Castelo de Areia - Capítulo 11.


NO CAPÍTULO ANTERIOR:
Augusto acorda do coma e fica sabendo do ocorrido com Estela.
Branca e Rodrigo ficam noivos, ela diz que está grávida.
Vintes anos se passam e chega o dia do aniversário de Júlia, a filha de Branca.
FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:

CENA 01 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / DIA.
Todos cantam parabéns pra Júlia.
BRANCA - Minha filha, parabéns! A mamãe te ama tá!
JÚLIA - Obrigada mãe.
RODRIGO - Parabéns filha!
Eles se abraçam.
JÚLIA - Amo vocês!
A festa continua noite adentro.
ANGRA DOS REIS - RJ.
CENA 02 / CASA DE RAMIRO / INTERIOR / SALA / NOITE.
Estela/Maria pensa no passado.
ESTELA/MARIA - Faz vinte anos.
RAMIRO - É, o tempo passou depressa.
ESTELA/MARIA - Há vinte anos atrás você me encontrou sem memória e me deu uma nova vida. Eu estou feliz por nós estarmos juntos a tanto tempo, mais eu estou muito assustada e com medo.
RAMIRO - Porque? O que você sente?
ESTELA/MARIA - Ah meu amor, vinte anos se passaram e nada da minha memória voltar. É isso que me dá medo. Eu tenho medo de talvez nunca descobrir quem realmente eu sou, e sinceramente, a cada ano que passa eu perco um pouco de minhas esperanças.
RAMIRO - Muito tempo se passou, eu sei. Mas a gente não pode perder a fé.
ESTELA/MARIA - Eu já perdi minhas esperanças, no fundo eu aceitei que eu nunca vou saber quem eu fui. Pelo menos eu tenho você.
RAMIRO - Nós temos um ao outro.
Ele beija ela.
SÃO PAULO - SP.
CENA 03 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / ESCRITÓRIO / NOITE.
LAERTE - Branca, eu preciso falar com você sobre a situação da empresa.
BRANCA - Diga!
LAERTE - As áreas de exploração que temos já não produzem como antes.
BRANCA - É, eu sei bem…
LAERTE - Precisamos de mas áreas.
BRANCA - Você sabe que pra conseguir mas áreas tem que pedir autorização.
LAERTE - Eu sei. Você sabe muito bem. Lembra daquela briga que você teve com a Estela por causa disso?
BRANCA - Ah Laerte, pelo amor. Isso foi a vinte anos, não compare a situação de agora com a época que a Estela era viva.
LAERTE - Eu olhei os relatório da empresa e te digo, a situação é tão catastrófica quanto naquela época.
BRANCA - Meu deus. O que nós vamos fazer?
LAERTE - Vamos pedir uma ajuda ao papai, ele sempre soube como sair de problemas como esse.
BRANCA - Não, pedir ajuda para o papai não. Você sabe que foi custoso convencer ele a nos deixar assumir a empresa. Tive que jurar que não iria cometer nenhum erro, e se esse erro vir à tona a gente perde nosso cargo na empresa.
LAERTE - Então o que você vai fazer?
BRANCA - Vou molhar a mão de alguns políticos para liberar áreas na Amazônia.
LAERTE - Branca, isso não é certo.
BRANCA - Virou a Estela agora Laerte?
AMANHECE.
CENA 04 / APARTAMENTO DE CARMELA E CUSTÓDIO / INTERIOR / SALA / DIA.
CARMELA - Custódio meu amor.
CUSTÓDIO - O que é paixão?
CARMELA - Nada, só estou lhe avisando que marquei uma reunião pra você na empresa.
CUSTÓDIO - Reunião pra que?
CARMELA - Ora, para discutir o aumento da nossa “pensãozinha”.
CUSTÓDIO - Eu não acredito que você fez isso. Eu já te disse milhões de vezes que eu não vou me submeter a pedir dinheiro ao meu irmão.
CARMELA - Sabe o que eu não acredito? Eu não acredito na pilha de carnês que vem todo mês para nós pagarmos. Você vai sim.
CUSTÓDIO - Eu não vou não. Eu não tenho essa mesma cara de pau que você tem.
CARMELA - Eu cara de pau? Criatura, você tem direitos naquela empresa. Tudo bem, se você não quer ir eu vou, vou dizer em seu nome.
CUSTÓDIO - Em meu nome não, diga pelo seu!
CARMELA - Ora seu velho rabugento!
Flávia chega.
CARMELA - Onde você estava minha filha?
FLÁVIA - Acabo de vir de uma entrevista de emprego.
CARMELA - O que? Filha minha nunca que irá trabalhar!
CUSTÓDIO - Vai começar…
CONTINUA...
ATÉ AMANHÃ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário