Temporada de Inverno ❄️⛄️

Castelo de Areia - Capítulo 31.


NO CAPÍTULO ANTERIOR:
Branca é presa.
Laerte avisa à todos do que Branca fez.
Júlia não acredita no que dizem a ela.
Todos vão a delegacia, chegando lá o delegado mostra a gravação que prova a culpa de Branca.
Augusto pede para ficar frente a frente com sua filha.
FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:


CENA 01 / DELEGACIA / SALA DE VISITAS / INTERIOR / NOITE.
Augusto senta em uma mesa de frente para Branca que está algemada.
BRANCA - Pai, o senhor veio me tirar daqui?
AUGUSTO - Quieta Branca! Eu vou falar e agora você vai me ouvir!
BRANCA - Por favor pai, não acredita em mentiras. Tudo o que estão dizendo não é verdade! Eles inventaram isso.
AUGUSTO - Já chega Branca! Eu só não vou te dar a surra que você merece porque agora já não valerá de nada. Eu deveria ter te ensinado a ser gente antes. Agora já é tarde, você já se tornou esse monstro que é, e agora é só a vida quem vai te ensinar, ah se vai.
BRANCA - O que você quer comigo então? Já que não veio me soltar, já que não acredita em mim e nem mesmo me bater por algo que eu não tenho culpa. Qual é o motivo da sua visita?
AUGUSTO - Olhar para a sua cara. Olhar e ver que eu errei. Eu acho que eu só vim aqui para ter mesmo a constatação de que tudo o que me disseram era verdade. Foi difícil de acreditar, mas é a verdade. Você não é minha filha! Como que uma filha pode inventar uma mentira dessas que você inventou? Como que uma filha pode ficar indiferente ao sofrimento de um pai que imagina ter perdido a sua filha? Como? Hã Branca? Como? Me responde! Você não é minha filha! Você não presta! Você é tudo de ruim que se escondia por debaixo de nossa família. Você é um lobo em pele de cordeiro.
BRANCA - Eu não estou nem aí!
AUGUSTO - Pois bem. De agora em diante você que caminhe com as suas próprias pernas. Eu renego a você de todas as formas!
BRANCA - Pois então que seja! E não pense que eu vou ficar chorando pelos cantos. Eu não vou seu velho decrépito!
Ele sai.
CENA 02 / DELEGACIA / SALA DE ESPERA /  INTERIOR / NOITE.
Augusto sai.
AUGUSTO - Eu vou embora daqui!
LAERTE - Vamos pai!
RODRIGO - Eu vou entrar lá, de qualquer jeito!
CENA 03 / DELEGACIA / SALA DE VISITAS / INTERIOR / NOITE.
BRANCA - Rodrigo. Meu amor, que saudades.
Ele dá um tapa na cara de Branca.
RODRIGO - Como você pode? Como que você foi capaz de estragar a minha vida e a da sua irmã?
BRANCA - Foi por amor! Tudo o que eu fiz foi por amor! Ela não amava você como eu amava. Ela não te merecia. Você nasceu para ser meu! Meu (grita)!
RODRIGO - Não Branca! Eu nunca fui seu. No fundo era tudo uma ilusão. Como eu pude ser cego?
BRANCA - É claro que você me ama! A nossa filha é a prova viva disso!
RODRIGO - A nossa filha é a única coisa boa que me veio de você. Agora acabou Branca! Chega de mentiras, farsas e enganações! Eu quero o divórcio!
BRANCA - Não! Você não pode! Eu não posso viver sem você! Tudo o que eu fiz foi por você! Você é o único motivo de eu ainda estar viva!
RODRIGO - Procure um outro motivo. Porque você nunca mais vai me ver!
Ele sai. Branca começa a chorar. Júlia entra na cela.
JÚLIA - Mãe? O que foi?
BRANCA - Seu pai. Ele quer me deixar!
JÚLIA - Tudo por culpa dessa maldita que quer desgraçar a sua vida!
BRANCA - Sim filha.
JÚLIA - Porque ela está inventando todas essas mentiras sobre você mãe?
BRANCA - Eu não sei! Mas ela não vai parar.
JÚLIA - Eu juro que vou acabar com isso e vou te tirar daqui!
BRANCA - Obrigada minha filha!
JÚLIA - Eu te amo! Te amo demais! Eu não vou deixar ninguém te fazer mal não.
AMANHECE.
CENA 04 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / DIA.
Júlia segura o pescoço de Estela.
JÚLIA - Por que é que você tá fazendo isso? Hein?
ESTELA - Me solta!
JÚLIA - GRITA - Porque?
CONTINUA...

Nenhum comentário:

Postar um comentário