Temporada de Inverno ❄️⛄️

Castelo de Areia - Capítulo Especial.


NO CAPÍTULO ANTERIOR:
Carmela e Custódio brigam por dinheiro. Flávia diz que quer sua independência.
Augusto sonha com Estela.
FIQUE AGORA COM O CAPÍTULO DE HOJE:



CENA 01 / MANSÃO BITENCOURT / QUARTO DE AUGUSTO / INTERIOR / NOITE.
.
Augusto dorme, e em seu sonho ele se encontra com Estela em uma praia.
ESTELA - Eu estou viva pai. Tudo não passou de um engano.
AUGUSTO - Que sonho é esse?
ESTELA - Não é um sonho, você está conversando com minha alma, a verdadeira alma da Estela. A alma que ela tem hoje é outra. Minha alma se perdeu em meio as memória que o acidente bloqueou na cabeça dela. Hoje ela vive uma outra vida, ela nem se lembra do passado. Por isso ela nunca voltou, porque pra voltar ela precisa me encontrar dentro dela.
AUGUSTO - Que tipo de conversa louca é essa?
ESTELA - Pode parecer loucura, mais não é! Eu sei que você me ama, eu sei que você é o único que pode realmente me salvar. Você é a minha última e única esperança. Por favor acredite em mim.
AUGUSTO - Como eu posso acreditar em um sonho? Como posso acreditar em algo que quando eu abrir os olhos se provará ser uma mentira?
ESTELA - Os sonhos nos mostram a verdade que não queremos ver, nos trazem revelações. Foi o único modo que eu encontrei de lhe pedir ajuda.
AUGUSTO - Se isso for verdade, então porque você não veio me procurar antes? Porque só depois de tanto tempo você veio me procurar?
ESTELA - Porque minha alma estava adormecida. Só agora que ela se acordou. Sabe porque ela acordou? Porque a Estela de hoje deseja muito saber de seu passado, ela clamou por isso, e esse clamor foi o que me despertou. Agora tudo vai se caminhar para essa descoberta, é um caminho sem volta. Mais com a sua ajuda já terei meio caminho andado. Me ajude, ajude-me a me salvar e a trazer meu corpo de volta pra que eu volte ao meu lar.
AUGUSTO - EMOCIONADO - Eu não sei, não sei o que dizer. Tudo isso me traz lembranças de um passado que eu jurei esquecer.
ESTELA - Eu sei que foi difícil, pra mim também foi. Confie em mim, de coração, nós estamos unidos por um único desejo, por um único amor. Há algo maior além disso tudo, eu não estou mentindo, eu não teria pra que fazer isso. Confia em mim.
AUGUSTO - Está bem, eu sei que todos vão achar que é loucura mais eu vou fazer o que meu coração está mandando. Eu vou atrás de você. Só me dê um abraço!
Eles se abraçam.
AUGUSTO - Esse abraço foi muito real.
ESTELA - E é.
AUGUSTO - Onde você está?
ESTELA - Eu estou em Angra dos Reis, eu nunca saí de lá. Procure por mim em vilas de pescadores.
AUGUSTO - Eu vou lhe achar.
ESTELA - Muito em breve a gente se vê, muito antes do que você imagina.
Ela se despede e no mesmo instante augusto acorda.
AUGUSTO - ASSUSTADO - Não há dúvidas, é isso o que eu vou fazer.
CENA 02 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / SALA / DIA.
Augusto reúne todos na sala. Ele conta detalhe por detalhe de seu sonho, e diz que irá procurar por Estela.
BRANCA - O que? Eu não acredito no que estou ouvindo. O senhor enlouqueceu papai? A Estela está morta! Morta e enterrada. Para de criar fantasias em sua cabeça, e muito menos de acreditar nelas.
AUGUSTO - Eu não acho que seja fantasia, meu sonho foi muito real. Eu sinto que é o meu dever fazer isso, e vou.
BRANCA - Francamente papai, eu acho que o senhor está caducando, por que só gente que perdeu a noção é que acredita em sonhos. Acorde, a Estela morreu a mais de vinte anos, não existe a menor possibilidade de ela estar viva agora. O senhor não vê que com essa atitude você só estará reabrindo feridas da quais queremos esquecer? Essas feridas que foram muito difíceis para nós de esquecer, não nos faça sofrer novamente em vão.
AUGUSTO - Eu vou procurar por ela com ou sem o seu apoio Branca.
LAERTE - Pai, isso não faz o menor sentido. Deixe isso de lado.
RODRIGO - Augusto, isso não tem fundamento algum!
AUGUSTO - Como eu disse, eu vou procurá-la com ou sem o apoio de vocês.
BRANCA - Pois então faça, não irá encontrar nada mesmo. Se o senhor quiser sofrer, tudo bem. Sofra! Só que depois não venha reclamar...
Branca sai irritada.
CENA 03 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / QUARTO DE BRANCA / DIA.
BRANCA - Velho patético, vai quebrar a cara. Mas quer saber? Deixa, eu vou deixar ele quebrar a cara. Eu sei que ela está morta mesmo, e tenho certeza de que nunca irá voltar. Vai ser até divertido ver o sofrimento dele de novo (risos).
CENA 04 / MANSÃO BITENCOURT / INTERIOR / ESCRITÓRIO / DIA.
REGINA - Doutor Augusto, eu vim dizer que acredito. Eu nunca acreditei totalmente que a Estela estava morta, para mim essa história sempre me cheirou suspeita.
AUGUSTO - Obrigado Regina, obrigado. Reze por mim, reze para que a nossa Estela volte a esta casa.
REGINA - Eu vou, que deus abençoe a nossa menina.
CONTINUA…

ATÉ AMANHÃ!

Nenhum comentário:

Postar um comentário