Pobre Chique - Capítulo 03

De
EVERTON BRITO



Pobre Chique | Terceiro Capítulo



CENA 01. SHOPPING. SHOW RODRIGO ALARISSE [INT./NOITE]



Gritaria. Várias garotas empurrando as grades, na tentativa de adentrar no show. Os seguranças encontram dificuldade em conter a fúria das fãs que acabaram de descobrir os ingressos esgotados. Algumas até choram. Vemos Maria empurrar e passar dentre as pessoas. Agarra-se nas grades de proteção e fala com um dos seguranças.



MARIA- Ingresso para o show do Rodrigo, moço.

SEGURANÇA- Olha aí, outra desinformada. Os ingressos se esgotaram há uma hora.

MARIA- Não pode ser! Não é possível! Tem que ter algum sobrando, sei lá! Por favor… Olha, eu vim de muito longe, fugi do meu casamento.

SEGURANÇA- Infelizmente não há nada que possamos fazer.



Maria murcha, inconformada, quase chorando. Ela olha os lados. Uma das arrumadeiras do camarim de Rodrigo segue empurrando um carrinho com roupas sujas e produtos de limpeza ao estacionamento interno. Perdemos Maria de vista no meio de todos.



= = CORTE DESCONTÍNUO = =



A Camareira empurra o carrinho pelo estacionamento. Passos. Alguém vem correndo.



MARIA- Moça! Moça.



Revela Maria, correndo. Seu vestido de noiva arrasta no chão, já desbotado. A camareira para. Num ato de desespero, Maria agarra sua mão.



MARIA- A senhora precisa me ajudar, por favor!



CORTA PARA.



CENA 02. BAR. [INT./NOITE]



Bar quase vazio. As poucas pessoas que ali estão bebem para afogar as mágoas, outras simplesmente dormem, achando tudo muito chato. Tadeu sobe num pequeno palco e faz sinal para os tecladistas. Ele começa a cantar e ninguém parece se importar muito. Na tv, um canal pago exibe ao vivo o show de Rodrigo.



TOCANDO Quem é ele?- José Augusto.



TADEU- (Cantando)

Olhando nos teus olhos desconfio

Que existe alguma coisa prá dizer

Me fala de uma vez, não tenha medo

Pois amanhã talvez já seja tarde (bis)

Refrão: (bis)

Quem é ele?

Em que lugar se apaixonou por ti?

De onde ele vem e o que ele faz nas horas livres?

Me diz porque ele roubou assim a minha vida?

É um ladrão que me roubou os sonhos…



Tadeu continua a cantar. Olha para tela. Ao mesmo tempo, takes de Maria sendo carregada dentro do carrinho de roupas pela camareira é mostrado. Volta para Tadeu. As pessoas bocejam.

Seqüencia de CORTES DESCONTÍNUOS entre a Tela, Maria, Tadeu. Essa seqüencia é repetida até o fim da música e termina em Tadeu. Nenhum aplauso. Ele desce do palco.



TADEU- Meus sonhos...



CENA 03. HOTEL APPLAUSE- QUARTO DE DÉSIRÉE [INT./NOITE]



DÉSIRÉE- Cansei!



DÉSIRÉE, alta, magra, cabelos castanhos claros, pele branca, aproximadamente 27 anos. Joga um vestido que apanhou no closet na cama. Procura outro. VALENTINA, alta, magra, negra, 23 anos, tenta convencê-la de não ir atrás do namorado.



VALENTINA- O que você vai fazer é bobagem, Désirée.

DÉSIRÉE- Bobagem? Bobagem não minha filha. Eu sinto aqui no fundo do meu coração que tem coisa aí! Eu vou te avisar uma coisa, se esse safado estiver me traindo. Eu…



Désirée senta-se na cama e chora.



VALENTINA- Ai, amiga, se acalma. Olha só… Respira. Conta até três…

DÉSIRÉE- E o pior que eu amo esse cafajeste. Mas ele pensa que eu vou ficar aqui bancando a otária, ele se enganou. Por que eu sou uma pessoa muito calma e segura de mim, mas não me tira do sério.

VALENTINA- Tudo bem senhora calma e muito segura de si, eu posso saber como você vai achar o bofe?

DÉSIRÉE- (Ajeitando o brinco na orelha) Implantei um chip no sapato dele. Ah, meu amor. De hoje ele não me escapa.



Désirée pega os sapatos, não calça e sai. Valentina corre atrás.



CENA 04. SHOPPING- SHOW RODRIGO ALARISSE. [INT./NOITE]



Maria acaba de sair de dentro do carrinho.



MARIA- (à arrumadeira) Muito obrigada, visse?

CAMAREIRA- Agora vá e olhe… Eu não lhe ajudei.

MARIA- Pode deixar.



A camareira sai. Maria corre pelos corredores. Para e ouve a música e o barulho do show que acontece. Corre mais um pouco e avista os bastidores no corredor que dá ao palco. Adentra e para, encantada. Dominique e Luque a observam, intrigados.



DOMINIQUE- Quem é você e como entrou aqui.



Maria não escuta, sua respiração está ofegante. Seus olhos brilham.



DOMINIQUE- Garota eu tô falando com você. Ei!



Maria corre em direção ao palco.



DOMINIQUE- Volta aqui. Você não pode entrar aí! Seguranças!



Maria invade o palco, gritando desesperadamente por Rodrigo.



MARIA- Rodrigo! Rodrigo!



E para. A música continua tocando, mas Rodrigo para de cantar e observa Maria.



O show para. Rodrigo olha torto para Maria.



MARIA- Rodrigo!

RODRIGO- Quem é essa maluca?

MARIA- Eu sou sua maior fã… Eu preciso falar com você. Eu/



Maria corre até Rodrigo, mas antes de chegar é segurada pelos seguranças. Ela se debata.



MARIA- Não! Me solta! Rodrigo. Me solta!

RODRIGO- Levem essa maluca daqui!

MARIA- (Grita) Não. Ah!



Maria, ao se debater, acaba chutando o rosto de Rodrigo. Rodrigo leva a mão até sua boca, que está sangrando. Ele se exalta.



RODRIGO- Olha o que essa maluca fez! Ela me agrediu.



As fãs começam a vaiar Maria.



MARIA- Desculpa!



Maria é arrastada dali. Seus gritos somem nos bastidores.



RODRIGO- Daqui há 05 minutinhos tem mais RODRIGO ALARISSE!



As fãs gritam, enlouquecidas.



= = CORTE DESCONTÍNUO = =



SONOPLATIA Diz Que Fui Por Aí- Fernanda Takai



A porta da viatura da polícia é fechada. Maria põe a cabeça para fora da janela, chorando. Sirenes soam. A viatura parte.



CENA 05. RUA- CALÇADÃO [EXT./NOITE]



Bela conta o dinheiro e fica indignada. Acabara de sair de um programa.



BELA- Peraí, mas isso não foi o combinado.

CLIENTE- É o que eu tenho pra dar.

BELA- Mas não o que eu cobro!

CLIENTE- Se vira, sei lá, faz mais uns dois programinhas desses e consegue o dinheiro.



Bela balança a cabeça e quebra o retrovisor do carro, arrancando-o. O cara sai do carro, furioso.



CLIENTE- Ficou maluca?!

BELA- Ué, você mandou eu me virar, eu me virei. Isso aqui deve pagar o que você ficou me devendo. Trouxa.



Bela se vira para ir embora, mas o cara a pega pelo braço com força.



CLIENTE- Vagabunda!



E lhe dá uma bofetada. Bela, por sua vez, mete o retrovisor na testa dele, que passa a sangrar. Alguns policiais que estavam ali perto viram a cena.



BELA- Tá pra nascer homem que vai triscar a mão em mim!

CLIENTE- Sua maluca!



Os policiais chegam. Dois deles.



POLICIAIS- O que está acontecendo aqui?

CLIENTE- Essa maluca! Arrancou o retrovisor do meu carro e me agrediu. Olha só seu policial, vê. Tudo por que eu me recusei a aceitar o programa que ela oferecia.

BELA- Isso é mentira!

CLIENTE- Vai negar que você é prostituta, vai?

BELA- Não, mas/

CLIENTE- Viu?



O Policial segura o braço de Bela.



POLICIAL- A senhora me acompanhe até a delegacia por gentileza.

BELA- Mas isso é um absurdo, eu fui agredida!

POLICIAL- Quando a senhora chegar na delegacia, a senhora explica isso ao delegado.

BELA- Vocês não podem fazer isso!



O policial conduz Bela até a viatura. Fecha a porta. Bela observa a cara do cliente, que sorri, satisfeito.



BELA- Seu policial…



Bela encosta sua cabeça na janela. Sente-se humilhada. A viatura parte.



CENA 06. RUA [EXT./NOITE]



A chuva cai forte. Tadeu encontra-se dentro da van, girando chave, tentando fazer o motor funcionar.



TADEU- Pega… Pega… Por favor…



E gira mais algumas vezes.



TADEU- Droga.



Tadeu desiste, abre a porta e desce da van, fechando a porta com força.



TADEU- Nada dá certo!



Tadeu sai andando na chuva, deixando á Van para trás.



CENA 07. RUA. [EXT./NOITE]



As viaturas que levam Maria e Bela vêm em direções contrárias uma da outra. Ambas, Maria e Bela encontram-se cabisbaixas. A chuva molha o vidro da viatura. Dois disparos são ouvidos. CORTE DESCONTÍNUO. Entre Maria e Bela, ambas assustadas. Outra viatura persegue em alta velocidade o carro em que os bandidos que acabaram de assaltar um grupo de turistas estão. Na tentativa de uma ultrapassagem arriscada á viatura acaba batendo na viatura que Bela estava, o policial que dirige perde o controle. O policial que levava Maria tenta frear e consegue, mas a outra viatura caba batendo. Na colisão, Maria vai para frente do carro, batendo a testa no banco da frente. Ela grita. Um grande congestionamento se faz na rua. Maria avista os três policiais fora da viatura. Respira ofegante e vê ali a chance de fugir. Hesitante, ela abre a porta e sai correndo.



= = CORTE DESCONTÍNUO = =



Bela, ainda em êxtase pelo impacto do acidente, avista uma garota vestida de noiva sair da viatura e fugir. Ela olha pela janela, abre a porta e corre também. Os policiais percebem.



POLICIAS- Ei, vocês duas!



Os policias passam a persegui-las. Bela alcança Maria, as duas correm juntas.



MARIA- Quem é você?!

BELA- Se não quiser ir em cana eu acho melhor correr!



As duas já estão completamente molhadas da chuva, sendo perseguidas pelos policiais logo atrás. A cena congela.



FIM DO CAPÍTULO

Nenhum comentário:

Postar um comentário