Temporada de Inverno ❄️⛄️

Castelo de Areia - Capítulo 35.


NO CAPÍTULO ANTERIOR:
Branca arruma encrenca com as presas, elas a agridem.
Flávia vai conversar com Júlia que se irrita e a coloca para fora.
Júlia vai visitar sua mãe, ela conta que foi agredida. Júlia apresenta a ela o advogado Moisés.
O advogado pergunta a Branca se ela é ou não culpada, ela nega.
Alexandre é morto por inimigos que o reencontra no presídio.
Moisés a sós com Branca volta a perguntar se ela é culpada.
FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:


CENA 01 / PRESÍDIO FEMININO / SALA DE VISITAS / INTERIOR / DIA.
MOISÉS - Agora que sua filha já foi embora a senhora já pode me responder a verdade. Você é ou não culpada pelos crimes que é acusada?
BRANCA - Pra que isso hein doutor? Eu já não disse que não sou culpada?
MOISÉS - Dona Branca, eu sou seu advogado. Para mim fazer a sua defesa eu preciso saber de tudo o que aconteceu, de toda a história. Mesmo que a senhora queira ser defendida como inocente, eu preciso saber a verdade, assim eu vou ter como embasar argumentos para defendê-la, caso os que a acusam resolvam a atacar. Mas a senhora não precisa se preocupar, tudo o que é dito entre o cliente e seu advogado não pode ser revelado, seria antiético, e eu poderia ter minha OAB casada se fizesse isso. Confia em mim. Conte a verdade, e depois iremos pensar em como fazer todos acreditarem que a senhora é inocente, ou culpada, do modo em que preferir.
BRANCA - Está bem doutor, eu entendi como tudo funciona. Vou lhe contar tudo!
Ela conta todos os crimes que cometeu.
MOISÉS - Eu não estou aqui para julgá-la. Mais seria melhor se a senhora se declarasse culpada. Talvez até aliviem sua pena. Se a senhora se declarar inocente será difícil provar a sua inocência, já que todas as provas vão contra a senhora.
BRANCA - Eu sei. Eu sei que é difícil de eu conseguir provar que sou inocente, pois nem sou. Mas eu não quero me declarar culpada. Eu não posso! A minha filha acredita na minha inocência, e talvez esse seja o único motivo pelo qual ela ainda me ama e está me ajudando. Eu não quero perder o amor dela, o amor da última pessoa que ainda me ama nesse mundo. Mesmo eu não sendo inocente, eu vou fazer de tudo para parecer.
MOISÉS - Está bem, eu irei trabalhar para que você seja inocente perante a justiça. Por hoje é só, eu já vou indo. Retornarei em breve!
CENA 02 / DELEGACIA / INTERIOR / SALA DO DELEGADO FABRÍCIO / DIA.
FABRÍCIO - Morto? Então o Alexandre morreu na prisão?
POLICIAL - É doutor, ele tinha muitos inimigos que estavam só esperando ver ele de novo para se vingarem.
FABRÍCIO - Agora que a tal Branca ta encrencada mesmo. Agora é tudo na conta dela.
CENA 03 / APARTAMENTO DE CARMELA E CUSTÓDIO / INTERIOR / SALA / DIA.
FLÁVIA - Eu fui ontem ver a Júlia e ela foi super grossa comigo!
CARMELA - O que ela te fez?
FLÁVIA - Veio me empurrando me mandando sair de lá. Mas deve ser porque eu falei que a mãe dela é culpada.
CARMELA - Ué, e não é?
FLÁVIA - Mais pra ela não né… Pra ela a mãe dela é a grande vítima de tudo isso.
CARMELA - Um dia essa garota abre o olho.
FLÁVIA - E você e o papai? Fizeram as pazes?
CARMELA - Não. Seu pai está me ignorando, nem olha mais na minha cara. Por favor fala com ele!
FLÁVIA - Eu vou falar! Eu juro!
ANOITECE.
CENA 04 / MANSÃO BITENCOURT / EXTERIOR / JARDIM / NOITE.
Estela caminha a beira da piscina. Rodrigo a interrompe.
RODRIGO - Estela, eu preciso te perguntar uma coisa!
ESTELA - Diz! O que é?
RODRIGO - Você ainda sente alguma coisa por mim?
CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário