Castelo de Areia - Capítulo 16.


NO CAPÍTULO ANTERIOR:
Estela é encontrada. Bruno pede para que Júlia tenha relação com ele.
Ramiro resiste a ideia de que tudo seja verdade, mas Estela o acalma.
FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:

CENA 01 / CASA DE RAMIRO / INTERIOR / SALA / DIA.
GUSTAVO - Então eu vou ligar para seu pai avisando que lhe encontrei. Ele vai amar quando você chegar em São Paulo.
MARIA/ESTELA - Eu não quero ir a São Paulo, eu tenho uma vida aqui. Tenho meu marido, sou casada. Diz a meu pai que ele venha até aqui. Só depois de conhecê-lo eu posso decidir o que fazer.
GUSTAVO - Bom, faça como achar melhor. Irei passar sua escolha a ele.
RAMIRO - Que bom meu amor, não sabe como eu fico mais tranquilo com as coisas sendo desta maneiro.
MARIA/ESTELA - Eu disse que não iria te abandonar. Lembra?
RAMIRO - Lembro, e você cumpriu com sua palavra.
MARIA/ESTELA - Mais é claro. Agora tudo o que eu mais quero é saber quem eu sou!
ANOITECE.
SÃO PAULO - SP.
CENA 02 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / NOITE.
O telefone toca.
REGINA - Doutor Augusto, aquele rapaz que o senhor contratou para procurar pela Estela ligou. Ele quer lhe falar.
Ele pega  o telefone e conversa com Gustavo.
GUSTAVO - Encontramos ela doutor. Encontramos!
AUGUSTO - Ela tá viva? A Estela tá viva!
Close no rosto de Branca preocupada.
AUGUSTO - E onde é que ela tá?
GUSTAVO - Aqui em Angra doutor. Em uma vila de pescadores.
AUGUSTO - Traz ela para cá. Eu quero ver minha filha o mais rápido possível.
GUSTAVO - Ela não quer vir doutor.
AUGUSTO - Como não? Ela não quer me reencontrar?
GUSTAVO - Ela perdeu a memória. Ela já tem família formada e tudo.
AUGUSTO - O que? Então eu vou pra aí ora.
GUSTAVO - Sim doutor, foi isso o que ela sugeriu. Ela tá com medo de tudo isso, é novo pra ela. Ela não tem lembranças de nada, é natural ter medo do desconhecido.
AUGUSTO - Como faço pra chegar aí?
GUSTAVO - Venha até o centro da cidade, lhe encontro assim que você chegar no hotel principal, de lá lhe levo pra ver ela.
AUGUSTO - Vou sair daqui agora mesmo!
Desliga o telefone.
BRANCA - O que foi isso papai?
AUGUSTO - Encontraram a Estela. Sua irmã está viva!
BRANCA - Viva?
AUGUSTO - Sim.
LAERTE - Então o senhor estava certo o tempo todo papai. A Estela sempre esteve viva.
BRANCA - Eu não posso acreditar.
AUGUSTO - Pois acredite!
BRANCA - E se for algum golpe?
LAERTE - Ah Branca, chega! Não vê que é real? A nossa Estela voltou.
AUGUSTO - Agora me dê licença, eu tenho que me apressar para ir a Angra.
LAERTE - Eu também quero ir papai!
BRANCA - Eu também quero. Eu só vou acreditar que minha irmãzinha voltou quando eu vê-la com os meus próprios olhos.
AUGUSTO - Então se apressem. Vou sair de Helicóptero daqui a pouco.
CENA 03 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / QUARTO DE BRANCA / NOITE.
BRANCA - Desgraçada, infeliz. Quem mandou você voltar do inferno para desgraçar a minha vida novamente? Hein? Quem mandou sua cadela? Mais agora eu vou acabar com você. Eu juro, nem que eu tenha que fazer o serviço sozinha. Mais eu vou.
Ela liga para Rodrigo e conta a situação.
RODRIGO - Quer que eu volte para lhe ajudar?
BRANCA - Não. Eu vou indo para lá com papai e Laerte. Você fica aqui para cuidar de nossa filha e comunicar o restante da família.
RODRIGO - Então tá. Me mande notícias.
Desliga.
BRANCA - Ah tá que eu vou deixar você ir junto para encontrar aquela cadela. Você vai ficar aqui. Eu vou dar um jeito dela se envolver em um pequeno acidente e ir para o inferno de vez.
Branca desce para baixo e todos vão rumo à Angra dos Reis.
CONTINUA…

ATÉ AMANHÃ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário