sou advogado e jamais concordaria com uma coisa dessas.

Jean – Será mesmo?! (Encarando, Fano) E você, Fano?

Fano – (Sério, firme) Não, tu mesmo sabes que eu queria estar no teu lugar.

Jean – Porém mudou de planos não é?!

Bartô, permanece na sala, um pouco nervoso e então é surpreendido por, Jean.

Jean – Bartô?

Bartô – (nervosíssimo) Jean, por favor, eu não acredito que está me fazendo uma pergunta assim.

Jean – E quero que me responda, Bartô.

Bartô – Eu tenho nada com a falsa morte de Armando Cardona.

Jean, olha para todos.

Jean – Ok. Todos estão dispensados agora. Obrigado!

CENA 2/ FÁBRICA REI DO FUMO. SALA DE REUNIÕES/ INTERIOR/ DIA

Enquanto a maioria sai da sala, Aroldo parabeniza Jean, com um tapinha no ombro. Bartô se aproxima. 

Bartô – Jean [...]

Aroldo, encara Bartô, e diz a Jean.

Aroldo – Mais uma vez, Jean, obrigado. Até mais meu querido.

Sai.

Bartô – O que foi aquilo, hein?  Perguntar a mim se eu tenho conchavo com Armando Cardona.

Jean – Você é filho dele não é?

Bartô – Você só pode estar maluco, Jean. É o poder que subiu à cabeça é? Cuidado pode estar chegando ao fim.

Dá os ombros a Jean e sai.

Bartô – Vou me embora, boa estadia no xadrez.

Jean, ameaça ir atrás, mas recua.

Jean – Filho da [...]

CENA 3/ FABRICA REI DO FUMO. RECEPÇÃO/ INTERIOR/ DIA

Marcela, recebe Irlana e um outro Policial.

Irlana – Bom dia!

Marcela – Bom dia!

Irlana – O senhor, Jean Ribeiro.

Jean, aparece na porta da sala de reuniões, sem medo.

Jean – Estou aqui!

Irlana, se aproxima o encara e sorri com deboche.

Irlana – Finalmente estou frente a frente com o famoso rei, Jean Ribeiro. É uma pena que as notícias para senhor não sejam tão boas – Sorri – Acha mesmo que vai chegar tão longe como Armando Cardona?

Jean – Não sei do que está falando, minha senhora.

Irlana – (gargalhada) Venha, nos acompanhe.

E sai com Irlana, e seu companheiro.

CENA 4 / RECEPÇÃO. CASA DE CAROL/ INTERIOR/ DIA

Após a saída dos policiais, Marcela corre para o telefone e liga para, Carol.

Marcela – Acabaram de levar o rei para a cadeia.

Carol – Marcela, não me deixe mais pilhada que já estou.

Marcela – Pois então vá vê-lo, eu sei que é isso que você quer. Não seja boba... assim que eu sair do escritório passo aí para te pegar.

CENA 5/ CELA DE JEAN / INTERIOR/ NOITE

Jean, aguarda na cela, a chegada de Nathan.

Nathan – Mil disculpas, Jean.

Jean – (levanta-se e segura-se nas grades) O que houve?

Nathan – Terá que passar a noite aqui, amanhã faço o pagamento da sua fiança.

Jean, desanima e Nathan passa o dedo indicador nos seus dedos.

Nathan – Lamento pelo que está passando, muito mesmo.

Jean, o deixa acarinhar sua mão e não fala mais uma única palavra.

CENA 6/ CELA DE JEAN/ INTERIOR/ NOITE

Carol, chega acompanhada pelo agente prisional que durante o caminho a adverte.

Agente – Minha senhora, a Dra. Liberou porque se trata de um preso celebridade, mas não vai ser sempre assim.

Jean, enxerga, Carol que fica um pouco balançada.

Jean – Carol.

Nathan – Carolina é um prazer vê-la. Até logo.

Nathan, sai.

Carol – Como você está?

Jean – Aqui!

Carol – Eu não sabia de nada, Jean, eu juro, tá me ouvindo?

CENA 7/ CASA DE JEAN E BARTÔ/ INTERIOR/ NOITE

Bartô abre a porta, e Aroldo entra, perguntando por Jean.

Aroldo – E Jean?

Bartô – Não está, provavelmente vai passar a noite preso. O que você faz aqui?

Aroldo – Iria tratar de negócios com Jean. Já vou embora.

Aroldo, vai saindo porta a fora e Bartô lhe chama.

Bartô – Está apaixonado por ele?

Aroldo, vira-se para ele.

Aroldo – O que disse?

Bartô – Que você está apaixonado pelo Jean, e não consegue disfarçar nem pra você mesmo.

Aroldo – Bartô, Bartô, vai com calma com o álcool e com a coca está se tornando um homem descerebrado.

Bartô, fecha a porta com força e apoia-se nela. Em tom de choro.

Bartô – Está apaixonado por ele sim.

CENA 8/ CASA DE JEAN E BARTÔ/ EXTERIOR/ NOITE

Bartô, prepare-se para sair com o carro, e a sua porta um policial à paisana liga para Irlana.

Policial – O moço vai sair... vou informado, mas tá parecendo festa, viu?!

CENA 9/ BALADA LGBT/ INTERIOR/ NOITE

Bartô, chega na festa encarando um rapaz que está próximo do Balcão, e então Bruna Vitória, que agora se chamara Dani, esbarra nele deixando a bebida molhar sua camisa.

Bruna – Ai meu Deus. Olha que desastrada. Mil desculpas.

Bartô – Não foi nada.

Bruna – Preciso ajudar você, vamos sair daqui é muito barulhento.

Bartô, sorri e os dois se encaram como se uma verdadeira amizade já tivesse nascido.



CONTINUA... 

 congelamento final de capítulo Bartô Galeno

Nenhum comentário:

Postar um comentário