Castelo de Areia - Capítulo 19.


NO CAPÍTULO ANTERIOR:
Estela chega à mansão. Branca vai falar com Alexandre, ela exige que ele acabe com a vida de Estela. Carmela chama a filha para conversar, ela diz que esconde um segredo.
FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:


CENA 01 / APARTAMENTO DE CARMELA E CUSTÓDIO / INTERIOR / SALA / NOITE.
CARMELA - Filha, eu quero falar com você!
FLÁVIA - Sobre o que é?
CARMELA - É sobre aquela história de trabalhar.
FLÁVIA - Eu pensei que a senhora tinha desistido desse assunto.
CARMELA - Não, eu não desisti. É que com todos esses acontecimentos na nossa família me foram úteis para esconder um grande segredo.
FLÁVIA - Do que você tá falando mãe O que um segredo tem a ver com o fato de eu querer trabalhar?
CARMELA - Tudo! Senta aí que você irá entender tudo.
FLÁVIA - Tá, então me diz logo. Eu estou ficando curiosa.
CARMELA - Há algum tempo atrás eu fiz algumas dívidas.
FLÁVIA - Que tipo de dívida mãe?
CARMELA - Com cartões, bancos e lojas.
FLÁVIA - Eu não acredito mãe!
CARMELA - Eu não tinha como pagar essas dívidas. Eu me excedi, passei da conta com meus gastos. Eu também não queria contar ao seu pai, você sabe como ele é controlador.
FLÁVIA - Sim, eu sei bem. E o que a senhora fez?
CARMELA - Eu então dei o nosso apartamento como garantia. Você sabe que ele está em meu nome, não é? Então eu planejei ir pagando as contas aos poucos. Eu pensei que daria conta de saldar minhas dívidas. Mas eu estava enganada.
FLÁVIA - Eu não acredito mãe. Eu não acredito que a senhora foi capaz de colocar o nosso apartamento como garantia. A senhora por acaso pensou nas consequências que isso poderia nos trazer? A senhora pensou que poderíamos ficar sem teto?
CARMELA - Não. Eu confesso que não pensei. Eu imaginava que conseguiria saldar as dívidas sozinha. Mas eu me enganei.
FLÁVIA - E agora? O que nós vamos fazer? O papai precisa saber!
CARMELA - Não. Pelo amor de deus não conte nada a seu pai. Ele irá me matar.
FLÁVIA - E com razão né!
CARMELA - Filha, agora eu acho que você vai precisar mesmo de trabalhar.
FLÁVIA - Ah, então a senhora faz coisas erradas e eu é que pago o pato? É isso?
CARMELA - Minha filha, a notificação chegou há alguns dias. Quando eu lhe proíbi de trabalhar eu não sabia o que estava fazendo. E você não disse que queria trabalhar? Então... Agora você tem uma razão para trabalhar.
FLÁVIA - Ah, e a senhora acha que em pouco tempo de trabalho eu conseguiria nos salvar?
CARMELA - Não?
FLÁVIA - É claro que não!
CARMELA - Então terei que pedir ajuda ao seu tio. Eu estava com medo, pois seu pai pode acabar descobrindo. Mas se explicarmos a situação quem sabe ele não entende.
FLÁVIA - Não, isso não. Você sabe que o papai é contra. E eu particularmente sou também. Eu vou pensar em alguma outra maneira de consertar a sua burrada.
AMANHECE.
CENA 02 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / DIA.
Carolina, a terapeuta que irá tratar Estela chega.
AUGUSTO - Minha filha, essa é a doutora Carolina Azevedo.
MARIA/ESTELA - Prazer!
CAROLINA - O prazer é todo meu! Será que poderíamos ficar em um ambiente á sós?
MARIA/ESTELA - Pode ser o meu quarto?
CAROLINA - Pode sim. Vamos?
MARIA/ESTELA - Vamos!
CENA 03 / PILAR / SALA DE LAERTE / INTERIOR / DIA.
BRANCA - Será que o papai vai colocar a Estela de novo na empresa?
LAERTE - Bom, eu creio que sim. Mas acho que não por agora. Ela tem que recuperar a memória, ou então teríamos uma funcionária totalmente incompetente e sem experiência.
BRANCA - Sim, mas sinceramente eu tenho medo.
LAERTE - Porque?
BRANCA - Você se lembra de como ela era chata? Não lembra? Criava caso com qualquer coisinha. Eu aposto que se ela pisar aqui de novo ela irá criticar nossas mudanças.
LAERTE - Provavelmente.
BRANCA - Ela será uma pedra no nosso sapato..
LAERTE - Não diga isso Branca. Desse jeito parece que você não gosta da Estela.
BRANCA - É claro que eu gosto. Eu só não gosto dela aqui na empresa enchendo o saco e querendo mandar em nós..
CENA 04 / FACULDADE / EXTERIOR / DIA.
Todos saem da faculdade. Bruno vai até Júlia e á aborda.
BRUNO - SEGURANDO NO BRAÇO DE JÚLIA - O que aconteceu hein? Porque você sumiu?
JÚLIA - Me solta Bruno. Você tá me machucando.
BRUNO - Ah é? Então fala logo! O que você andou fazendo hein? Tava atrás de macho?
JÚLIA - Me respeita!
BRUNO - Você quer respeito? Então se dá ao respeito!
JÚLIA - Você olha lá como fala comigo!
BRUNO - Porque você se afastou de mim?
JÚLIA - Porque eu não aguento mais você e essa sua pressão por sexo.
BRUNO - Então você não quer nada comigo?
JÚLIA - Me deixa sair! Para de me cercar.
BRUNO - Não. Agora eu quero saber! Vamos! Diz!
CONTINUA...
ATÉ SEGUNDA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário