Castelo de Areia - Capítulo 02.



NO CAPÍTULO ANTERIOR: Estela, Branca e Laerte assumem a presidência da empresa. Augusto continua em coma. Branca sente ciúmes do relacionamento entre Estela e Rodrigo. Ela vai contra Estela na reunião da empresa, e as duas acabam por brigar feio. Estela dá um tapa em Branca, que jura que acabará com a vida de Estela. FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE.


CENA 01 / PILAR / SALA DE BRANCA / INTERIOR / DIA. BRANCA - PEGA O TELEFONE - Alô? Preciso te encontrar! Tenho um "servicinho" que eu tenho certeza que você vai adorar fazer. Já estou indo ai no seu muquifo. ANOITECE. CENA 02 / GALPÃO / INTERIOR / NOITE. BRANCA - Eu não acredito que você continua morando nesse galpão fétido. Pra que isso? ALEXANDRE - A madame veio aqui pra falar da minha residência? Ou do serviço? BRANCA - Você ainda tem coragem de chamar isso aqui de residência? Bom, vou logo ao ponto. Eu quero que você mate uma pessoa pra mim! ALEXANDRE - Matar? Ah, a madame me desculpa, mas eu tô evitando fazer esses tipos de coisas ultimamente. BRANCA - Há, conta outra! Eu pagarei muito bem; aliás, eu pago o quanto você quiser. Vamos faça seu preço! ALEXANDRE - Já que a madame insiste... Eu quero cem mil. BRANCA - Cem mil? Você tá louco? ALEXANDRE - Se tu não quer, mata você mesmo. BRANCA - Tá bom, eu pago o que você quer. Eu tenho que eliminar essa desgraçada o mais rápido possível da minha vida. ALEXANDRE - Olha só. A madame tá irritadinha? Aposto que tem homem o meio. Mas então? Pra quem é que eu tenho que cantar pra subir? BRANCA - Minha irmã. Estela Bitencourt. ALEXANDRE - Você quer que eu mate a sua própria irmã? Que tipo de pessoa é você? BRANCA - Eu sou o tipo de pessoa que paga bem. A única coisa que eu quero de você é que faça o serviço direito, a sua opinião eu dispenso. Eu estou te pagando muito bem, não estou? ALEXANDRE - Eu nunca tinha visto esse tipo de coisa antes. Eu não vou fazer isso! Procure outra pessoa. BRANCA - Eu te pago oitocentos mil. Que tal? ALEXANDRE - PENSA - Quer saber, eu vou aceitar. Tô precisando de dinheiro mesmo. Mais você madame vai direto pro inferno. É isso o que acontece com quem faz isso que você quer fazer. BRANCA - Eu já disse uma vez e repito: A sua opinião pouco me interessa. Concentre-se em fazer o serviço, e nada mais. Amanhã eu volto pra combinar tudo! ALEXANDRE - Eu vou estar esperando. Como sempre! BRANCA - Ótimo! CENA 03 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / BIBLIOTECA / NOITE. Branca vai até a Biblioteca conversar com Laerte. BRANCA - A Regina me disse que você queria falar comigo. LAERTE - Sim, eu quero entender Branca, o que foi que aconteceu naquela sala entre você e a Estela? BRANCA - Ela veio discutir comigo sobre a reunião. Ela disse que não era pra mim ter feito o que fiz. Disse que a decisão dela deveria ser respeitada. E você sabe o que eu penso sobre ela querer ser a única voz ativa de nós três. Não é? LAERTE - Foi isso mesmo? BRANCA - E o que mais poderia ser? LAERTE - O Rodrigo? BRANCA - Eu já esqueci o Rodrigo, ele não faz o meu tipo. Alguém que faria o meu tipo jamais teria algo com a sonsa da Estela. CENA 04 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / QUARTO DE BRANCA / NOITE. BRANCA - Eu preciso arrumar um jeito de matar a Estela. Mas que fique parecendo que foi um acidente. Eu não posso me comprometer. Eu acho que já sei o que fazer... Um acidente no mar não seria nada mal. CENA 05 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / NOITE. ESTELA - Que bom que você tá aqui Rodrigo. Eu tô muito mal com tudo o que a Branca me disse. RODRIGO - Converse com ela meu amor. Ela devia estar nervosa. Eu não creio que sua irmã diria aquilo tudo de verdade. Deve ter sido o calor do momento. ESTELA - Olha, eu espero que sim. Eu amo a Branca, mas de uns tempos pra cá ela anda fria comigo. AMANHECE CENA 06 / GALPÃO / INTERIOR / DIA. ALEXANDRE - A madame não vê a hora não? Ta muito cedo pra está na casa dos outros. BRANCA - Não reclame! Eu estou te pagando muito bem e você ainda fica de corpo mole? ALEXANDRE - Fala madame. O que você quer? BRANCA - Eu vim te falar que já sei tudo o que você vai fazer. Eu pensei bem em tudo... ALEXANDRE - Desistiu? BRANCA - Nunca! Eu disse que pensei melhor. Matar minha irmã aqui em São Paulo iria ser muito suspeito. Eu preciso matá-la e fazer parecer um acidente. ALEXANDRE - E o que você planeja? BRANCA - Vou oferecer uma viagem para Angra dos Reis á ela. Nós duas brigamos, e acho que eu posso dar essa viagem á ela como forma de me reconciliar. Daí você dá um jeito dela morrer no mar. ALEXANDRE - Como? BRANCA - Explodindo uma lancha com ela dentro! ALEXANDRE - E onde a madame pensa que eu vou arrumar uma lancha em Angra dos Reis? BRANCA - Você não tem contatos lá? ALEXANDRE - Tenho. BRANCA - Pois então. Diga a alguém que arrume uma lancha. Eu pago super bem. ALEXANDRE - E o resto do plano? Como é que fica? BRANCA - Eu vou alugar uma casa para ela ficar. Você vai pra lá se passar por caseiro dessa casa. Assim que comprar a lancha leve-a para a casa, e faça ela entrar. Daí, "cabum". Adeus irmãzinha. ALEXANDRE - Pra tudo isso vou precisar de muito mais dinheiro. BRANCA - Sim, aqui está! Creio que é o suficiente para providenciar tudo. Você parte para lá hoje mesmo! Ajeite tudo. Daqui á uma semana eu despacho ela pra lá. ALEXANDRE - E meu pagamento? BRANCA - Assim que ela bater as botas eu lhe pagarei. ALEXANDRE - Ótimo! BRANCA - Assim que já estiver tudo pronto me ligue. UM DIA DEPOIS... CENA 07 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / QUARTO DE BRANCA / NOITE. Branca conversa com Alexandre pelo telefone. BRANCA - Já arrumou tudo? ALEXANDRE - Já! Foi tudo mais fácil do que eu imaginava. BRANCA - Vá para a casa que eu aluguei e fique lá. Vou presentear minha irmãzinha agora mesmo. CENA 08 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / NOITE. BRANCA - Estela, será que nós poderíamos conversar? ESTELA - Diga Branca! O que você quer? BRANCA - O seu perdão! CONTINUA. ATÉ AMANHÃ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário